Abraham Bragança de Vasconcellos Weintraub

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: WEINTRAUB, Abraham
Nome Completo: Abraham Bragança de Vasconcellos Weintraub

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

WEINTRAUB, Abraham 

*min. Educ. 2019-2020. 

 

Abraham Bragança de Vasconcellos Weintraub nasceu em São Paulo (SP)no dia 11 de outubro de 1971, filho de Mauro Weintraub, escritor e professor.  

Graduou-se em ciências econômicas pela Universidade de São Paulo (USP) em 1994. No mesmo ano, passou a trabalhar como trainee no Banco Votorantim, onde faria carreira e se tornaria diretor da corretora da instituição bancária em 2004, após concluir o MBA em administração financeira pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). 

Em 2012, encerrou sua passagem pelo Banco Votorantim e passou a se dedicar à carreira acadêmica. Tornou-se mestre em administração pela FGV no ano seguinte com a defesa da dissertação intitulada The performance of open-end brazilian fixed income mutual funds for retail clients. Começou a trabalhar na Quest Investimentos em 2013, gestora do ex-ministro Luiz Carlos Mendonça de Barros. Permaneceu na empresa até 2014, quando ingressou no quadro de professores da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Na nova posição, foi co-fundador do Centro de Estudos em Seguridade (CES), uma associação sem fins lucrativos criada em 2015 por docentes da UNIFESP. 

 Foi convidado por Onyx Lorenzoni para atuar como secretário-executivo do governo de transição de Jair Bolsonaro, eleito presidente da República em 2018 

Assumiu um cargo na Casa Civil em janeiro de 2019. Em abril do mesmo ano, após a demissão do então ministro da Educação, Ricardo Veléz, foi nomeado para sucedê-lo no posto 

No exercício do cargo de ministroexecutou políticas de austeridade e diversificação econômica no âmbito da educação pública. Anunciou o congelamento de R$ 1,7 bilhão do orçamento originalmente previsto para as universidades públicas e lançou também o projetFuture-seum programa destinado a fomentar, nas instituições federais de ensino superior, iniciativas de empreendedorismo e de captação de recursos privados capazes de diminuir a dependência crescente do orçamento público no custeio das universidades públicas. Apoiou a criação de uma carteira de estudante gratuita em formato digital, que passou a valer a partir da publicação dmedida provisória n. 859, retirando, assim, o intermédio das entidades estudantis, as quais recolhiam uma taxa para emissão do documento físico. Contudo, a medida provisória expirou porque não foi analisada pelo Congresso dentro do prazo constitucional. Sob críticas e eminente afastamento do Ministério, revogou portaria sobre políticas de inclusão nas pós-graduações, como acesso a negros, indígenas e pessoas com deficiência – decisão esta que foi revertida poucos dias depois. Deixou o Ministério da Educação em junho de 2020.  

Publicou artigos em revistas acadêmicas como a Revista Brasileira de Previdência e a Revista Chilena de Derecho del Trabajo y de la Seguridad SocialTambém assinou uma série de artigos para jornais 

Casou-se com Daniela Weintraub 

 

Carolina Cancio Pavaneli Moura 

 

 

FONTES 

 

 

 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados