VITORASSI, Dilto

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: VITORASSI, Dilto
Nome Completo: VITORASSI, Dilto

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

VITORASSI, dilto

 *dep. fed. PR 2005-2007.

 Dilto Vitorassi nasceu em Foz de Iguaçu (PR) no dia 11 de julho de 1959, filho de Hercílio Vitorassi e de Angelina Mafiolete Vitorassi.

Começo a trabalhar ainda adolescente tendo sido operário de transporte coletivo urbano em Foz do Iguaçu e dirigente sindical do setor, chegando a ser eleito presidente do Sindicato dos Rodoviários da cidade na década de 1980 quando começou a militar no Partido dos Trabalhadores (PT).

Iniciou suas atividades políticas elegendo-se vereador na cidade de Foz de Iguaçu na legenda PT no pleito de outubro de 1996 obtendo 1.771 votos. Nas eleições de outubro 2000 Vitorassi elegeu-se para mais uma legislatura na Câmara Municipal de Foz de Iguaçu pela mesma legenda obtendo 1.519 votos. Tomou posse em janeiro do ano seguinte e foi presidente da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu entre 2001 e 2002. No pleito eleitoral de 2002, Vitorassi concorreu a uma vaga de deputado federal pelo estado do Paraná na legenda do PT obtendo 34.535 e ficando com uma suplência. Nas eleições de outubro 2004, Vitorassi foi eleito vice-prefeito da cidade de Foz de Iguaçu na legenda do PT, na chapa de Paulo Mac Donald Ghisi que se elegeu prefeito da cidade na legenda do Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Tomou posse na vice-prefeitura de Foz do Iguaçu em 1º de janeiro de 2005 e, em abril do mesmo ano, assumiu o mandato de deputado federal na vaga de Paulo Bernardo, que se licenciou do cargo para assumir o ministério de Planejamento do governo do presidente Luís Inácio Lula da Silva. Em virtude da legislação eleitoral, Vitorassi foi obrigado a renunciar ao cargo de vice-prefeito de Foz de Iguaçu para assumir o mandato de deputado federal, ficando a cidade sem vice-prefeito a partir de então. Durante a legislatura foi membro da comissão de Fiscalização Financeira e Controle, e da Comissão de Viação e Transportes, tendo participado ainda dos trabalhos das Comissões Especiais de Processo Eleitoral, e de Coligações Eleitorais. Dentre as proposições que apresentou ao longo do mandato destacam-se os projetos de lei (PLs) 5775/2005, relativo à disposição de bagagem de passageiro proveniente do exterior e estabelecendo normas sobre mercadorias contrabandeadas apreendidas, o PL 6095/2005, regulamentando a contratação de mão-de-obra assalariada para fins de cumprimento da função social da propriedade rural, e o PL 7481/06 relativo ao recolhimento da tarifa de embarque internacional, para fins de desenvolvimento turístico no interior.

Nas eleições do ano de 2006, Vitorassi candidatou-se mais uma vez a um mandato deputado federal na legenda do PT obtendo a primeira suplência com 62.943 votos. No começo do ano de 2008, o PT fez uma prévia para definir o candidato do partido para a prefeitura na cidade de Foz de Iguaçu, sendo vitoriosa a corrente liderada por Vitorassi. Entretanto, logo a seguir o diretório estadual do partido anulou as eleições devido a uma série de irregularidades ocorridas durante a votação. Em junho do mesmo ano, o diretório nacional determinou nova prévia com os filiados vencida novamente por Vitorassi. No pleito de outubro de 2008 Vitorassi concorreu à prefeitura da cidade obtendo apenas 3.887 votos e não conseguindo se eleger para o cargo, sendo derrotado ainda no primeiro turno da por Paulo Mac Donald (PDT).  

Em outubro de 2009, após 20 anos de militância no PT, Vitorassi deixou o partido e filiou-se ao Partido da Mobilização Nacional (PMN). Em dezembro do mesmo ano Vitorassi impetrou no TSE um pedido de justa causa para desfiliação do PT alegando que estava sendo perseguido pelo partido por “divergir da tática eleitoral para candidatura do prefeito da cidade”quando optou pela candidatura própria da legenda, em vez de apoiar o candidato da coligação. No processo, afirmava ainda o PT “estava fugindo à ideologia da qual sempre foi defensor, num claro desvio de conduta” afirmando ainda ter sofrido grave discriminação pessoal em suas pretensões políticas no interior do partido.

 

FONTES: http://www2.camara.gov.br/ (último acesso em 12/12/2009); http://www.tse.gov.br/ (último acesso em 12/12/2009); http://www.parana-online.com.br/ (último acesso em: 12/12/2009); http://www.transparencia.org.br/index.html (último acesso em: 14/12/2009).  

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados