REINALDO GALVAO MODESTO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MODESTO, Galvão
Nome Completo: REINALDO GALVAO MODESTO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MODESTO, GALVÃO

MODESTO, Galvão

*sen. RO 1983-1987.

Reinaldo Galvão Modesto nasceu em Porto Esperança (MS), então no estado de Mato Grosso, no dia 11 de março de 1942, filho de Eulino Fernandes Modesto e de Herculana Galvão Modesto.

Formado em engenharia agronômica pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro em 1967, tornou-se, posteriormente, técnico do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). Transferiu-se para o território federal de Rondônia em março de 1974, sendo designado ordenador de despesas e das atividades a serem desempenhadas nos projetos de colonização do território e executor do Projeto Integrado de Colonização Ji-Paraná.

Passados quase quatro anos, assumiu a Coordenadoria Regional do Extremo Norte, desenvolvendo atividades do INCRA no estado do Amazonas e no território de Roraima. Um ano depois, em maio de 1979, foi indicado pelo então governador de Rondônia, Jorge Teixeira de Oliveira, do Partido Democrático Social (PDS), para assumir a Coordenadoria Especial do território. Permaneceu no exercício de suas funções até fevereiro de 1982.

Em novembro disputou um mandato para senador pelo PDS. Nessas eleições, Rondônia passaria a ter direito a três vagas no Senado Federal pelo fato de ter se tornado estado em dezembro do ano anterior. Contudo, apenas o candidato mais votado teria o direito de exercer o mandato de oito anos, restando aos outros dois um mandato de quatro anos. Obtendo a segunda colocação, Galvão Modesto assumiu sua vaga no Senado em fevereiro do ano seguinte. Ainda em 1983, participou dos trabalhos legislativos como membro titular das comissões de Agricultura, de Serviço Público Civil e de Municípios e suplente da Comissão de Transportes, Comunicações e Obras Públicas.

Em 25 de abril de 1984, a não aprovação pela Câmara da emenda Dante de Oliveira, que propunha eleições diretas para a presidência da República ainda naquele ano, definiu que o sucessor do presidente da República João Figueiredo (1979-1985) seria eleito por via indireta. Vários eram os postulantes à condição de candidato oficial da agremiação governista, o PDS. A falta de consenso quanto à forma de escolha provocou uma cisão no partido e os dissidentes formaram a Frente Liberal, mais tarde Partido da Frente Liberal (PFL). Para decidir a questão, o PDS realizou sua convenção em agosto, quando o deputado Paulo Maluf derrotou o então ministro do Interior Mário Andreazza. Na mesma oportunidade, o deputado cearense Flávio Marcílio ganhou a condição de vice vencendo o então governador alagoano Divaldo Suruagi.

Para concorrer com os candidatos governistas, os partidos de oposição, liderados pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), e a Frente Liberal, reunidos na Aliança Democrática, lançaram Tancredo Neves, então governador de Minas Gerais, e José Sarney, então senador maranhense, respectivamente, candidatos à presidência e à vice-presidência da República. Na reunião do Colégio Eleitoral, realizada em 15 de janeiro de 1985, Galvão Modesto, que já havia votado em Paulo Maluf na convenção do PDS, reafirmou sua convicção no candidato governista, que acabou sendo derrotado pelo representante da Aliança Democrática. Contudo, Tancredo Neves não chegou a ser empossado na presidência, vindo a falecer, por motivo de doença, em 21 de abril de 1985. Seu substituto no cargo foi o vice José Sarney, que já vinha exercendo interinamente a função desde 15 de março.

Ainda no primeiro semestre de 1985, Galvão Modesto filiou-se ao Partido Democrático Trabalhista (PDT) e, no semestre seguinte, transferiu-se para o PMDB. Em meados de 1986, alegando divergências com o então governador de Rondônia, o peemedebista Ângelo Angelim (1985-1987), nomeado chefe do Executivo estadual pelo presidente da República José Sarney, mudou mais uma vez de agremiação, ingressando no PFL. Por sua nova legenda, Galvão Modesto disputou a reeleição para o Senado em novembro seguinte, mas não se elegeu. Deixou o Legislativo federal em janeiro de 1987, ao final de seu mandato.

Com a criação em 1989 do Partido da Reconstrução Nacional (PRN), transferiu-se para essa agremiação e se lançou candidato a deputado federal em outubro de 1990. Frustrado em sua nova tentativa, afastou-se do cenário político e retornou ao exercício de suas atividades no INCRA. Em dezembro de 1999, ocupava a chefia de Divisão de Assentamento da Superintendência Regional do órgão em Rondônia.

Foi casado com Maria Máxima Batista Modesto, com quem teve quatro filhos.

 

FONTES: CURRIC. BIOG.; Globo (16/1/85); INF. BIOG.; NICOLAU, J. Dados; SENADO. Dados biográficos (1983-1987).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados