DARCISIO PAULO PERONDI

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PERONDI, Darcísio
Nome Completo: DARCISIO PAULO PERONDI

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PERONDI, DARCÍSIO

PERONDI, Darcísio

*dep. fed. RS 1995-.

Darcísio Paulo Perondi nasceu em Ijuí (RS), no dia 2 de abril de 1947, filho de João Perondi e de Antônia Perondi. Seu irmão Emídio Perondi foi deputado federal pelo Rio Grande do Sul entre 1979 e 1987.

Formou-se em medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 1974. Iniciou, em seguida, o curso de pós-graduação em puericultura e pediatria daquela universidade, concluído em 1976.

No ano seguinte, tornou-se médico pediatra do Serviço Público Federal em sua cidade natal, onde trabalhou também no Hospital de Caridade por quase 20 anos. Em 1986, assumiu a presidência da Associação de Hospitais de Caridade de Ijuí e, a partir de 1989, foi presidente de várias Santa Casa e hospitais filantrópicos no Rio Grande do Sul.

Em 1993, iniciou a vida política no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), legenda pela qual elegeu-se deputado federal em outubro do ano seguinte, com os votos de sua base eleitoral nos municípios gaúchos de Santa Rosa, Missões, Celeiro e Planalto. Empossado em fevereiro de 1995, integrou como titular a Comissão de Viação e Transportes, e a Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, primeiro como suplente e depois titular.

Nas votações das emendas constitucionais enviadas ao Congresso Nacional pelo Executivo durante o ano de 1995, acompanhou quase sempre a orientação da base parlamentar governista, votando a favor da abertura da navegação de cabotagem às embarcações estrangeiras, da revisão do conceito de empresa nacional e do fim do monopólio estatal nas telecomunicações, na exploração do petróleo e na distribuição do gás canalizado pelos governos estaduais. Foi contrário, apenas, à prorrogação do Fundo de Estabilização Fiscal (FEF), criado na legislatura anterior com o nome de Fundo Social de Emergência (FSE), e que serviu de fonte de financiamento para o plano de estabilização econômica do governo.

Em julho de 1996 — ano em que participou dos trabalhos legislativos como suplente na Comissão de Agricultura e Política Rural da Câmara — defendeu a aprovação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), que substituiu o Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), proposto pelo então ministro da Saúde, Adib Jatene, para aumentar os recursos destinados ao setor. Ainda em 1996, Perondi foi um dos coordenadores da Frente Parlamentar da Saúde, formada por cerca de 80 deputados de todos os partidos.

Em fevereiro de 1997, sempre fiel às propostas do governo, Perondi manifestou-se favoravelmente à emenda que instituiu a reeleição para prefeitos, governadores e presidente da República. Em novembro, aprovou também o destaque ao projeto de reforma administrativa do Executivo que permitiu a demissão de servidores por insuficiência de desempenho ou por excesso de gastos com pessoal, acabando assim com a estabilidade no serviço público.

Na eleição de outubro de 1998, reelegeu-se deputado federal na coligação formada pelo PMDB, pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) e pelo Partido da Frente Liberal (PFL), além de outras agremiações menores.

Em novembro seguinte, absteve-se de votar o destaque da reforma da previdência que propôs o estabelecimento de um teto para as aposentadorias do funcionalismo público e foi favorável à adoção dos critérios de idade mínima e de tempo de contribuição na concessão dos benefícios para os trabalhadores da iniciativa privada. Assumiu seu novo mandato na Câmara em fevereiro de 1999, e nesse mesmo ano assumiu a vice-liderança do Governo na Câmara..

Em 2002 foi reeleito deputado federal. Na nova legislatura, iniciada em fevereiro de 2003, foi representante na Missão Governamental e Empresarial do Rio Grande do Sul à República Popular da China, em junho.

Conquistou novo mandato nas eleições para a Câmara, em 2006, sempre pelo PMDB. Na legislatura iniciada em fevereiro do ano seguinte, ocupou o cargo de vice-líder do bloco que reuniu o PMDB, o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), o Partido WSocial Cristão (PSC) e o Partido Trabalhista Cristão (PTC). Também tornou-se membro titular das Comissões de Seguridade Social e Família e Mista de Orçamento.

Foi presidente da Frente Parlamentar da Saúde e membro das Frentes Parlamentares Ambientalista, de Apoio à Agropecuária.

Darcísio Perondi casou-se com Regina Heurich Perondi, com quem teve dois filhos.

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1995-1999); Estado de S. Paulo (10/10 e 11/11/98 e 2/2/99); Folha de S. Paulo (31/1/95, 14/1/96, 30/1/97, 5/2 e 29/9/98); Jornal do Brasil (4/6/96); TRIB. REG. ELEIT. RS. Candidatos (1998); Portal da Câmara dos Deputados (http://www.camara.gov.br; acessado em 27/11/2009); Portal do Deputado Darcísio Perondi (http://darcisioperondi.com; acessado em 27/11/2009); Portal do PMDB (http://www.pmdb.org.br; acessado em 28/11/2009)..

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados