ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS (ANJ)

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS (ANJ)
Nome Completo: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS (ANJ)

Tipo: TEMATICO


Texto Completo:

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS (ANJ)

 

 

            Associação representativa dos jornais brasileiros, com sede em Brasília, fundada em 17 de agosto de 1979 por dez editores donos de jornais reunidos em uma sala do jornal O Dia, no Rio de Janeiro. Entre seus objetivos, definidos em estatuto, incluem-se a defesa das liberdades de expressão e de imprensa e a representação dos interesses dos jornais junto ao poder público. Em 2009 a ANJ era presidida por Judith Brito, representante da Folha de S. Paulo, e integrada por mais de 140 jornais de todos os estados brasileiros, responsáveis por cerca de 90% da circulação diária de periódicos no país.

Duas das principais batalhas públicas da ANJ na primeira década do século XXI foram a oposição à criação do Conselho Federal de Jornalismo, proposta do governo Luís Inácio Lula da Silva (2003-) que contava com o apoio da Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj), e a defesa da revogação da Lei de Imprensa, editada ainda durante o regime militar. A ANJ entendia que a profissão de jornalista não deveria estar sujeita a um conselho, pois considerava tal vinculação um perigo à liberdade de expressão. O projeto de criação do conselho foi rechaçado no Congresso Nacional em 2002, tal como defendido pela ANJ. Já em abril de 2009, a Lei de Imprensa foi revogada pelo Supremo Tribunal Federal.

Em agosto do mesmo ano, somando-se a outras cinco entidades representativas do empresariado de mídia, a ANJ anunciou seu desligamento da comissão organizadora da Conferência Nacional de Comunicação, anunciada em janeiro de 2009 e convocada oficialmente em abril para ser realizada em dezembro. A conferência encaixava-se no modelo de conferências que vinham sendo realizadas nos mais diversos setores naquele período, e seria a primeira sobre comunicação. A nota anunciando o desligamento afirmava que a saída ocorria porque as entidades signatárias entendiam estar atrapalhando os debates da comissão organizadora da conferência.

 

FONTES: Folha de S.Paulo (online) 17 jun. 2009. Disponível em: < http://www1.folha.uol.com.br

/folha/brasil/ult96u582646.shtml>. Acesso em: 12 out. 2009; Portal ANJ. Disponível em: <http://www.anj.org.br>. Acesso em: 12 out. 2009.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados