JOSE ORNELAS DE SOUSA FILHO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SOUSA, José Ornelas de
Nome Completo: JOSE ORNELAS DE SOUSA FILHO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SOUSA, José Ornellas de

SOUSA, José Ornelas de

* militar; gov. DF 1982-1985.

 

José Ornelas de Sousa Filho nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 30 de novembro de 1921, filho de José Ornelas de Sousa e de Sílvia Castelo Branco de Sousa.

Oficial do Exército, Ornelas chegou a Brasília em 1973 para realizar um trabalho provisório, de oito meses, na Subsecretaria de Educação do Ministério da Educação e Cultura, a cuja frente encontrava-se Jarbas Passarinho. Radicando-se na capital federal, ingressou, no ano seguinte, na Telecomunicações Brasileiras S. A. (Telebrás), na qual permaneceu até 1982.

Nomeado governador do Distrito Federal, Ornelas assumiu a chefia do Executivo brasiliense em julho de 1982, em substituição a Aimé Lamaison. Ao discursar na cerimônia de posse, atribuiu a indicação para o cargo a Jarbas Passarinho.

Em abril de 1985, o presidente da República José Sarney – empossado interinamente na presidência da República após a doença que impediu Tancredo Neves de tomar posse – afastou Ornelas do governo de Brasília, irritado com a violência com que o secretário de Segurança Pública, Lauro Rieth, reprimira uma greve de motoristas de ônibus. Essa decisão teve origem na recusa de Ornelas em demitir Rieth. Contribuiu para agravar a situação de Rieth o fato de ele ser inimigo do repórter do Correio Braziliense Mário Eugênio, assassinado em circunstâncias não esclarecidas. Sarney indicou o ministro do Interior, Ronaldo Costa Couto, para suceder Ornelas, em caráter provisório.

Filiando-se ao Partido Liberal (PL), Ornelas elegeu-se deputado distrital no pleito de outubro de 1990. Em agosto de 1993, licenciou-se do mandato para ocupar o cargo de secretário da Indústria, Comércio e Desenvolvimento do Distrito Federal, no governo de Joaquim Roriz (1991-1994). De volta à Assembléia Distrital após oito meses à frente da secretaria, candidatou-se à reeleição, uma vez mais pela legenda liberal, no pleito de outubro de 1994, não obtendo votação suficiente para garantir-lhe o retorno àquela casa. Desde então passou a trabalhar como assessor parlamentar da Federação do Comércio do Distrito Federal.

Casou-se com Zeli Ornelas, com quem teve dois filhos.

 

FONTES: Correio Brasiliense (3e 24/7/82, 4/4/85, 1/12/90, 18/8/93 e 14/4/94); INF. Zeli Ornelas.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados