Maria Auxiliadora Seabra Rezende

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: DORINHA, Professora
Nome Completo: Maria Auxiliadora Seabra Rezende

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

DORINHA, Professora

*dep. fed. GO 2011-2014; 2015-2018; 2019-

 

Maria Auxiliadora Seabra Rezende nasceu em Goiânia (GO) no dia 01 de outubro de 1964, filha de Antônio dos Santos Seabra e de Maria Consuêlo Bastos Seabra, professora.

Iniciou o curso de pedagogia em 1985 pela Universidade Federal de Goiânia (UFG), concluindo a graduação em 1987. No ano seguinte, realizou especialização em alfabetização pela mesma instituição. Obteve o título de mestre em educação escolar brasileira também pela UFG.

Entre 1997 e 1999 atuou no Conselho Estadual de Educação de Palmas, no Tocantins, período em que também exerceu a presidência da Câmara de Ensino Superior do Conselho de Educação de Palmas.

Entrou para o Conselho Curador da Universidade Federal de Palmas (UFT) em 2000, permanecendo na posição de conselheira até 2009.

Em 2005, tornou-se membro da Comissão Intergovernamental do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica organizada pelo Ministério da Educação, atuando como tal até 2008.

Fez parte do time de sócio-fundadores do programa Todos Pela Educação, criado em 2006 como uma organização não-governamental, sem fins lucrativos, engajada na promoção da educação básica. Atuou como membro do comitê técnico do projeto até 2010.

Entre 2007 e 2009, presidiu o Conselho de Secretários Educacionais do Brasil (Consed) e atuou no Conselho de Ciência e Tecnologia de Palmas. Também se tornou conselheira do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira em 2008, permanecendo no cargo até o ano seguinte.

Com a alcunha de “Professora Dorinha”, disputou uma vaga para a Câmara dos Deputados durante as eleições de 2010 pelo estado de Tocantins, nos quadros do Democratas (DEM) dentro da coligação “Nova União do Tocantins”. Recebeu 38.233 votos e conseguiu se eleger.

No exercício do primeiro mandato como deputada, centrou sua atuação em matérias educacionais. Integrou comissões permanentes e especiais, além de comissões externas e de comissões parlamentares de inquérito. No caso das comissões permanentes, foi titular das comissões de Educação e de Legislação Participativa. Quanto às comissões especiais, foi a segunda vice-presidente das comissões constituídas para apreciar o projeto de lei n. 7420, de 2006, acerca da lei de responsabilidade educacional; e o projeto de lei sobre a Jornada Integral no Ensino Médio. Também atuou como terceira vice-presidente da Comissão Especial designada a analisar o projeto de lei n. 7672, de 2010, centrado na educação sem uso de castigos corporais e da Comissão Especial sobre a reformulação do ensino médio. Foi ainda titular das comissões especiais sobre o parlamento jovem brasileiro; sobre a lei de responsabilidade educacional; sobre o projeto de lei n. 7.663, de 2010, relativo ao Sistema Nacional de Políticas sobre Drogas. Também fez parte da comissão destinada a estudar a Proposta de Emenda à Constituição n. 32, de 1999, referente à construção de uma bolsa/crédito educativo para os alunos carentes. Atuou como titular da comissão externa sobre a tortura e violência sofrida por Mara Rúbia, como também das comissões parlamentares de inquérito designadas para tratar da exploração sexual de crianças e adolescentes e do trabalho infantil.

Disputou à reeleição para deputada federal durante as eleições de 2014, pelo DEM, dentro da coligação “A mudança que a gente vê”. Recebeu 41.802 votos e conseguiu ser reconduzida ao mandato.

No exercício do mandato, atuou como primeira coordenadora-adjunta da Coordenadoria dos Direitos da Mulher. Integrou comissões permanentes e especiais, além de comissões externas. No caso das comissões permanentes, foi a primeira vice-presidente da Comissão de Educação. Também serviu como titular das Comissões acerca dos Direitos Humanos; da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência e da Comissão de Seguridade Social e da Família. Quanto às comissões especiais, foi titular do projeto de lei n. 7.420, de 2006, relativo à responsabilidade educacional. Também foi titular das comissões constituídas para tratar da PEC n. 395, de 2014, sobre a gratuidade do ensino público; da PEC n. 134, de 2015 sobre a participação Feminina no Legislativo; do projeto de lei n. 7197, de 2002, acerca da revisão das medidas educacionais do ECA; da PEC n. 15, de 2015, que tem como objetivo tornar permanente o FUNDEB; e da Comissão especial sobre o projeto de lei n. 6.670, de 2016, centrado na política nacional de redução de agrotóxicos. Ainda foi titular da Comissão Externa sobre o acompanhamento e apuração de crimes de estupro e da comissão externa sobre o assassinato de Marielle Franco e Anderson Pedro Gomes.

Em 2018, concorreu à segunda reeleição, pelo DEM, dentro da coligação "Tocantins de Oportunidades”. Recebeu 48.008 votos e foi reconduzida à Câmara.

No exercício do mandato, migrou para o partido União Brasil (UNIÃO). Assumiu a Coordenadoria dos Direitos da Mulher e atuou junto à Secretaria da Mulher, além de fazer parte, como titular, do grupo de trabalho sobre o Combate à Violência Contra a Mulher. Integrou comissões permanentes e especiais, além de comissões externas e comissões parlamentares de inquérito. No caso das comissões permanentes, foi presidente da Comissão de Educação e titular da Comissão de Seguridade Social e da Família. Quanto às comissões especiais, atuou como titular da instituída para analisar a proposta de emenda constitucional n. 24, de 2019, sobre despesas de instituições federais de ensino; da designada para se pronunciar sobre a proposta de emenda constitucional n. 17, de 2019 relativo à questão dos dados pessoais; da criada para avaliar a proposta de emenda constitucional n. 135, de 2019, sobre cédulas fiscais para plebiscitos; da instituída para estudar a proposta de emenda constitucional n. 383, de 2017, acerca do Sistema Único de Assistência Social; da designada para tratar do projeto de lei n. 6461, de 2019, referente ao Estatuto do Aprendiz; e da constituída para examinar o projeto de lei n. 6494, de 2019, relativo à formação técnica profissional. Ainda foi titular da Comissão Externa sobre políticas para a primeira infância. 

Presidiu o Instituto de Educadores em Brasília em 2020.

Também atuou como Secretária da Educação e Cultura do Tocantins.

Casou-se com Fernando Rezende, ex-vereador.



Luiza de Araújo Farias (em colaboração)

Fontes:

Portal da Câmara dos Deputados (https://www.camara.leg.br). Acesso em: 27/03/2022. Portal da Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins (https://sapl.al.to.leg.br/). Acesso em: 27/03/2022. Portal do Tribunal Superior Eleitoral (https://divulgacandcontas.tse.jus.br/divulga/#). Acesso em: 27/03/2022. Portal do Diário Oficial do Estado do Tocantins (https://central3.to.gov.br/). Acesso em: 31/03/2022. Portal da Secretária de Comunicação do Governo do Estado de Tocantins (https://www.to.gov.br/secom). Acesso em: 27/03/2022. Portal do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Estado do Tocantins (https://sindare.com.br). Acesso em: 27/03/2022. Portal do CEPESP (http://shiny.cepesp.io/cepesp_carreiras/). Acesso em: 27/03/2022. Site Tribuna do Povo (https://www.tribunadopovoto.com.br/). Acesso em: 27/03/2022. Acesso em: 27/03/2022.





Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados