Juracy Magalhães II

Entrevista

Juracy Magalhães II

Entrevista realizada no contexto da pesquisa "Trajetória e Desempenho das Elites Políticas Brasileiras", parte integrante do projeto institucional do Programa de História Oral do CPDOC, em vigência desde sua criação, em 1975. A escolha do entrevistado justificou-se por ter participado dos principais acontecimentos políticos do pós-30 e ocupado cargos importantes na administração.
Forma de Consulta:
Entrevista em áudio disponível na Sala de Consulta do CPDOC.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Eduardo Raposo
Alzira Alves de Abreu
Maria Regina Soares de Lima
Mônica Elen Seabra Hirst
Data: 14/7/1979 a 24/3/1980
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 5h30min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Juracy Montenegro Magalhães
Nascimento: 4/8/1905; Fortaleza; CE; Brasil;

Falecimento: 15/5/2001; Salvador; BA; Brasil;

Formação: Escola Militar de Realengo; Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais; Escola de Estado-Maior do Exército; Escola Superior de Guerra (ESG).
Atividade: Militar; Revolução de 1930; Interventor BA (1931-35); Governador BA (1935-37); Deputado Constituinte (1946); Deputado Federal BA (1946-51); Presidente da Vale Do Rio Doce (1951-52); Presidente da Petrobrás (1954); Senador BA (1955-59); Presidente da União Democrática Nacional - UDN (1957-59); Governado BA (1959-63); Embaixador do Brasil Nos EUA (1964-65); Ministro da Justiça (1965-66); Ministro das Relações Exteriores (1966-67)

Equipe


Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Temas

Argentina;
Assis Chateaubriand;
Bahia;
Companhia Vale do Rio Doce;
Estado Novo (1937-1945);
Estados Unidos da América;
Getúlio Vargas;
Golpe de 1964;
Governo Ernesto Geisel (1974-1979);
Governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1951);
Guerra da Coréia (1950-1953);
Guerra do Vietnã (1961-1975);
Guerra Fria;
Joaquim Magalhães;
Juracy Magalhães;
Ligas camponesas (1955-1964);
Lindolfo Collor;
Movimento sindical;
Partido Comunista Brasileiro - PCB;
Petrobras;
Política externa;
Reforma agrária;
Relações econômicas internacionais;
Relações internacionais;
República Velha (1889-1930);
Roberto Campos;
Segunda Guerra Mundial (1939-1945);
União Democrática Nacional;

Sumário

1a Entrevista: 14/07/1979
Fita 1-A: origens familiares; antecedentes políticos dos familiares do entrevistado; as atividades profissionais e políticas de Joaquim Magalhães, pai do entrevistado; o surgimento do interesse do entrevistado pela política; os antecedentes políticos na família da esposa do entrevistado, Lavínia Borges Magalhães.
Fita 1-B: comentários sobre a predominância da família Acioli na política cearense ao longo da República Velha; relato sobre as disputas entre as famílias Acioli e Borges na política cearense; lembranças sobre o início do relacionamento entre o entrevistado e sua esposa.
Fita 2-A: considerações sobre os diferentes grupos atuantes na política baiana no início dos anos 1930; a oposição feita ao entrevistado quando este era interventor na Bahia (1932-34) pelos líderes políticos tradicionais da Bahia e o apoio oferecido a ele pelos pequenos líderes locais; reflexões sobre o sucesso popular alcançado pelo entrevistado como interventor na Bahia; as realizações do entrevistado no período de governo na Bahia (1932-37); reflexões sobre política municipal; a formação da Ação Autonomista Baiana, movimento de oposição ao entrevistado (1933); o perfil de Assis Chateaubriand e sua influência política através de meios de comunicação de sua propriedade; comentários sobre o movimento sindical baiano nos anos 1930.
Fita 2-B: contatos com Lindolfo Collor e comentários sobre as divergências políticas entre o entrevistado e Lindolfo Collor.

2a Entrevista: 06/10/1979
Fita 2-B: as transformações econômicas ocorridas na Bahia durante o Estado Novo (1937-45); o quadro político baiano após 1945; reflexões acerca das relações entre o poder central e os estados durante o Estado Novo; os motivos que levaram os políticos baianos a apoiarem o novo regime; a eleição do entrevistado para o governo da Bahia (1950); relato sobre a campanha do entrevistado para o governo da Bahia (1958).
Fita 3-A: motivos pelos quais o entrevistado atingiu a vitória eleitoral em 1958; considerações acerca da crise enfrentada pelo entrevistado no final de seu mandato como governador da Bahia (1959-63); debate sobre a legalização do Partido Comunista Brasileiro (PCB) à época da entrevista; perfil de Getúlio Vargas e suas realizações políticas; defesa da desapropriação de latifúndios improdutivos para fins de reforma agrária e do direito à propriedade da terra para quem produz; críticas às reformas de base defendidas por João Goulart; debate sobre a abertura para os investimentos do capital estrangeiro no Brasil; razões pelas quais as Ligas Camponesas não foram bem-sucedidas na Bahia; considerações sobre o golpe de 1964; comentários sobre a organização do PCB.
Fita 3-B: a passagem do entrevistado da vida pública à empresarial (1967); comentários acerca das atividades empresariais do entrevistado; a atuação do entrevistado como presidente da Companhia Vale do Rio Doce (1951-52); o período na presidência da Petrobrás (1954); críticas à intervenção do Estado na economia; debate sobre a privatização de empresas estatais.

3a Entrevista: 18/03/1980
Fita 4-A: o envio de contingentes militares brasileiros para a Segunda Guerra Mundial; opinião do entrevistado acerca da participação brasileira no conflito; os problemas que envolveram a implantação das bases militares norte-americanas no Rio Grande do Norte durante a Segunda Guerra Mundial; a atividade dos oficiais simpatizantes aos alemães no Exército brasileiro; considerações sobre a aproximação econômica de Brasil e Argentina; relato sobre a participação do entrevistado no processo de cassação do PCB em 1947.
Fita 4-B: críticas à atuação das duas superpotências (URSS e EUA) na época da realização da entrevista (1980); considerações acerca da participação norte-americana nas crises brasileiras de 1945 e 1964; relato de tentativas de envolvimento do entrevistado em conspirações contra o Estado Novo; comentários sobre a eleição presidencial de 1945; a participação da União Democrática Nacional (UDN) no governo de Eurico Dutra (1946-50).
Fita 5-A: a participação da delegação brasileira na 3a Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948, da qual o entrevistado fez parte; a atuação do entrevistado como adido militar nos EUA (1953-54) e comentário sobre as relações militares entre Brasil e EUA no período; relações do entrevistado com adidos militares de outros países; considerações acerca da possibilidade do envio de tropas brasileiras para a Guerra da Coréia (1950-53); reflexões acerca das relações comerciais entre nações.

4a Entrevista: 24/03/1980
Fita 6-A: comentários sobre a Guerra da Coréia e defesa da atuação norte-americana no conflito; considerações sobre a guerra do Vietnã (1959-76) e defesa da não-participação do Brasil no conflito; debate sobre o pan-americanismo e alinhamento automático do Brasil com os EUA; comentários acerca da deturpação da célebre frase proferida pelo entrevistado "O que é bom para os EUA é bom para o Brasil"; crítica à política externa do "pragmatismo responsável", levada a cabo ao longo do governo de Ernesto Geisel (1974-79).
Fita 6-B: a atuação do entrevistado como embaixador do Brasil em Washington (1964-65) e os motivos para sua indicação; contatos do entrevistado com Roberto Campos; considerações sobre as exportações brasileiras.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados