ARVENGAS, GILBERTO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ARVENGAS, Gilberto
Nome Completo: ARVENGAS, GILBERTO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ARVENGAS, GILBERTO

ARVENGAS, Gilberto

*diplomata francês; emb. França no Brasil 1949-1953.

Gilbert Arvengas nasceu em Bourges, na França, no dia 10 de março de 1892.

Formado em direito pela Universidade de Paris e diplomado pela Escola de Altos Estudos Comerciais, ingressou em maio de 1920 na carreira diplomática, passando a servir no Setor de Comunicações do Ministério das Relações Exteriores. Em novembro do mesmo ano transferiu-se para o Serviço de Informações e Imprensa na função de redator e em outubro de 1921 foi enviado a Alexandria, no Egito, como vice-cônsul. Designado em dezembro de 1923 cônsul de terceira classe, em março de 1925 foi transferido para Berlim, como terceiro-secretário de embaixada. Em abril de 1928 foi promovido a cônsul de segunda classe e em dezembro de 1930 passou a segundo-secretário de embaixada, sempre em Berlim.

Removido em maio de 1933 para Varsóvia, na Polônia, como primeiro-secretário de embaixada, foi promovido em janeiro do ano seguinte a cônsul de primeira classe. Em abril de 1935, tornou-se encarregado-geral do consulado em Hamburgo e Bremen, na Alemanha, e em dezembro de 1937, cônsul-geral da França nessas cidades. Em janeiro de 1939 regressou a Paris para chefiar uma seção no Serviço de Informações e Imprensa do Ministério das Relações Exteriores. Promovido em agosto ainda de 1939 a cônsul de primeira classe, chefiou em caráter provisório, de janeiro a outubro de 1940, o consulado francês em Lausanne, na Suíça, sendo em seguida transferido para o México como enviado especial e ministro plenipotenciário. Em fevereiro de 1941 foi promovido a ministro plenipotenciário de segunda classe, ainda nesse país, e em dezembro foi posto em disponibilidade.

Em agosto de 1942 ligou-se ao Comitê Francês de Libertação Nacional (CFLN), movimento liderado pelo general Charles de Gaulle a partir de Londres com o objetivo de organizar na França a resistência à ocupação alemã. Em conseqüência, o governo colaboracionista do marechal Pétain, sediado em Vichy, França, destituiu-o das funções diplomáticas. Em julho do ano seguinte atuou como delegado do CFLN em Santiago, no Chile.

Depois da libertação da França em agosto de 1944, foi promovido em abril de 1945 a ministro de primeira classe, retornando a Paris em fevereiro do ano seguinte para exercer interinamente as funções de diretor-geral de relações culturais do Ministério das Relações Exteriores. Deixando esse cargo, foi designado em abril de 1946 para servir como enviado extraordinário e ministro plenipotenciário no Cairo, Egito, tornando-se, em novembro do mesmo ano, embaixador da França naquele país.

Em outubro de 1949 foi comissionado embaixador da França no Brasil em substituição a Hubert Guérin, sendo promovido em janeiro de 1951 a ministro extraclasse. Foi transferido em outubro de 1953 para Lisboa como embaixador em Portugal, cargo no qual permaneceu até 1955, quando se aposentou.

Ao longo de sua vida foi ainda administrador da Sociedade das Águas Minerais de Vittel, na França, e membro do Círculo da União e da União Interaliada.

Casou-se com Simone Bouloumié, com quem teve três filhos.

FONTES: CORRESP. EMB. FRANÇA; International Who’s who; Who’s who in France.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados