Paulo Rogério de Aquino (Paulo Serdan)

Entrevista

Paulo Rogério de Aquino (Paulo Serdan)

Entrevista realizada no contexto do projeto “Territórios do Torcer - uma análise quantitativa e qualitativa das associações de torcedores de futebol na cidade de São Paulo” desenvolvido pelo CPDOC em convênio com o Museu do Futebol e financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), entre março de 2014 e fevereiro de 2015. O projeto visa, a partir dos depoimentos cedidos, a publicação de um livro e a edição de um filme documentário sobre o tema.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: HOLLANDA, Bernardo Borges Buarque de; FLORENZANO, José Paulo (Org.) . Territórios do torcer: depoimentos de lideranças das torcidas organizadas de futebol. 1. ed. São Paulo: EDUC, 2019. v. 1. 391p .

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Bernardo Buarque de Hollanda
José Paulo Florenzano
Bruna Gottardo
Data: 25/11/2014
Local(ais):
São Paulo ; SP ; Brasil

Duração: 3h12min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Paulo Rogério de Aquino
Nascimento: 3/2/1967; São Paulo; SP; Brasil;

Formação: Primeiro Grau.
Atividade: Comerciante.

Equipe

Levantamento de dados: Raphael Piva Favalli Favero;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Raphael Piva Favalli Favero;

Transcrição: Maria Izabel Cruz Bitar;

Conferência da transcrição: Raphael Piva Favalli Favero;

Técnico Gravação: Carolina Soares Pires;

Temas

Agradecimentos;
Anos 1970;
Anos 1990;
Atividade profissional;
Clube de Regatas do Flamengo ;
Eleições;
Elites;
Esportes;
Eventos e comemorações esportivas;
Família;
Formação escolar;
Japão;
Mídia;
Mulher;
Polícia;
São Paulo;
São Paulo Futebol Clube ;
Sociedade Esportiva Palmeiras ;
Sucessão presidencial;
Torcidas de futebol;
Viagens e visitas;

Sumário

Entrevista 25.11.2014

Apresentações iniciais; a mãe e o pai Michel Serdan, lutador de luta livre e telecatch; a cidade natal São Paulo, no bairro da Vila Maria; a ida para a casa dos avós e a aproximação com o futebol; a formação escolar até a oitava série; o primeiro emprego como office-boy; a demissão por conta dos compromissos e brigas na torcida; os jogos de futebol na escola e o convite para um teste na Associação Portuguesa de Desportos; o tio jogador do São Paulo Futebol Clube; a primeira ida ao estádio em 1978, na final do Campeonato Brasileiro; a escolha pela torcida Inferno Verde; as torcidas da Sociedade Esportiva Palmeiras no final dos anos 1970; torcedores símbolos das torcidas organizadas; a relação com o clube do Palmeiras; a primeira caravana para Campinas contra a Ponte Preta; o processo da criação da torcida Mancha Verde; a mudança do símbolo do Palmeiras de periquito para porco; o primeiro presidente da Mancha, Dorival Menezes; a saída de Dorival após uma briga com o Sport Club Corinthians Paulista; a eleição de Nelson Ferraz da Silva Barros (Atibaia); Cleofas Sóstenes Dantas da Silva (Cléo) e a criação de alianças entre torcidas; o episódio da briga contra a torcida do Cruzeiro Esporte Clube uma semana após o assassinato de Cléo; as ameaças que Cléo sofria e o dia do assassinato; as sedes da Mancha Verde; a torcida na década de 90; a escolha de liderança após a morte de Cléo; a explosão de popularidade da Mancha enquanto estava na presidência; os impactos do crescimento do clube como marca; o episódio da briga em 1995 entre Palmeiras e São Paulo Futebol Clube; a ida da Mancha para escola de samba; os efeitos do fim da torcida organizada; a mídia depois da briga de 1995 e o episódio da ida ao batalhão da PM; o afastamento da torcida em 2005 e a aproximação do samba; a experiência como presidente da escola de samba; a relação com o clube enquanto presidente de torcida organizada e as cobranças; a presença da torcida nas decisões do clube; a relação entre clube e torcida nos anos 1980 e 1990; o conflito entre Mancha e Torcida Uniformizada do Palmeiras (TUP) no período da eleição de Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo; vivências no período de inauguração do Allianz Parque (Arena Palestra Itália) e relação com a WTorre Empreendimentos Imobiliários S.A.; o preço dos ingressos da Arena e elitização da torcida; a participação da Mancha Verde no Conselho Deliberativo do Palmeiras; a participação feminina dentro da Mancha; a rivalidade com o Clube de Regatas do Flamengo; opiniões sobre um possível código entre as torcidas; a rivalidade das torcidas refletida nas escolas de samba; as escolhas dos enredos da escola de samba; perspectivas para o desfile de 2016; a derrota do Palmeiras em Bragança, 1989; a experiência no jogo do Palmeiras no Japão e o encontro com os Hooligans; agradecimentos finais.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados