SOUTO MAIOR, ESTACIO GONCALVES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SOUTO MAIOR, Estácio Gonçalves
Nome Completo: SOUTO MAIOR, ESTACIO GONCALVES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SOUTO MAIOR, ESTÁCIO GONÇALVES

SOUTO MAIOR, Estácio Gonçalves

*dep. fed. PE 1955-1961; min. Saúde 1961-1962; dep. fed. PE 1962-1969.

 

Estácio Gonçalves Souto Maior nasceu em Bom Jardim (PE) no dia 30 de julho de 1913, filho de Pedro Gonçalves Souto Maior e de Josefa Leal Souto Maior, de tradicional família de Caruaru (PE).

Fez o curso secundário no Instituto Carneiro Leão, formando-se em 1935 pela Faculdade de Medicina de Pernambuco.

Iniciou suas atividades profissionais no interior pernambucano e no pleito de outubro de 1954 elegeu-se deputado federal por seu estado na legenda do Movimento Popular Autonomista, integrado pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e o Partido Social Trabalhista (PST). Empossado em fevereiro do ano seguinte, tornou-se em 1958 vice-presidente da Comissão de Orçamento da Câmara e foi ainda relator do Departamento Nacional de Obras contra as Secas (DNOCS).

Em outubro de 1958 foi reconduzido à Câmara dos Deputados, dessa vez na legenda das Oposições Unidas de Pernambuco, integrada pela União Democrática Nacional (UDN), o PTB, o Partido Social Progressista (PSP), o Partido Trabalhista Nacional (PTN) e o Partido Socialista Brasileiro (PSB). Com a transferência da capital para Brasília em 1960, associou-se a um frigorífico e passou a se dedicar à agricultura. Durante o governo do presidente Jânio Quadros (1961), apoiou sua política externa, conhecida como política externa independente. Após a renúncia de Jânio (25/8/1961), votou contra a Emenda Constitucional nº 4, que implantou o sistema parlamentarista de governo, sob o qual foi empossado o vice-presidente João Goulart.

Interrompeu o mandato em setembro de 1961, quando foi nomeado ministro da Saúde do governo de João Goulart (1961-1964), em substituição a Eduardo Catete Pinheiro. Em novembro de 1961, foi favorável à Emenda Constitucional nº 5, que ampliou a participação dos municípios na renda tributária nacional. Esteve à frente da pasta até junho de 1962, quando a transferiu para Manuel Cordeiro Vilaça de maneira a retornar à Câmara e liberar-se para disputar novo mandato. Reeleito em outubro de 1962 na legenda do PTB, com a extinção dos partidos políticos em decorrência da edição do Ato Institucional nº 2 (27/10/1965), e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação ao regime militar instalado no país em abril de 1964.

Durante esses anos na Câmara, aceitou as teses do “bloco compacto” do PTB, que reunia os setores mais à esquerda da agremiação, e integrou a Frente Parlamentar Nacionalista (FPN), bloco interpartidário formado em 1956 por parlamentares do PTB, do PSB, do PSD e da UDN em torno de uma plataforma nacionalista, voltada para a condenação à intervenção do capital estrangeiro na economia nacional, especialmente no setor energético, e à remessa de lucros para o exterior. De acordo com o Correio Brasiliense, era favorável ao intervencionismo econômico e ao monopólio estatal, à reforma agrária cooperativista com a desapropriação dos latifúndios, a uma reforma eleitoral que reduzisse ou eliminasse a influência do poder econômico nas eleições, à reforma administrativa centralizadora e à regulamentação da remessa de lucros para o exterior.

Na legenda arenista se reelegeu em novembro de 1966 e durante a legislatura permaneceu atuando na Comissão de Orçamento, além de ter sido relator do Ministério da Educação. Exerceu o mandato até abril de 1969, quando foi cassado por aplicação do Ato Institucional nº 5 (13/12/1968).

Faleceu em Brasília no dia 12 de outubro de 1974.

Era casado com Clotilde Piquet Souto Maior, com quem teve quatro filhos. Um deles, Nélson Piquet, notabilizou-se como piloto de Fórmula 1.

 

FONTES: ARQ. DEP. PESQ. JORNAL DO BRASIL; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1963-1967 e 1967-1971); CÂM. DEP. Relação dos dep.; CAMPOS, Q. Fichário; Encic. Mirador; Grande encic. Delta; INF. Alex Piquet Souto Maior; SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (3, 4 e 6); VÍTOR, M. Cinco.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados