Wildner D’Paula Rocha (Pulguinha)

Entrevista

Wildner D’Paula Rocha (Pulguinha)

Entrevista realizada no contexto do projeto “Territórios do Torcer - uma análise quantitativa e qualitativa das associações de torcedores de futebol na cidade de São Paulo” desenvolvido pelo CPDOC em convênio com o Museu do Futebol e financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), entre março de 2014 e fevereiro de 2015. O projeto visa, a partir dos depoimentos cedidos, a publicação de um livro e a edição de um filme documentário sobre o tema.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: HOLLANDA, Bernardo Borges Buarque de; FLORENZANO, José Paulo (Org.) . Territórios do torcer: depoimentos de lideranças das torcidas organizadas de futebol. 1. ed. São Paulo: EDUC, 2019. v. 1. 391p .

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Bernardo Buarque de Hollanda
Bruna Gottardo
Aira Fernandes Bonfim
Data: 10/2/2015
Local(ais):
São Paulo ; SP ; Brasil

Duração: 3h39min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Wildner D’Paula Rocha
Nascimento: 10/4/1978; São Paulo; SP; Brasil;

Formação: Ensino Médio
Atividade: Coordenador de Projetos

Equipe

Levantamento de dados: Raphael Piva Favalli Favero;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Raphael Piva Favalli Favero;

Técnico Gravação: Thiago Augusto Esteves Kunis; Ninna Carneiro;

Temas

Anos 1980;
Argentina;
Bolívia;
Brasília;
Club de Regatas Vasco da Gama;
Clube de Regatas do Flamengo ;
Copa do Mundo;
Esportes;
Eventos e comemorações esportivas;
Família;
Fluminense Football Club;
Infância;
Liderança política;
Movimento dos Sem Terra (MST);
Movimentos sociais;
Polícia;
Projetos culturais;
Promotoria pública;
Reforma agrária;
Região Sul;
Rio de Janeiro (cidade);
Santos Futebol Clube;
São Paulo;
Segurança pública;
Torcidas de futebol;
Viagens e visitas;
Violência;

Sumário

Entrevista 10.02.2015

Apresentações iniciais; as origens na Zona Leste de São Paulo; a família e o avô corinthiano; as idas ao Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu) na infância e a introdução ao universo futebolístico; os primeiros jogos e a filiação à Gaviões da Fiel; a participação no departamento de bandeiras da Gaviões; a função do entrevistado na torcida atualmente; o trabalho em um projeto cultural para organização da história da Gaviões; as grandes referências da torcida nos anos 1980; a conciliação entre estudos e torcida; as viagens de caravana com a torcida; a relação com a Torcida Jovem do Flamengo, a primeira briga e o desgaste da relação; o início da relação com a torcida do Fluminense Football Club, “Young Flu”; relação com a torcida do Botafogo de Futebol e Regatas; episódio da briga entre as torcidas do Santos Futebol Clube e do Botafogo; a fundação da Fúria Jovem do Botafogo; o papel da Gaviões na relação das torcidas do Flamengo e Botafogo; o início da Confederação Nacional das Torcidas Organizadas (Conatorg) e o diálogo com o Ministério dos Esportes; o movimento “Fora Ricardo Teixeira”; a estrutura da Conatorg; desmobilização da Conatorg; a volta da Associação das Torcidas Organizadas de São Paulo (Atoesp) em 1995; a fundação do Movimento de Torcidas Organizadas (MTO) em 2002; o diálogo com a Mancha Verde; o desempenho das lideranças das torcidas; a relação das torcidas com a promotoria pública e Paulo Castilho; a falta de eficiência do Termo de Ajustamento de Conduta; o trabalho preventivo entre torcidas antes dos jogos e viagens; o funcionamento das sub-sedes da Gaviões; o método de distribuição e compra dos ingressos; os vieses do Campeonato Paulista; a mudança do público nos jogos; a má experiência nos jogos no Rio de Janeiro; a experiência nas caravanas para a região Sul; a relação da Gaviões com as outras torcidas do Corinthians; a relação com as sub-sedes de outros estados; o período na presidência da Gaviões; o irmão Tonhão; a intervenção no Corinthians; a cultura de violência do futebol e o impacto efêmero da Copa nas forças policiais; a criação da Câmara técnica do desporto no Procon; o papel do Estado na organização das torcidas e na prevenção da violência; o caso da briga entre Corinthians e Club Atlético River Plate em 2006; a Gaviões no pleito político; a atuação na Câmara Municipal e o envolvimento no projeto em Francisco Morato junto com Raimundo César Faustino (Capá); o caso do jogo entre Club de Regatas Vasco da Gama e Corinthians na arena nova em Brasília na final da Copa do Brasil em 2002; relato do último jogo que atuou como liderança; a organização da viagem para a Argentina em 2013; o episódio com o sinalizador na Bolívia; a popularidade da Gaviões entre as torcidas; a Gaviões como um instrumento politizador, social e de formação pessoal; o envolvimento com o MST, reforma agrária e movimentos sociais; o movimento do Passe Livre; a relação com o clube; a Gaviões e o carnaval de São Paulo; os títulos da Gaviões nos carnavais; o reflexo do clima de tensões do futebol nos desfiles de carnaval e a importância da prevenção de violência.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados