QUEIROS FILHO, ANTONIO DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: QUEIRÓS FILHO, Antônio de
Nome Completo: QUEIROS FILHO, ANTONIO DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
QUEIRÓS FILHO, ANTÔNIO DE

QUEIRÓS FILHO, Antônio de

*dep. fed. SP 1955-1957 e 1958-1959.

 

Antônio de Queirós Filho nasceu em Caconde (SP) no dia 14 de janeiro de 1910, filho de Antônio de Queirós e de Maria Eugênia Fernandes de Queirós.

Realizou os primeiros estudos no Colégio São Luís, em São Paulo, concluindo-os em 1926. Ingressou em seguida na Faculdade de Direito de São Paulo, pela qual se diplomou em 1931, realizando posteriormente um curso de especialização na Universidade de Paris.

Em 1950 ingressou na política, filiando-se ao Partido Democrata Cristão (PDC). Em 1953, quando da eleição de Jânio Quadros para a prefeitura de São Paulo na legenda do PDC, era o presidente do partido, que cresceu muito no estado graças à popularidade do novo prefeito. Em outubro do ano seguinte elegeu-se deputado federal por São Paulo e, assumindo o mandato em fevereiro de 1955, em março do mesmo ano tornou-se vice-líder de seu partido na Câmara. Ainda em 1955 irrompeu o Movimento do 11 de Novembro, liderado pelo general Henrique Teixeira Lott, ministro da Guerra demissionário, visando, segundo os seus articuladores, neutralizar uma conspiração em curso no governo e garantir a posse do presidente eleito Juscelino Kubitschek. O movimento provocou o impedimento do presidente da República Carlos Luz, em exercício, e empossou Nereu Ramos, vice-presidente do Senado, na chefia do governo. Pouco depois, Queirós Filho votou a favor da volta de João Café Filho, presidente licenciado, ao exercício do cargo, mas a maioria do Congresso decretou seu afastamento definitivo.

Licenciou-se da Câmara para assumir a Secretaria da Justiça e Negócios do Interior de São Paulo durante o governo de Jânio Quadros (1955-1959), ocupando o cargo de abril de 1957 a maio do ano seguinte. No pleito de outubro de 1958 candidatou-se a vice-governador de São Paulo, na legenda do PDC, não obtendo sucesso. De volta à Câmara dos Deputados, exerceu o mandato até o final da legislatura, em janeiro de 1959. Nomeado secretário de Educação de seu estado no governo de Carlos Alberto de Carvalho Pinto (1959-1963), exerceu em 1961 a presidência nacional do PDC.

No pleito de outubro de 1962 teve sua candidatura ao Senado apoiada também pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e aprovada pela Aliança Eleitoral pela Família (Alef), cujo programa defendia. A Alef era uma associação civil de âmbito nacional criada naquele ano em substituição à Liga Eleitoral Católica (LEC) com o objetivo de mobilizar o eleitorado católico para apoiar os candidatos comprometidos com os princípios sociais da Igreja. Sua atuação restringiu-se às eleições legislativas federais e estaduais e para o governo de alguns estados, realizadas em 7 de outubro de 1962. Entre as principais medidas propostas, figuravam a defesa da propriedade privada e da família, o combate ao divórcio, a crítica aos extremismos de esquerda e de direita, além de várias sugestões relativas à política econômica e cultural do país. Queirós Filho foi, contudo, derrotado por Auro de Moura Andrade, candidato da coligação constituída pelo Partido Social Democrático (PSD), o Partido de Representação Popular (PRP) e o Partido Social Progressista (PSP).

Professor, lecionou direito penal na Faculdade de Direito de São Paulo e na Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo. Advogado, foi promotor público em S. Paulo, procurador e subprocurador-geral da Justiça do estado e diretor-geral do Departamento de Presídios de São Paulo. Colaborador dos jornais O Estado de S. Paulo e A Gazeta, trabalhou também nos arquivos da Polícia Civil de São Paulo e tornou-se membro da Associação Paulista do Ministério Público, da Associação Paulista de Imprensa e do Instituto Brasileiro de Filosofia.

Faleceu no dia 8 de outubro de 1963.

Era casado com Zenaide César de Queirós, com quem teve uma filha.

Além de vários trabalhos jurídicos, publicou Caminhos humanos (ensaios e críticas, 1941).

 

FONTES: CAFÉ FILHO, J. Sindicato; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados federais. Inventário; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1946-1967); CÂM. DEP. Relação dos deputados; CÂM. DEP. Relação nominal dos senhores; Eleitos; Estado de S. Paulo (5/9/62); MELO, L. Dic.; NÉRI, S. 16; SILVA, H. 1932; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (7).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados