Casimiro Ribeiro I

Entrevista

Casimiro Ribeiro I

Entrevista realizada no contexto da pesquisa "Trajetória e desempenho das elites políticas brasileiras", parte integrante do projeto institucional do Setor de História Oral do CPDOC, em vigência desde sua criação em 1975.A entrevista teve como objetivo coletar informações sobre aspectos e fatos pouco conhecidos de nossa história econômica recente. Entretanto, o depoente não autoriza sua publicação. O entrevistado participou da criação e 1ª diretoria do Banco Central.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Aspásia Alcântara de Camargo
Antônio Cláudio Sochaczewski
Pedro Malan
Roberto Ruiz de Gamboa
Reinaldo Roels Júnior
Data: 5/3/1975 a 20/7/1979
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 9h10min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Casimiro Antônio Ribeiro
Nascimento: 19/10/1922; Joinville; SC; Brasil;

Formação: Direito com pós-graduação em Economia pela London School.
Atividade: Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Equipe

Levantamento de dados: Aspásia Alcântara de Camargo;Reinaldo Roels Júnior;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Aspásia Alcântara de Camargo;Reinaldo Roels Júnior;

Conferência da transcrição: Ignez Cordeiro de Farias;Maria Cristina Guido;

Copidesque: Maria Teresa Lopes Teixeira;Reinaldo Roels Júnior;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Reinaldo Roels Júnior;

Temas

Acordo Geral de Tarifas e Comércio (GATT);
Banco Central do Brasil;
Banco do Brasil;
Câmbio;
Carlos Lacerda;
Casimiro Ribeiro;
Celso Furtado;
Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe;
Economia;
Economistas;
Empresas estrangeiras;
Eugênio Gudin;
Fundo Monetário Internacional;
Governo João Goulart (1961-1964);
Governo Juscelino Kubitschek (1956-1961);
Industrialização;
Inflação;
Jânio Quadros;
Liberalismo;
Otávio Gouvêa de Bulhões;
Plano Trienal de Desenvolvimento Econômico e Social (1963-1965);
Política econômica;
Protecionismo econômico;
Roberto Campos;
Superintendência da Moeda e do Crédito (Sumoc);
Teoria econômica;

Sumário

1a Entrevista: início das atividades profissionais em 1942, no Banco do Brasil; contatos com profissionais no banco; contatos posteriores com Eugênio Gudin e Otávio Gouevia de Bulhões; o Departamento de Estatística e Estudos Econômicos do Banco do Brasil; convite para trabalhar na Cexim; Simões Lopes na Cexim e seus auxiliares; colaboração com Roberto Campos; o papel de Roberto Campos e Eugênio Gudin na profissionalização dos economistas no Brasil; a Sumoc: o objetivo principal - implantação do Banco Central - e as dificuldades para a sua consecução; resistência do Banco com relação a um banco central; extinção da Cexim e criação da Cacex; a corrupção na Cexim; os moivos do desequilíbrio no balanço de pagamentos do Brasil no período 1951-52: desatualização da taxa cambial, pressões do setor cafeeiro, inflação interna e Guerra da Coréia; reação dos importadores à tentativa governamental de sustar os excessos; aus^ncia de estatísticas de licenciamento de câmbio; coordenação da Cacex com a Carteira de Câmbio para fazer o orçamento cambial; o papel do café na política econômica brasileira; Alkmin e o confisco do café; caráter conciliatório do governo Juscelino; insistência de Casemiro Riberio e Lucas Lopes junto a Alkmin para a concretização do confisco; contatos com o FMI e episódio com Carlos Lacerda; a reforma cambial: primeiras tentativas, no início do governo Juscelino; a desatualização cambial e as pressões do FMI para a atualização; resistência interna à simplificação da taxa cambial; contatos com FMI e com o GATT; influência do Fundo Monetário sobre a política econômica brasileira; as falhas no sistema econômico brasileiro; política de Juscelino no final do governo; o Conselho de Desenvolvimento Econômico no governo Juscelino; implantação da Sumoc; reação ao confisco do café; a especulação com o câmbio........................................................................................................................ 1 a 61

2a Entrevista: a criação dos depósitos compulsórios no Brasil; comparação entre o sistema americano e o brasileiro de depósitos compulsórios; tentativas de racionalização do sistema no Brasil; relação entre o orçamento monetário e os depósitos compulsórios; resultado do controle do Banco do Brasil sobre os depósitos compulsórios; tentativa de tirar o Redesconto da responsabilidade do Banco do Brasil; criação do orçamento monetário no Departamento; programação da inflação no Brasil; a inflação brasileira; política de Eugênio Gudin: contenção de despesas e de emissão de meios de pagamento; política econômica do governo Kubitschek: contenção do crescimento econômico nos dois primeiros anos; a greve dos marítimos em 1956; o processo de criação e controle dos meios de pagamento; utilização inadequada dos depósitos compulsórios; o redesconto e a disponibilidade de moeda; utilização inadequada pelos bancos comerciais, tentativa de modificar a utilização do redesconto e a reação dos banqueiros; corrida ao Banco Boavista..............................61 a 89

3a Entrevista: compaaração entre a inflação do final dos anos 50 e a atual; o ocultamento da inflação pelo câmbio em baixa; política demagógica de contenção do custo de vida; o problema da compatibilização do combate à inflação com o desenvolvimento econômico; contenção dos ivestimentos públicos; a racionalização da rede ferroviária; os leilões de câmbio no governo Juscelino; rompimento com o FMI no final do governo Juscellino: dificuldades nas negociações com o FMI e a campanha contra o Fundo; Carlos Lacerda e a carta de Alkmin ao FMI; a correção monetária; a saída de Alkmin do Ministério; o rompimento com o FMI; atuação dos países no FMI; posição dos americanos no FMI; atuação da Cepal; Sebastião Pais de Almeida no Ministério; problemas do início do governo Jânio Quadros; tentativa de venda das reservas de ouro do Brasil; reformas cambiais de 1957 e 1961; reforma tarifária de 1957; Jânio Quadros face às reformas; negociações com os Estados Unidos; governo Goulart: dificuldades nas negociações com os Estados Unidos; o Plano Trienal de Celso Furtado; reforma bancária no gabinete Brochado da Rocha; a Carteira de Redesconto do Banco do Brasil e a emissão de papel-moeda; tentativas de regularizar o Redesconto; referências a Válter Blank e Alberto Carmo Tangari........89 a 180

4a Entrevista: origem familiar; primerios estudos; interesses artísticos e literários; colégios que freqüentou; amizades escolares; início das atividades profissionais; interesse por economia; contatos com o Banco do Brasil; leituras e autores mais difundidos no Brasil; tendências do pensamento econômico no Brasil; Keynes; debate entre estruturalistas e monetaristas; medidas monetatistas para o combate à inflação no Brasil; a utilização da política fiscal por Otávio Gouveia de Bulhões; o Plano Trienal de Celso Furtado; Inácio Rangel; a política da taxa de juros; o pragmatismo da Cacex; as empresas estrangeiras np Brasil; o debate entre monetarismo e estruturalismo na Faculdade Nacional de Economia; protecionismo e liberalismo; Roberto Campos; a industrialização brasileira; a idéia de planejamento no Brasil; o Conselho de Desenvolvimento do governo Juscelino......180 a 219
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados