FLAVIO MIRAGAIA PERRI

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PERRI, Flávio
Nome Completo: FLAVIO MIRAGAIA PERRI

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PERRI, FLÁVIO

PERRI, Flávio

*diplomata; sec. nac. Meio Ambiente 1992.

 

Flávio Miragaia Perri nasceu na cidade de Barigui (SP) no dia 1º de dezembro de 1940, filho de Rolando Perri e de Benedita Miragaia Perri.

Iniciou seus estudos no Instituto de Educação Manuel Bento da Cruz, em Araçatuba (SP), passando depois pelos colégios Dante Alighieri e Bandeirantes, ambos na capital paulista. Bacharelou-se em direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), no ano de 1964. Em 1966, iniciou o curso de preparação à carreira diplomática do Instituto Rio Branco, encerrando a sua formação no ano seguinte, quando obteve a Medalha Rio Branco pela segunda colocação na turma de formandos de 1967.

Entre 1972 e 1974, ocupou o cargo de secretário na missão do Brasil junto aos organismos internacionais sediados em Genebra, Suíça. Nesse período, foi delegado do Brasil em reuniões da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (1972-1974), na Conferência do Comitê de Desarmamento (1973-1974) e na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em 1973. Coordenador de assuntos administrativos e de cooperação da Secretaria-Geral das Relações Exteriores, de 1974 a 1977, posteriormente foi secretário na embaixada do Brasil na França (1977-1978), coordenador de assuntos políticos no gabinete do ministro das Relações Exteriores (1978-1984), ministro-conselheiro na embaixada do Brasil na Itália (1984-1987) e ministro-conselheiro na missão do Brasil junto à ONU, em Nova Iorque (1987-1991). Chefiou a delegação brasileira em sessões da Comissão da ONU sobre Usos Pacíficos do Espaço Exterior, entre 1988 e 1991. Nesse último ano, durante a segunda visita do papa João Paulo II ao Brasil, presidiu a comissão nacional organizadora do evento.

Participou da organização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92), ocorrida na cidade do Rio de Janeiro entre os dias 3 e 14 de junho de 1992, na condição de secretário-geral do grupo de trabalho nacional, responsável pelo suporte operacional do evento. Em colaboração com o então governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, e do prefeito da cidade, Marcelo Alencar, o grupo de trabalho verificou as condições de segurança dos locais onde se daria a conferência, dividindo as atenções entre a parte oficial, ocorrida no centro de convenções do Riocentro, e o Fórum Global que reuniu, paralelamente, cerca de 1.800 organizações não governamentais (ONGs) no aterro do Flamengo. Ainda nesse ano, presidiu o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

No governo do presidente Fernando Collor de Melo, ocupou a secretaria nacional do Meio Ambiente entre julho e outubro de 1992, após a saída de José Goldemberg, que substituíra de forma interina a José Lutzenberger. Deixou o cargo em virtude da crise que envolveu o presidente Collor, acusado de envolvimento num amplo esquema de corrupção no interior do governo, comandado por Paulo César Farias, ex-tesoureiro de sua campanha presidencial. Afastado da presidência logo após a votação da abertura do processo de impeachment na Câmara, renunciou ao mandato em 29 de dezembro de 1992, horas antes da conclusão do processo pelo Senado, que decidiu pelo seu impedimento. Foi então efetivado na presidência da República o vice Itamar Franco, que já vinha exercendo o cargo interinamente desde 2 de outubro.

A convite do governador do Rio de Janeiro, Marcelo Alencar (1995-1998), Flávio Perri ocupou a Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Posteriormente, foi o titular da Secretaria Estadual de Projetos Especiais.

Em 1997, esteve novamente à frente da comissão nacional organizadora da terceira visita do papa João Paulo II ao Brasil. No ano seguinte, foi designado cônsul-geral do Brasil em Nova Iorque, cargo que exerceu até 2002. Em 2003, foi nomeado embaixador e representante do Brasil na Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), com sede em Roma, na Itália.

Em 2005, a convite do presidente Luís Inácio Lula da Silva, tornou-se cônsul do Brasil em Londres, na tentativa de esclarecer o assassinato do imigrante brasileiro Jean Charles de Menezes, que foi confundido com um terrorista árabe envolvido em uma série de atentados contra as estações de metrô de Londres.

Casou-se com Maria Luísa Martinho da Rocha Perri, com quem teve dois filhos.

Publicou Atentados em Nova York e os Interesses Internacionais (2002).

 

FONTES: CURRIC. BIOG.; Globo (9/6/09).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados