FRANCISCO DE SA LESSA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: LESSA, Sá
Nome Completo: FRANCISCO DE SA LESSA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
LESSA, SÁ

LESSA, Sá

*pres. CVRD 1952-1961; pref. DF 1955-1956.

 

Francisco de Sá Lessa nasceu em Diamantina (MG) no dia 20 de maio de 1887, filho de Gustavo Soares de Vasconcelos Lessa e de Jacinta de Sá Lessa.

Após concluir os primeiros estudos em Minas Gerais, transferiu-se para o Rio de Janeiro, então Distrito Federal, a fim de cursar a Escola Politécnica, pela qual se diplomou em engenharia civil em 1914. Permaneceu ligado à escola depois de formado, exercendo aí as funções de preparador e assistente.

Inspetor-geral de Iluminação do Rio de Janeiro entre 1922 e 1930, foi seu diretor-geral de 1940 a 1943. Nesse período substituiu o sistema de iluminação a gás e com lâmpadas de arco por sistema mais moderno.

Catedrático de química industrial da Escola Politécnica do Rio de Janeiro, além de seu diretor por dois períodos consecutivos a partir de 1951, tornou-se no ano seguinte presidente da Companhia Vale do Rio Doce, em substituição a Juraci Magalhães. Permaneceria à frente da empresa estatal de mineração até janeiro de 1961, quando foi substituído por Eliézer Batista da Silva. No exercício do cargo, dirigiu a comissão de vendas e minérios, dedicando-se ao estudo das questões técnicas relativas ao aumento da capacidade de produção, transporte e exportação do minério de ferro de Itabira (MG), bem como da questão comercial referente à colocação desse minério nos mercados consumidores internacionais em condições mais favoráveis.

Enquanto presidente da CVRD, foi nomeado, em 1955, pelo presidente da República Nereu Ramos, para substituir o prefeito interino do Distrito Federal, Eitel de Oliveira Lima, que ocupava o cargo desde a saída de Alim Pedro. Exerceu a função até março de 1956, já no início do governo de Juscelino Kubitschek, quando foi substituído pelo embaixador Francisco Negrão de Lima. Durante sua breve gestão assinou importantes projetos, dos quais se concretizaram mais tarde o do alargamento da avenida Atlântica e o da construção da avenida Perimetral e dos túneis Freire Alvim e Major Rubens Vaz, em Copacabana. Ordenou ainda o início dos estudos para a criação da Companhia do Metropolitano.

Diretor da Itambé — Administração de Bens Próprios em 1972, Sá Lessa foi membro do conselho curador da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), do Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq), da Liga de Defesa Nacional, da Associação Brasileira de Educação e da Fundação Politécnica. Pronunciou conferências sobre tecnologia e, como representante do Brasil, participou do International Illuminations Congress, realizado nos EUA.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 26 de junho de 1977.

Era casado com Déia de Sá Lessa, com quem teve três filhos.

Publicou O ensino moderno da química, Aspectos da cultura americana (em colaboração), O que deve ser o ensino da engenharia no Brasil, A destilação da madeira, Indústrias de nitratos do ácido nítrico e O ensino moderno de química e a indústria química brasileira.

 

 

FONTES: CONSULT. MAGALHÃES, B.; CORRESP. GOV. EST. GB; CORTÉS, C. Homens; COUTINHO, A. Brasil; Grande encic. Delta; Jornal do Brasil (27 e 28/7/77): REIS, J. Rio; SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem; Who’s who in Brazil (5).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados