GONÇALVES, Antonio Lisboa Mena

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GONÇALVES, Antonio Lisboa Mena
Nome Completo: GONÇALVES, Antonio Lisboa Mena

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FRAGOSO, JOÃO CARLOS

GONÇALVES, Antônio Lisboa Mena

*diplomata; emb. Bras. Bolívia 2003-2006.

 

Antônio Lisboa Mena Gonçalves nasceu em Niterói (RJ) no dia 3 de fevereiro de 1947, filho de Zózimo da Costa Mena Gonçalves e Ozilda Lisboa Mena Gonçalves.

Graduado em língua inglesa pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Federal Fluminense, em Niterói, em 1967, foi professor na Sociedade Brasileira de Cultura Inglesa, no ano seguinte. Ingressou no curso de preparação à carreira de diplomata do Instituto Rio Branco em 1968, tornando-se terceiro-secretário em fevereiro de 1970. No mesmo ano, foi nomeado assessor na Divisão da Europa Ocidental e, em 1971, assumiu o posto de terceiro-secretário e encarregado de negócios na embaixada em Ancara. Atuou como auxiliar na Divisão da Europa Ocidental, em 1972.

Promovido a segundo-secretário em 1º de janeiro de 1973, foi nomeado auxiliar no Departamento da Europa. No ano seguinte, assumiu os postos de cônsul-adjunto e encarregado do Consulado-Geral em Milão, sendo removido para a embaixada em La Paz em 1977. Recebeu nova promoção, dessa vez a primeiro-secretário, em 2 de março de 1979. No mesmo ano, trabalhou como assistente e chefe substituto na Divisão de Programas de Promoção Comercial.

Em 1983, bacharelou-se em direito pela Universidade de Brasília, Distrito Federal, sendo promovido a conselheiro em dezembro do mesmo ano. Em 1984, foi assessor no Departamento de Promoção Comercial e, em 1985, foi transferido para a embaixada de Washington. Atuou como conselheiro e encarregado de negócios na embaixada em Caracas e foi chefe de delegação do GT Brasil-Venezuela sobre cooperação para a construção da rodovia BR-174, Caracas, em 1988.

Em 1989, realizou o curso de altos estudos do Instituto Rio Branco e escreveu o trabalho O Sistema Brasileiro de Controle das Exportações de Material de Emprego Militar: Origens, evolução e reflexões sobre possíveis aperfeiçoamentos. No ano seguinte, foi chefe de delegação no XXII Período de Sessões da Comissão Econômica para a América Latina, em Caracas, e secretário substituto na Secretaria de Informações do Exterior. Promovido a ministro de segunda classe em junho de 1993, foi, em seguida, nomeado assessor especial do subsecretário-geral de Planejamento Político e Econômico. Assumiu o posto de ministro-conselheiro e encarregado de negócios na embaixada em Washington, em 1994, onde permaneceu até sua transferência para o posto de diretor-geral do Departamento das Américas, em 1999. Em junho de 2000, foi promovido a ministro de primeira classe e, em seguida, tornou-se chefe de delegação da reunião do Conselho de Cooperação Amazônica, em Caracas. Nos anos seguintes, trabalhou também como chefe de delegação na VI Reunião da Comissão de Vizinhança Brasil-Colômbia, Rio de Janeiro (2001), e na Reunião do Conselho de Cooperação Amazônica, Santa Cruz de la Sierra (2002).

Em 2003, foi nomeado embaixador na Bolívia, onde permaneceu até a sua remoção para a embaixada em Estocolmo, em 2006. No mesmo ano, foi também nomeado embaixador na Letônia, cumulativamente.

 

FONTE: MIN. REL. EXT. Anuário (2008).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados