JOAQUIM EXPEDITO RODRIGUES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: RODRIGUES, Expedito
Nome Completo: JOAQUIM EXPEDITO RODRIGUES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
RODRIGUES, Expedito

RODRIGUES, Expedito

* dep. fed. GB 1964-1967.

 

Joaquim Expedito Rodrigues nasceu em Simão Pereira, município de Matias Barbosa (MG), no dia 5 de março de 1934, filho de Felipe Rodrigues e de Maria da C. Luísa de Oliveira Rodrigues.

Fez o curso primário em sua cidade natal, freqüentando em seguida o Instituto Bicalho, a Academia de Comércio e, finalmente, a Escola Técnica de Comércio Machado Sobrinho, em Juiz de Fora (MG), pela qual se formou contador. Mais tarde trabalhou nas firmas M. Agostini e Abel de Barros Comércio e Indústria de Jutas, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal.

Funcionário da Petrobrás em 1962, candidatou-se nesse ano a deputado federal pelo então estado da Guanabara, na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Em sua campanha eleitoral defendeu o monopólio estatal do petróleo, abrangendo o refino e a distribuição, e apoiou esse mesmo sistema para as telecomunicações, os minérios atômicos, a eletricidade e os transportes ferroviários e ma­rítimos de cabotagem. Defendeu uma maior participação dos municípios na renda tributá­ria nacional, bem como o direito de voto para os analfabetos e praças de pré e a elegibilidade de todos os eleitores. Colocou-se a favor de uma reforma constitucional que, além dessas conquistas, reformulasse o instituto da propri­edade, permitindo a desapropriação, por inte­resse social, dos latifúndios improdutivos, me­diante indenização em títulos da dívida públi­ca. Realizado o pleito em outubro de 1962, obteve, contudo, apenas uma suplência.

Aceitou, sem protesto, segundo o Cor­reio Braziliense de outubro de 1964, o movi­mento político-militar de 31 de março desse ano, que depôs o governo trabalhista de João Goulart. Com a cassação dos mandatos de vários deputados pelo novo regime que se ins­talou no país, atingindo quase toda a bancada do PTB carioca, foi convocado para assumir uma cadeira na Câmara Federal. Licenciou-se da auditoria da frota nacional de petroleiros da Petrobrás, onde trabalhava, para assumir o mandato no dia 11 de abril de 1964.

Embora defendesse inicialmente a Revolu­ção Cubana de 1959, não protestou contra a ruptura das relações diplomáticas do Brasil com Cuba, efetivada durante o governo do marechal Humberto Castelo Branco (1964-­1967). Com a edição do Ato Institucional n° 2 (AI-2), em outubro de 1965, extinguindo os partidos políticos existentes, e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se ao Movi­mento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar.

Na Câmara, integrou a Comissão de Eco­nomia, tendo atuado como relator de vários projetos, entre os quais, o de controle do custo de vida mediante a apresentação de balancetes e o que transformaria o Banco Nacional da Habitação (BNH) em autarquia. Em novem­bro de 1966 tentou a reeleição, concentrando sua campanha na luta pela redemocratização do país e na defesa de eleições diretas, da reforma agrária, da justiça social para os trabalhadores e da dissolução do casamento por opção. Obteve, contudo, apenas uma suplência e concluiu o mandato em janeiro de 1967, ao final da legislatura.

No pleito de novembro de 1978 candidatou-se a uma cadeira na Câmara, pela legenda do MDB, não obtendo êxito. Com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).

Em 1989 aposentou-se da Petrobrás, passando a dedicar-se a contabilidade.

Voltando à disputa eleitoral, no pleito de outubro de 1990, concorreu a uma vaga na Câmara dos Deputados pelo PMDB, não obtendo êxito. No âmbito municipal, concorreu, em 1992 e em 1996, a uma cadeira na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, não conseguindo se eleger nas duas oportunidades. Em outubro de 1998, sofreu nova derrota, não conseguindo eleger-se deputado federal.

 

FONTES: CÂM. DEP. Anais; CÂM. DEP. De­putados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1946-1967); CAMPOS, Q. Fichário; INF. BIOG.;   Jornal do Brasil (19/10/66); TRIB.  SUP.  ELEIT.  Dados (6 e 8);

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados