VAZ, Claudio

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: VAZ, Claudio
Nome Completo: VAZ, Claudio

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
VAZ, Claudio

VAZ, Cláudio

*pres. CIESP 2004-2007.

 

Claudio do Nascimento Pires Vaz nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 15 de novembro de 1947.

Formou-se em economia pela Universidade do Estado da Guanabara, atual Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Iniciou suas atividades na indústria automotiva nos anos 1970, quando foi para São Paulo trabalhar como executivo do Grupo Arteb, fabricante de autopeças. Em 1982 investiu no seu próprio negócio até se associar à Univel, que se tornou uma grande fabricante de peças para portas de veículos. Nesse período, já participava do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças). Em 1992 tornou-se presidente da entidade, aproximou-se de lideranças dos sindicatos dos trabalhadores, como Luís Marinho e Vicentinho, e participou de um momento importante para o setor, o da criação da Câmara Setorial Automotiva. Em 1994, antes do final do seu mandato, deixou a presidência do sindicato, sendo substituído por Paulo Butori. Em 1997, vendeu sua participação na Univel e investiu em outras duas empresas do mesmo setor.

Em 1998, quando Horácio Lafer Piva foi eleito presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP), foi incumbido por este de comandar a reestruturação do Serviço Social da Indústria em São Paulo (Sesi/SP). Cumpriu a tarefa e conseguiu sanear a instituição. A partir de então ocupou diferentes cargos na FIESP, e em 2004 tornou-se diretor de seu Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos, além de membro do conselho superior do Sindipeças.

Também em 2004 disputou a presidência da FIESP e do CIESP com o empresário Paulo Skaf, numa eleição movimentada, marcada por trocas de acusações entre os candidatos, e considerada uma das mais caras e imprevisíveis da entidade. Em sua campanha contou com o apoio de Horácio Lafer Piva, então presidente da FIESP/CIESP, e de outros grandes empresários como Antônio Ermírio de Morais, presidente do grupo Votorantim, Mário Amato e Carlos Eduardo Moreira Ferreira, ex-presidentes da FIESP, Ozires Silva, José Mindlin, Luís Carlos Delben Leite, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), e ainda de grandes sindicatos como o Sindicato da Indústria de Construção Civil de São Paulo (Sinduscon).

As eleições do sistema FIESP/CIESP se realizaram em 25 de agosto de 2004 e o resultado foi inesperado: enquanto o candidato da oposição Paulo Skaf venceu na FIESP, o que não ocorria desde a vitória de Luís Eulálio de Bueno Vidigal em 1980, Cláudio Vaz foi eleito para o CIESP, criando-se uma situação inédita de presidentes diferentes para as duas entidades. Embora as eleições tenham ocorrido no mesmo dia, foram realizadas separadamente e com colégios eleitorais diferenciados: na FIESP votaram os representantes dos sindicatos, e no CIESP votaram, de forma direta, cerca de 7.500 empresas. Os problemas criados pela nova situação foram inúmeros, já que as duas entidades tinham sua sede no mesmo local, e seus oito departamentos sempre haviam atuado juntos. Além disso, havia diferenças nos orçamentos, pois a FIESP contava com repasses do Sesi e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), que somavam quase 80% do seu orçamento. As duas entidades de início atuaram separadamente, mas no final de 2005 Vaz e Skaf se reaproximaram para a execução de algumas tarefas em conjunto, iniciando a aproximação das entidades, que passaram por um processo de reestruturação e conseguiram elevar suas receitas.

As eleições de 2007 foram excepcionalmente antecipadas de agosto para maio, e ocorreram num clima bastante diferente, já que Skaf disputou em chapa única a presidência da FIESP/CIESP. Com sua eleição, os departamentos que se formaram nas duas entidades voltaram a ser unificados.

No final de 2008, Claudio Vaz assumiu a direção da recém-criada Invest São Paulo, Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade, instituída pelo governo de José Serra para atrair investimentos para o estado.  

               

Fabrícia Guimarães

 

FONTES:

Diniz, Eli e Boschi, Renato. A Difícil Rota do Desenvolvimento: Empresários e a Agenda Pós-Neoliberal. Belo Horizonte: Editora UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ, 2007. Isto É Dinheiro (18/02/2004). FSP (9 e 27/4/1994; 1/11/98; 02, 23, 25 e 26/08/2004; 02/10 e 18/11/2005).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados