FERREIRA, LUIS LEAL

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FERREIRA, Luís Leal
Nome Completo: FERREIRA, LUIS LEAL

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FERREIRA, Luís Leal

FERREIRA, Luís Leal

* militar; comte  IV DN 1980-1983; comte I DN 1983-1984; comte-em-ch Esq. 1984; min. STM 1987-1996.

 

                Luís Leal Ferreira nasceu no dia 14 de dezembro de 1926 no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, filho de César Leal Ferreira e Zoé Resende Leal Ferreira.

                Ingressou na Escola Naval em abril de 1943, saindo guarda-marinha em janeiro de 1947. Em fevereiro do ano seguinte foi promovido a segundo-tenente, em março de 1950 a primeiro-tenente e em março de 1953 a capitão-tenente. Chefe de departamento do contratorpedeiro Amazonas em julho 1957, foi promovido a capitão-de-corveta, tornou-se instrutor de guardas-marinha do navio-escola Duque de Caxias e, em seguida, instrutor do curso de comunicações para oficiais.     Assistente da Inspetoria-Geral da Marinha em outubro de 1958, assumiu o comando da Estação Rádio do Pina, em Recife, em abril de 1959, e foi transferido para o Subgabinete Militar da Presidência da República em março de 1961. Tornou-se comandante do contratorpedeiro Bracuí em maio de 1963, foi promovido a capitão-de-fragata em outubro e transferido, em dezembro, para o Instituto de Pesquisas da Marinha, onde passou a ser chefe de departamento.

                Oficial de gabinete do Estado-Maior da Armada em fevereiro de 1965, foi designado comandante do contratorpedeiro Pará em agosto do ano seguinte. Em janeiro de 1968 foi alçado a comandante de estado-maior da Força de Contratorpedeiros e, em outubro seguinte, nomeado adido naval da embaixada brasileira no Panamá. Em março de 1969 foi promovido a capitão-de-mar-e-guerra, e em janeiro de 1971 retornou ao Brasil, designado vice-diretor da diretoria de comunicações e eletrônica da Marinha.

                Comandou o 1° Esquadrão de Contratorpedeiros entre fevereiro de 1972 e dezembro de 1973, quando foi encarregado da subchefia de comunicação do Comando de Operações Navais. Em janeiro de 1975 assumiu a chefia do estado-maior do comando do I Distrito Naval. Promovido a contra-almirante em março desse ano, fez o curso de estado-maior e comando das forças armadas na Escola Superior de Guerra (ESG).

                Assumiu, em abril de 1977, o comando da Força de Contratorpedeiros, onde permaneceu até maio de 1979, quando tornou-se diretor de ensino da Marinha, sendo promovido, em julho seguinte, a vice-almirante. Substituiu o vice-almirante José Calvente Aranda como comandante do IV Distrito Naval (Belém) em janeiro de 1980 e, ao deixar o IV DN, foi substituído pelo vice-almirante Mário Jorge da Fonseca Hermes. Em janeiro de 1983 foi transferido para o comando do I Distrito Naval, no Rio de Janeiro, em substituição ao vice-almirante Henrique Sabóia, permanecendo por um ano no cargo, que passou a ser ocupado pelo também vice-almirante Valter Faria Maciel. Foi nomeado comandante-em-chefe da esquadra brasileira em janeiro de 1984, no lugar do almirante Henrique Sabóia.

                Promovido a almirante-de-esquadra em julho de 1984, foi designado secretário-geral da Marinha em setembro deste ano. Em abril de 1985 tornou-se diretor-geral de Navegação, cargo que passou a acumular com o de comandante de Operações Navais a partir deste mesmo mês. Substituiu o almirante Artur Ricart da Costa na chefia do Estado-Maior da Armada em maio de 1986, e foi substituído pelo almirante Mário Jorge da Fonseca Hermes ao ser nomeado ministro do Supremo Tribunal Militar (STM) em abril de 1987. Tornou-se ministro-presidente do STM em março de 1995, cargo em que permaneceu até dezembro de 1996, quando passou para a reserva por ter atingido a idade limite de 70 anos. Seu lugar foi ocupado pelo ministro Antônio Carlos Seixas Teles, primeiro juiz togado a exercer a presidência da casa.

                Fez também os cursos de comando da Escola de Guerra Naval (EGN), superior de guerra da EGN e superior de guerra da ESG.

                Casou-se com Lígia Maria Bacelar Leal Ferreira, com quem teve quatro filhos.

 

FONTE: CURRIC. BIOG.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados