BENEDITO AUGUSTO DE FREITAS MONTENEGRO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MONTENEGRO, Benedito
Nome Completo: BENEDITO AUGUSTO DE FREITAS MONTENEGRO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MONTENEGRO, BENEDITO

MONTENEGRO, Benedito

*reitor USP 1941-1947.

 

Benedito Augusto de Freitas Montenegro nasceu em Jaú (SP) no dia 7 de abril de 1888, filho de Henrique Montenegro e de Olímpia de Freitas Montenegro.

Cursou o primário na Escola Americana, concluindo o secundário em 1904 no Mackenzie College, ambos na cidade de São Paulo. No ano seguinte viajou para os EUA, onde se formou em 1909 pela Faculdade de Medicina da Universidade da Pensilvânia. Em 1910 revalidou seu diploma no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, passando no ano seguinte a clinicar em São Paulo.

Em 1911 tornou-se cirurgião adjunto da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e do Sanatório Santa Catarina, função que exerceria até 1918. Segundo-secretário da Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo de 1913 a 1914, neste último ano foi nomeado assistente de anatomia descritiva da Faculdade de Medicina de São Paulo. Durante o biênio 1915-1917 ocupou o cargo de tesoureiro da Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo e, em 1916, foi professor substituto de anatomia descritiva, anatomia topográfica e operações e aparelhos na Faculdade de Medicina.

Durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) serviu em 1918 no Exército francês pelo período de oito meses na condição de tenente-coronel e chefe da Missão Médica Brasileira. Logo após regressou ao Brasil, e em março de 1919 deixou a Santa Casa de Misericórdia para dedicar-se à sua clínica na Beneficência Portuguesa e no Sanatório Santa Catarina. Ainda em 1919 visitou vários países europeus em viagens de estudo, tornando-se em 1923 o pioneiro no Brasil da cirurgia radical das úlceras gástricas e duodenais ao realizar a primeira intervenção no gênero. Nomeado para integrar a comissão de estudos para a construção dos edifícios da Faculdade de Medicina, inclusive o Hospital das Clínicas, partiu em 1925 em viagem de estudos aos EUA, Canadá, França, Inglaterra e Bélgica. Em 1931 conquistou a cátedra de técnica cirúrgica e cirurgia experimental da Faculdade de Medicina de São Paulo, à frente da qual permaneceria até 1934.

Em 1932 participou da Revolução Constitucionalista, durante a qual, comissionado no posto de tenente-coronel-médico, chefiou ao lado dos insurretos a Unidade Cirúrgica Itália. Terminado o conflito com a vitória das forças federais em outubro daquele ano, foi eleito diretor da Federação dos Voluntários de São Paulo. Fundada logo após a derrota da insurreição e liderada por um grupo de oficiais e suboficiais paulistas, a organização tinha como objetivo congregar os voluntários que haviam participado do movimento rebelde.

Em 1933 foi um dos nomes cogitados para substituir o interventor federal em São Paulo, Valdomiro Castilho de Lima, mas a escolha recaiu sobre o general Manuel de Cerqueira Daltro Filho. Em fevereiro de 1934, quando a Federação dos Voluntários se fundiu com o Partido Democrático e com a Ação Nacional para formar o Partido Constitucionalista de São Paulo, foi eleito o primeiro vice-presidente do novo partido. Ainda em 1934 tornou-se professor de cirurgia da boca, organizador e diretor da Faculdade de Farmácia e Odontologia da Universidade de São Paulo (USP), além de diretor do Sanatório Santa Catarina. Nesse período exerceria intensa atividade médica e científica, representando São Paulo e o país em diversos congressos internacionais.

Em outubro de 1934 elegeu-se deputado à Assembléia Constituinte de São Paulo na legenda do Partido Constitucionalista. Assumiu sua cadeira no ano seguinte, participou dos trabalhos constituintes como vice-presidente da Assembléia e, após a promulgação da nova Carta estadual, passou a exercer o mandato ordinário, perdendo-o, contudo, em 10 de novembro de 1937, quando o advento do Estado Novo suprimiu todos os órgãos legislativos do país.

Diretor da Faculdade de Medicina da USP a partir de 1941, ainda nesse ano tornou-se também reitor dessa universidade, função que exerceria até 1947. Foi secretário de Educação e Saúde Pública, diretor do Departamento de Educação e Saúde Pública e diretor-clínico do Hospital das Clínicas, todos em São Paulo, e fazendeiro em São João da Bocaina, atual Bocaina (SP). Dirigiu ainda a Revista de Cirurgia, da capital paulista, atuando como editor para o Brasil do Surgery, Ginecology and Obstetrics e da América Clinica.

Benedito Montenegro foi membro do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, do American College of Surgeons, da Société Internationale de Chirurgie, do International College of Surgeons, da Asociación Argentina de Cirugía, da Association for the Study of Internal Secretions, da Sociedade de Medicina e Cirugía de São Paulo e da Associação Paulista de Medicina, membro honorário da Faculdade de Biologia e Ciências Médicas da Universidade do Chile, da Academia Nacional de Medicina, da Comissão Permanente da Asociación Argentina de Cirugía, da Sociedad de Cirugía del Chile, da Sociedad Argentina de Cirujanos e da Sociedade de Medicina de Pernambuco, membro correspondente da New York Academy of Medicine, da Société des Chirurgiens de Paris, da Sociedad de Cirugía del Uruguay, da Academia Brasileira de Medicina Militar, da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campos, da Società Piemontesa di Chirugia e da Académie de Chirurgie de Paris. Pertenceu ainda ao Ômega Upsilon Phi Medical Fraternity, à Tyson Medical Society e à General Alermni Society, da Universidade de Pensilvânia. Membro fundador da União Cultural Brasil-Estados Unidos, foi também sócio do Instituto Cultural Ítalo-Brasileiro e do Comité France-Amérique.

Faleceu na cidade de São Paulo no dia 23 de agosto de 1979.

Era casado com Inês de Carvalho Montenegro, com quem teve quatro filhos.

Publicou Cruzar paulistas (1936), Livro jubilar (1943) e Tumores da supra-renal (1950), além de artigos nos Anais Paulistas de Medicina e Cirurgia, no Boletim da Sociedade de Medicina e Cirurgia de São Paulo e no São Paulo Médico.

 

 

FONTES: ARQ. GETÚLIO VARGAS; COUTINHO, A. Brasil; Estado de S. Paulo (24/8/79); Grande encic. Delta; HIRSCHOWICZ, E. Contemporâneos; LEITE, A. História; MELO, L. Dic.; Personalidades; SILVA, H. 1932; SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem; VELHO SOBRINHO, J. Dic.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados