José Marcondes Pereira

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PEREIRA, Marcondes
Nome Completo: José Marcondes Pereira

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

PEREIRA, Marcondes

*dep. fed. SP 1983-1987.

José Marcondes Pereira nasceu em São José dos Campos (SP) no dia 14 de maio de 1923, filho de Alfredo Pereira Filho e de Aurora Marcondes Pereira.

Em 1952 foi fundador do Centro Municipal de Defesa do Petróleo e no ano seguinte fez o curso de contabilidade na Escola de Comércio Olavo Bilac, ambos em sua cidade natal. Fundador do Partido Socialista Brasileiro (PSB) em São José dos Campos, candidatou-se a uma cadeira na Câmara de Vereadores em outubro de 1953 e se elegeu. Assumiu o mandato no início de 1954. Ainda nesse ano ingressou no curso de ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito do Vale do Paraíba (SP), onde se graduou em 1959, ano em que deixou a vereança, ao final da legislatura.

No pleito de outubro de 1961, concorreu à prefeitura de São José dos Campos na legenda do Movimento Trabalhista Renovador (MTR), e foi eleito. Assumiu o mandato no início do ano seguinte e, com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. Completou seu mandato no Executivo municipal em 1966 e no pleito de novembro desse ano candidatou-se à Assembléia Legislativa de São Paulo, na legenda do MDB. Eleito, assumiu seu mandato no início do ano seguinte. Contudo, em 1969 foi cassado com base no Ato Institucional nº 5, perdendo seus direitos políticos por dez anos. Passou a trabalhar como corretor de imóveis.

Com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), agremiação que deu continuidade ao MDB, tornando-se, no ano seguinte, presidente do partido em São José dos Campos. Por essa legenda, concorreu a uma vaga de deputado federal em novembro de 1982. Eleito, foi empossado em fevereiro do ano seguinte e participou dos trabalhos legislativos como membro titular das comissões de Agricultura e Política Rural, da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das polonetas e do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) e suplente da Comissão de Educação e Cultura.

Em 25 de abril de 1984, votou a favor da emenda Dante de Oliveira, apresentada na Câmara dos Deputados, que propôs o restabelecimento das eleições diretas para presidente da República em novembro daquele ano. Como a emenda não obteve o número de votos indispensáveis à sua aprovação — faltaram 22 para que o projeto pudesse ser encaminhado à apreciação pelo Senado — no Colégio Eleitoral, reunido em 15 de janeiro de 1985, Marcondes Pereira votou no candidato oposicionista Tancredo Neves, eleito novo presidente da República pela Aliança Democrática, união do PMDB com a dissidência do Partido Democrático Social (PDS) abrigada na Frente Liberal. Contudo, por motivo de doença, Tancredo Neves não chegou a ser empossado na presidência, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Seu substituto no cargo foi o vice José Sarney, que já vinha exercendo interinamente o cargo desde 15 de março desse ano.

Nas eleições de novembro de 1986, Marcondes Pereira aderiu à campanha de Antônio Ermírio de Morais, do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), ao governo de São Paulo, sob a alegação de que o candidato do PMDB, Quércia — que foi vitorioso no pleito — havia lhe negado legenda para disputar a reeleição para a Câmara dos Deputados. Nesse pleito, candidatou-se a uma cadeira na Assembléia Legislativa de São Paulo, na legenda do PMDB, mas não foi bem-sucedido. Deixou a Câmara em janeiro de 1987, ao final da legislatura, retomando suas atividades de advogado em São José dos Campos.

Em outubro de 1988 candidatou-se a vice-prefeito de São José dos Campos, pelo PMDB, na chapa encabeçada por Carlos Sebe, mas não teve êxito.

Em outubro de 1990, candidatou-se à Câmara dos Deputados, na legenda do Partido Trabalhista Renovador (PTR), porém não se elegeu. No pleito de outubro de 1992, tentou uma cadeira de vereador na Câmara Municipal de São José dos Campos, agora na legenda do PMDB, mas só obteve a primeira suplência. Presidente do diretório municipal do PMDB de São José dos Campos desde 1993, dois anos depois elegeu-se tesoureiro da mesma instância partidária. Em outubro de 1996, tentou novamente eleger-se vereador, novamente sem sucesso.

Faleceu em sua cidade natal no dia 30 de setembro de 2007.

Casado com Célia de Jesus Moreira, teve duas filhas.

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987, 1991-1995); Globo (26/4/84 e 16/1/85); INF. BIOG.; Jornal do Brasil (16/9/86); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (8); VNews (1/10/07).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados