Abelardo Jurema

Entrevista

Abelardo Jurema

A entrevista foi realizada no contexto da pesquisa "Trajetória e desempenho das elites políticas brasileiras", parte integrante do projeto institucional do Programa de História Oral do CPDOC, em vigência desde a sua criação em 1975. Trechos da entrevista foram publicados no livro GETÚLIO: uma história oral. / Valentina da Rocha Lima (Coordenação) ; Dora Rocha...[et al]. Rio de Janeiro: Record, 1986. 321. il. Também foi utilizada no livro Jango: as múltiplas faces/ Angela de Castro Gomes, Jorge Ferreira. - Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007. 272p.:il. A escolha do entrevistado justificou-se pela sua carreira política, onde assumiu, entre outros, o cargo de prefeito de Itabaiana (1937-1938) e de João Pessoa em 1946 e 1947.
Forma de Consulta:
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: GETÚLIO: uma história oral. / Valentina da Rocha Lima (Coordenação) ; Dora Rocha...[et al]. Rio de Janeiro: Record, 1986. 321. il. Jango: as múltiplas faces/ Angela de Castro Gomes, Jorge Ferreira. - Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007. 272p.:il.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Aspásia Alcântara de Camargo
Eduardo Raposo
Osvaldo Trigueiro do Vale
Data: 6/4/1977 a 7/7/1977
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 17h47min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Abelardo de Araújo Jurema
Nascimento: 15/2/1914; Itabaiana; PB; Brasil;

Falecimento: 9/2/1999; João Pessoa; PB; Brasil;

Formação: Formado pela Faculdade de Direito de Recife (1937).
Atividade: Prefeito de Itabaiana (1937-1938), Prefeito de João Pessoa (1946-1947); Senador PB (1953-1954 e 1957); Diretor do Departamento de Assistência Técnica do Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Estado (Ipase) (1954-1956); Deputado Federal PB (1959-1963); Ministro da Justiça (1963-1964); Diretor do Instituto do Açúcar e do Álcool (IAA) (1985-1988).

Equipe

Levantamento de dados: Aspásia Alcântara de Camargo;Eduardo Raposo;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Aspásia Alcântara de Camargo;Eduardo Raposo;

Conferência da transcrição: Maria Teresa Lopes Teixeira;

Copidesque: Maria Teresa Lopes Teixeira;

Técnico Gravação: Cinthia Monteiro de Araujo; Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Ignez Cordeiro de Farias;Reinaldo Roels Júnior;

Temas

Abelardo de Araújo Jurema;
Ademar de Barros;
Administração municipal;
Aliança Nacional Libertadora (1935);
Argemiro de Figueiredo;
Armando Falcão;
Ato Institucional, 5 (1968);
Bipartidarismo;
Brasília;
Carlos Lacerda;
Carvalho Pinto;
Cassações;
Comunismo;
Congresso Nacional;
Conspirações;
Coronelismo;
Democracia;
Departamento Nacional de Obras Contra a Seca;
Desenvolvimento econômico;
Eleições;
Estado de sítio;
Estado Novo (1937-1945);
Exílio;
Faculdade de Direito do Recife;
Forças Armadas;
Formas de governo;
Getúlio Vargas;
Golpe de 1964;
Governo Castelo Branco (1964-1967);
Governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1951);
Governo Getúlio Vargas (1951-1954);
Governo João Goulart (1961-1964);
Governo Juscelino Kubitschek (1956-1961);
Henrique Teixeira Lott;
Inflação;
Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Estado;
Jânio Quadros;
João Goulart;
João Pessoa;
José Américo de Almeida;
José Joffily Bezerra de Melo;
Leonel Brizola;
Ligas camponesas (1955-1964);
Ministério da Fazenda;
Ministério da Justiça e Negócios Interiores;
Ministério da Viação e Obras Públicas;
Ministério do Trabalho;
Nacionalismo;
Paraíba;
Partido Social Democrático - PSD;
Partido Trabalhista Brasileiro - PTB;
Partidos políticos;
Política estadual;
Política partidária;
Previdência social;
Reforma agrária;
Região Nordeste;
Regime militar;
Revolta de 1922, RJ;
Revolta de Jacareacanga (1956);
Revolução de 1930;
Rui Carneiro;
Seca;
Serviço Nacional de Informações;
Sistema partidário;
Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene);
Tancredo de Almeida Neves;
Tenentismo;
Voto secreto;

Sumário

1ª Entrevista: Origem familiar; estudos, início da vida profissional; políticos paraibanos; coronelismo; pluripartidarismo e voto secreto; papel do parlamentar; reforma agrária; salário mínimo; Revolução de 1930; João Pessoa; as secas na Paraíba; política estudantil; escolha da carreira; a Faculdade de Direito de Recife; ingresso na política; Getúlio Vargas; o Estado Novo; o governo Dutra.

2ª Entrevista: Prefeito de Itabaiana; vida profissional; José Américo; Getúlio e os políticos paraibanos; vida política; a Revolta de Poço; partidos políticos na Paraíba; eleições de 1950; vida política no plano nacional; Rui Carneiro; líder do governo no Congresso; secretário no governo Pedro Gondim; auxílio do governo federal aos estados; Getúlio Vargas; partidos políticos na Paraíba; Rui Carneiro e Argemiro de Figueiredo.

3ª Entrevista: Carreira política após o Estado Novo; partidos políticos na Paraíba após o Estado Novo; Rui Carneiro; políticos paraibanos; função do homem público; Tancredo Neves; prefeito de João Pessoa; fim do Estado Novo; o AI-5; o governo Dutra; bipartidarismo; Previdência Social; DNOCS; Ministério do Trabalho; Carlos Lacerda; o Parlamento.

4ª Entrevista: Assessor do Ministério do Trabalho; assessor de José Américo no Ministério da Viação; no IPASE; suplente de senador e líder do governo na Câmara; o homem público; o Ministério do Trabalho no governo Vargas; Getúlio Vargas; o governo Juscelino; democracia; bipartidarismo e pluripartidarismo; eleições; reforma agrária; DNOCS; Sudene.

5ª Entrevista: Obstáculos à construção de Brasília; candidatura Lott; tentativa de indicação de Tancredo Neves; a arte da política; os intelectuais e a política; origens coloniais do coronelismo; descontinuidades na política e lideranças; minorias e democracia; Carlos Lacerda; anedotário político da Paraíba; Rui Carneiro e Pereira Lira; PTB e PSD ao final do governo Juscelino; os partidos políticos; o nacionalismo de Juscelino; a inflação no período de Juscelino; Carlos Lacerda; convite de Jango para o ministério; importância dos grandes estados no regime parlamentarista; ministros paraibanos; o último ministério de João Goulart; o Ministério da Justiça; João Goulart e Brizola; dificuldades de Jango; Minas e a reação a Jango; fatores da queda do governo Goulart.

6ª Entrevista: A Paraíba no cenário nacional; João Pessoa; os estados e a política; tentativa de Jango em coligar o PTB e o PSD; o diretório do PSD; a atividade parlamentar; a noção de política no interior; o município como base política; problemas de administração; administração federal e autonomia municipal; escolha dos assessores para o Ministério da Justiça; a crise no final do governo Goulart; os revolucionários de 1922 e o movimento de 1964; os partidos durante o parlamentarismo; o pedido de estado de sítio feito por Jango; problemas de Jango com Ademar de Barros e Carlos Lacerda; os serviços federais de informação e de segurança; Jango e os ministros da Guerra; dificuldades de João Goulart: a greve dos bancários e a questão da legalização do PC; ministros de Jango; a reforma agrária e o rompimento de Jango com o PSD.

7ª Entrevista: Crises do governo Jango; o primeiro ministério presidencialista; saída de Carvalho Pinto da pasta da Fazenda; política e história; a Aliança Nacional Libertadora; papel das minorias parlamentares; o Serviço Nacional de Informações; as comunicações e a Revolução de 1964; Armando Falcão; o período de Juscelino: Jacareacanga, as forças armadas e os estudantes; a candidatura de Jânio Quadros; a política de fiscalização de preços de Jango; João Goulart e as forças armadas.

8ª Entrevista: Considerações sobre política brasileira; a cassação de direitos políticos; problemas dos cassados; o exílio; atividades profissionais na atualidade; o comunismo no Brasil; decadência de lideranças políticas e cassações; o impasse político do governo Castelo Branco; o Congresso de 1960 a 1964; o Congresso e as atuais lideranças políticas; a geração anterior de políticos.

9ª Entrevista: O Nordeste na história do Brasil; o Nordeste e a Revolução de 1964; as Ligas Camponesas; o desenvolvimento no governo João Goulart; Brizola; Jango e os ministros da Guerra; a importância das lideranças políticas municipais; o intelectual e o político; o movimento dos sargentos no governo Goulart; o apoio do PC aos políticos; José Joffily; Jango e o estado de sítio; o movimento dos marinheiros; as forças armadas ao final do governo Goulart; a conspiração; o Estado Novo e o movimento de 1964.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados