Sérgio Mário Ferrara

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FERRARA, Sergio
Nome Completo: Sérgio Mário Ferrara

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

FERRARA, Sérgio

*dep. fed. MG 1979-1985, 1993-1994, 1995.

 

Sérgio Mário Ferrara nasceu em Belo Horizonte no dia 29 de agosto de 1933, filho do dentista José Ernesto Ferrara e de América Garzon Ferrara.

Fez o curso de contador na Academia de Comércio de Belo Horizonte, diplomando-se em 1952. Ao mesmo tempo em que trabalhava como contador, foi repórter esportivo de O Diário, de Belo Horizonte, em 1956, e comentarista de esporte da Rádio Inconfidência, de 1959 a 1974.

Filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964, elegeu-se vereador em Belo Horizonte em 1970. Na Câmara Municipal liderou a bancada do partido em 1971 e participou da Comissão de Finanças. Eleito deputado estadual em novembro de 1974, foi empossado na Assembleia Legislativa em fevereiro de 1975, assumindo a vice-liderança do partido e integrando as comissões de Finanças e Orçamento e de Economia e Serviço Público. Também em 1975 ingressou na Faculdade de Direito do Oeste de Minas, em Divinópolis, pela qual viria a se formar em 1979.

Nas eleições de novembro de 1978 foi eleito deputado federal por Minas Gerais, assumindo o mandato na Câmara dos Deputados em fevereiro de 1979. Membro do diretório e da executiva nacional do MDB, com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a consequente reorganização partidária, ingressou no Partido Popular (PP), liderado por Tancredo Neves e Magalhães Pinto. Em 1982, em virtude da incorporação do PP ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), sucessor do MDB, aderiu a esse partido. Durante a legislatura, foi vice-presidente da Comissão de Transportes e suplente das comissões de Comunicação, de Serviço Público e de Constituição e Justiça.

Reeleito em novembro de 1982, como o deputado mais votado em Belo Horizonte, iniciou novo mandato em fevereiro de 1983, permanecendo na Comissão de Transportes. Em 25 de abril de 1984, votou a favor da emenda Dante de Oliveira, que previa eleições diretas para presidente da República ainda naquele ano. Derrotada a proposição — faltaram 22 votos para que fosse levada à apreciação do Senado —, e reunido o Colégio Eleitoral em 15 de janeiro de 1985, votou em Tancredo Neves, candidato oposicionista da Aliança Democrática, união do PMDB com a dissidência do Partido Democrático Social (PDS) abrigada na Frente Liberal. Tancredo foi eleito, mas, doente, não chegou a ser empossado, vindo a falecer em 21 de abril. Seu substituto foi o vice José Sarney, que já vinha exercendo o cargo interinamente, desde 15 de março.

Nas eleições municipais de novembro de 1985, com o apoio declarado do governador Hélio Garcia (1984-1987), elegeu-se prefeito de Belo Horizonte na legenda do PMDB. Renunciou ao mandato de deputado federal em dezembro, e em 1° de janeiro de 1986 tomou posse na prefeitura. Em sua gestão implantou um programa de saneamento e urbanização das favelas do município e procurou garantir atendimento médico gratuito à população de baixa renda. Além disso, exerceu a vice-presidência da Associação Brasileira dos Prefeitos das Capitais. Em 1º de janeiro de 1989 transmitiu a prefeitura a Pimenta da Veiga.

Em outubro de 1990 candidatou-se a deputado federal e obteve uma suplência. Em janeiro de 1993 assumiu o mandato, até março de 1994. Nesse período participou da Comissão de Viação e Transportes da Câmara. Ainda em 1994 transferiu-se para o Partido Democrático Trabalhista (PDT) e, em outubro, perdeu a eleição para o Senado. Com a morte do deputado Pedro Tassis, em 19 de janeiro de 1995, voltou à Câmara e foi efetivado. Deixou a Casa ao término da legislatura, 12 dias depois.

Inicialmente candidato a senador pelo PDT em outubro de 1998, decidiu retirar-se da disputa, cedendo o espaço a Júnia Marise, que disputava a reeleição. Desde então, afastou-se da vida pública e passou a se dedicar à atividade de radialista esportivo.

Casado com Miriam Staino Ferrara, teve três filhos. Entre eles, destacou-se na política Sérgio Ferrara Filho, que foi deputado estadual em Minas Gerais por três legislaturas consecutivas, de 1997 a 2008, ano em que faleceu.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1979-1983 e 1991-1995 — suplemento); CAM. MUNIC. DE BELO HORIZONTE. Notícias. (23/6/2008; disponível em: http://www.cmbh.mg.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=25015&Itemid=199&filter=; acessado em: 8/12/2009); Globo (26/4/84; 16/1 e 10/11/85); Jornal do Brasil (2/1/86).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados