HUGO NAPOLEAO DO REGO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: NAPOLEÃO, Hugo (1-avô)
Nome Completo: HUGO NAPOLEAO DO REGO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
NAPOLEÃO, HUGO (1-AVÔ)

NAPOLEÃO, Hugo (1-avô)

*dep. fed. PI 1927-1930; rev. 1930; const. 1934; dep. fed. PI 1935-1937 e 1955-1959.

 

Hugo Napoleão do Rego nasceu em União (PI) no dia 25 de junho de 1892, filho de Artur Napoleão do Rego e de Olímpia Martins do Rego.

Após estudar nos colégios São Vicente de Paulo, São José e Ateneu Piauiense, prestou os exames finais no liceu de seu estado natal. Fez os três primeiros anos do curso superior na Faculdade de Direito de Recife. Transferiu-se em seguida para a Faculdade de Direito do Pará, pela qual se diplomou em 1911, tendo colaborado nesse período em O Jornal e na Folha do Norte. Mais tarde viria a dirigir o jornal Estado do Piauí. Em 1913 já era juiz municipal em Livramento (PI). Desse ano a 1922 exerceu a advocacia no Pará, onde foi também procurador-fiscal do Tesouro Nacional.

Em 1922 elegeu-se deputado à Assembléia Legislativa do Piauí e em 1925 foi reeleito para a legislatura que iria até 1927. Em outubro desse último ano elegeu-se deputado federal pelo Piauí e ainda em 1927, tendo fixado residência na cidade do Rio de Janeiro, então Distrito Federal, aí instalou banca de advocacia e foi escolhido para secretário da Junta Internacional dos Jurisconsultos Americanos, com sede na capital do país. Exerceu o mandato até outubro de 1929, e, com o apoio da Aliança Liberal, à qual havia aderido, reelegeu-se deputado federal em março de 1930, destacando-se no Parlamento pela atuação em defesa da autonomia da Paraíba. Nesse sentido, protestou contra o envio de tropas militares ao estado por ocasião da Revolta de Princesa, fato que os aliancistas consideravam intervenção do governo central naquela unidade da Federação.

Articulou, junto aos gaúchos, a participação do Piauí na Revolução de 1930, tendo participado ativamente, ao lado do senador José Pires Rebelo e de Félix Pacheco, Humberto de Areia Leão, Matias Olímpio de Melo e outros, da eclosão do movimento nesse estado. No dia 2 de outubro de 1930, dirigiu a Matias Olímpio, ex-presidente do Piauí (1924-1928) e também opositor de seu substituto no cargo, telegrama cifrado instruindo a tomada de providências necessárias ao desencadeamento da revolução. O despacho foi interceptado na estação de Teresina e levado ao major Pantoja, comandante do 25º Batalhão de Caçadores, e ao governador João de Deus Pires Leal. Estes, depois de procurar em vão decifrar a mensagem, enviaram-na ao destinatário.

Em 28 de outubro de 1930, quatro dias depois da queda do presidente da República Washington Luís, ficou definitivamente assentada a entrega do poder ao chefe da revolução, Getúlio Vargas. Nessa oportunidade, Hugo Napoleão, que se encontrava no Rio de Janeiro, discursou para a multidão da sacada do palácio do Catete, em nome dos revolucionários do Norte. Em 1931 foi escolhido segundo-secretário da primeira diretoria do Clube 3 de Outubro, organização que congregou as correntes tenentistas em defesa dos ideais de 1930.

Em 1933 elegeu-se deputado à Assembléia Nacional Constituinte na legenda da Lista Hugo Napoleão, formada no Piauí para lançar candidatos a essa assembléia. Mais tarde, visando congregar as forças políticas que haviam apoiado a revolução, seus adeptos uniram-se aos membros do Partido Nacional Socialista do Piauí, do qual Hugo Napoleão foi escolhido presidente de honra, juntamente com Ladri Sales, interventor no estado.

Em 1934 reelegeu-se deputado federal por seu estado na legenda do Partido Progressista Piauiense. Em maio de 1937 foi delegado do partido à convenção para o lançamento da candidatura de José Américo de Almeida à presidência da República, tendo exercido o mandato até novembro desse ano, quando o Legislativo foi fechado pelo golpe do Estado Novo. De 1955 a 1959, foi novamente deputado federal pelo Piauí, eleito dessa vez na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Na Câmara, ocupou o cargo de vice-líder da maioria.

Foi chefe do Contencioso do Banco do Brasil e membro do Instituto dos Advogados Brasileiros e do Instituto Geográfico do Pará.

Faleceu no Rio de Janeiro, no dia 1º de setembro de 1969.

Era casado com Matilde Freitas Napoleão Rego. Seu filho, Aluísio Napoleão de Freitas Rego, foi embaixador do Brasil em Teerã, Estocolmo e Pequim. Seu neto, filho deste, Hugo Napoleão do Rego Neto, conhecido por Hugo Napoleão, foi deputado federal pelo Piauí (1975-1983), governador do estado (1983-1986), senador pelo Piauí (1987, 1989-1992, 1994-) e ministro da Educação (1987-1989) e da Comunicação (1992-1994).

Deixou publicadas as obras Limites interestaduais, Igualdade de representação dos estados no Poder Legislativo e Discriminação da venda.

Robert Pechman

 

 

FONTES: ARQ. CLUBE 3 DE OUTUBRO; ARQ. OSVALDO ARANHA; Boletim Min. Trab. (5/36); CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Relação dos dep.; CÂM. DEP. Relação nominal dos senhores; Câm. Dep. seus componentes; CONSULT. MAGALHÃES, B.; CONSULT. RAMOS, P.; Diário de Notícias, Rio (26/5/37); Diário do Congresso Nacional; FONTOURA, J. Memórias; GODINHO, V. Constituintes; HIRSCHOWICZ, E. Contemporâneos; Jornal do Brasil (16/11/80); Personalidades; REGO NETO, H. Fatos; SILVA, H. 1935.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados