João Batista dos Santos

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GRANDÃO, João
Nome Completo: João Batista dos Santos

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

GRANDÃO, João

*dep.fed. MS 1999-2007

 

João Batista dos Santos nasceu em Rinópolis (SP) no dia 26 de dezembro de 1959, filho de José Francisco dos Santos e Terezinha dos Santos.

Bancário e professor, ingressou na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) em 1981, graduando-se em História três anos depois. Durante o curso universitário trabalhou no banco HSBC. Em 1985, foi aprovado em concurso público e tornou-se professor da Secretaria Municipal de Educação de Dourados (MS). Em 1993, formou-se em Direito pela Universidade Integrada de Dourados. Especializou-se em História da América Latina, na UFMS, no ano seguinte, passou a atuar como professor substituto da UFMS.

Ingressou na carreira política em 1992, ao filiar-se ao Partido dos Trabalhadores (PT). Em 1996, obteve seu primeiro cargo eletivo, elegendo-se vereador do município de Dourados (MS).

No pleito de 1998, foi eleito deputado federal pelo Mato Grosso do Sul. Em 2001, participou da I Conferência Mundial Contra o Racismo, Xenofobia e Intolerâncias Correlatas das Nações Unidas, em Durban, na África do Sul.

Em 2002, reelegeu-se deputado federal com 53.901 votos. Como parte das atividades parlamentares, a partir de 2003, foi segundo vice-presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural e da Comissão Especial sobre a Adição da Farinha de Mandioca, criada para discutir projeto de lei que tornava obrigatória a adição de farinha de mandioca à farinha de trigo com objetivo de reduzir a dependência econômica da importação de trigo. Apesar do parecer favorável da Comissão ao projeto, o presidente Lula vetou-o dois anos depois. Foi ainda presidente da Comissão Especial da Alienação de Terras e membro titular da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização e da Comissão Representativa do Congresso Nacional. Além disso, participou da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Morte de Crianças Indígenas por Desnutrição.

Em agosto de 2006, foi citado no relatório final da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) "das Ambulâncias" como um dos 69 deputados supostamente envolvidos em esquema de propina e fraude na compra de ambulâncias e equipamentos hospitalares. A Operação Sanguessuga, nome da investigação empreendida pela Polícia Federal que deu origem a CPMI, tinha por objetivo esclarecer denúncias de desvio de recursos públicos feitas pela Controladoria Geral da União contra parlamentares da Câmara dos Deputados, funcionários do Ministério da Saúde e empregados da empresa Planam. Os processos administrativos foram arquivados. No entanto, João Grandão foi indiciado pela Polícia Federal por recebimento de propina, junto com outros 16 deputados, embora tenha alegado inocência.

Nas eleições de outubro do mesmo ano, candidatou-se a reeleição e foi eleito como suplente, com 41.516 votos. Deixou a Câmara ao findar seu mandato, em janeiro de 2007.

Em 2008, organizou o livro Dourados Cada Vez Melhor com textos de diversos autores, em sua maioria secretários municipais, sobre o desenvolvimento do município.

Em 2010 concorreu ao cargo de Deputado Federal e obteve uma suplência. Em dezembro de 2011 tomou posse no cargo de delegado federal do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), passando a responder pelas políticas públicas e ações do Governo Federal na área de reforma agrária e assuntos fundiários. Junto com o senador Delcídio do Amaral criou o “Territórios da Cidadania”, projeto criado para fortalecer a agricultura familiar em municípios do interior do estado.

Em janeiro de 2012 a Justiça Federal aceitou a ação contra o ex-deputado federal e mais 18 pessoas, pelo envolvimento com a Máfia das Ambulâncias.

Casou-se com Valdemir dos Santos.

 

 

FONTES: Jornal Folha de São Paulo (20/07/2006); Jornal Tribuna (13/02/2007); Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www.camara.gov.br>. Acesso em 20/02/2009; Portal Dourados Informa. Disponível em: <http://www.douradosinforma.com.br>. Acesso em 23/03/2009; Portal G1 de Notícias. Disponível em: <http://g1.globo.com.>. Acesso em 18/03/2009; Portal do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul. Disponível em: <http://www.ms.gov.br>. Acesso em 23/03/2009; Portal do jornal Campo Grande News. Disponível em: <http://www.campograndenews.com.br>. Acesso em 13/08/2013; Portal do jornal Jatoba News. Disponível em: <http://jatobanews.com.br>. Acesso em 13/08/2013; Portal do Jornal Tribuna News. Disponível em: <http://www.atribunanews.com.br>. Acesso em 13/08/2013; Portal pessoal de Delcídio do Amaral. Disponível em: <http://www.delcidio.com.br>. Acesso em 13/08/2013; Portal da Prefeitura Municipal de Dourados. Disponível em: <http://www.dourados.ms.gov.br>. Acesso em 23/03/2009; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.jus.br >. Acesso em 20/02/2009 e 13/08/2013.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados