GRAU, Eros

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GRAU, Eros
Nome Completo: GRAU, Eros

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BARRETO, Lima

GRAU, Eros

* magistrado; min. STF 2004-

 

Eros Roberto Grau nasceu em Santa Maria (SP) no dia 19 de agosto de 1940, filho de Werner Grau e de Dalva Couto Grau. Seu pai foi funcionário do Ministério da Fazenda, idealizador da Escola Superior de Administração Fazendária (Esaf) e consultor do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Em razão das constantes transferências do pai, fez os estudos primários e secundários em diversos estabelecimentos de ensino do país, até fixar-se em São Paulo, onde ingressou na Faculdade de Direito do Instituto Mackenzie. Formou-se em ciências jurídicas e sociais em 1963, e logo passou a exercer a advocacia.

Em 2004, foi indicado pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva – a quarta indicação em seu primeiro mandato (2003-2007) – para o Supremo Tribunal Federal (STF). Seu nome fora aventado um ano antes, quando três ministros entraram em inatividade por atingir a idade limite, mas, em função de uma opção política do presidente, de designar um jurista negro, um magistrado do Nordeste e outro de São Paulo, só foi indicado após a aposentadoria compulsória do ministro Maurício Correia, em maio de 2004. Após ser aprovado pelo Senado, tomou posse no STF em junho.

No Supremo, votou a favor do desconto previdenciário dos inativos e da cassação da liminar para interrupção de gravidez em que houvesse diagnóstico de anencefalia fetal. Em 2006, manifestou-se a favor da constitucionalidade da resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que proibia a contratação de parentes de juízes pelos tribunais. Em agosto de 2007 acolheu a denúncia da Procuradoria Geral da República contra os envolvidos no esquema do “mensalão”.

                Nomeado ministro do Superior Tribunal Eleitoral (TSE) em maio de 2008, foi o relator do processo de cassação do governador eleito do Maranhão, Jackson Lago, acusado de utilizar a máquina pública em sua campanha. Com seu voto favorável, o governador foi cassado em março de 2009.

Especialista em direito econômico e financeiro, foi professor titular da Universidade de São Paulo (USP). Publicou várias obras de direito, sendo a mais conhecida A ordem econômica na Constituição de 1988, já na 11ª edição. Em 2007, estreou na literatura com o romance Triângulo no ponto.

                Casou-se com Tania Marina Stolle Jalowski Grau, com quem teve dois filhos.

Eduardo Junqueira

 

FONTES: Folha de S. Paulo (online), 6 maio, 28, 30 jun., 18 ago., 1 set. e 20 out. 2004; 27 abr. 2005; 5, 19 jan., 9, 16 fev., 20 mar. e 4 maio 2006;  1 abr., 23-25, 31 ago., 1 set., 6 nov. 2007: 13 fev., 15 maio, 15, 20 ago. 2008; 4 mar. 2009. Disponível em : <http://www1.folha.uol.com.br>;

Portal do STF. Disponível em: <http://www.stf.jus.br/portal/principal/principal.asp>.

 

 

 

      

           

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados