Gilberto Castro Rodriguez

Entrevista

Gilberto Castro Rodriguez

Entrevista realizada pelo Núcleo de Memória Política Carioca e Fluminense, criado pelo convênio entre a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e o CPDOC-FGV, em 1997. O Núcleo se constitui em um centro de produção intelectual e referência documental sobre a história política da cidade e do estado do Rio de Janeiro. Entre outros resultados, ele publica as entrevistas editadas na coleção "Conversando sobre Política". Esta entrevista encontra-se disponível apenas em sua versão editada e publicada no livro "A construção de um estado: a fusão em debate". Organizadores Marly Motta e Carlos Eduardo Sarmento. Rio de Janeiro, Editora FGV, 2001. A escolha do entrevistado se justificou pelos cargos políticos que ocupou.
Forma de Consulta:
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: A CONSTRUÇÃO de um Estado: A fusão em debate / Organizadores Marly Silva da Motta e Carlos Eduardo Sarmento; [Entrevistadores Américo Freire ...[et al] ; Edição de texto: Lucia Hippolito] . Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 2001. 254p. il.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Carlos Eduardo Barbosa Sarmento
Marly Silva da Motta
Data: 13/1/2000 a 18/1/2000
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 5h50min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Gilberto Castro Rodriguez
Nascimento: 1/1/0001; Rio de Janeiro; RJ; Brasil;

Formação: Faculdade de Direito na Universidade Gama Filho.
Atividade: Vereador do Município de Nilópolis; prefeito do Município de Nilópolis; deputado estadual.

Equipe


Transcrição: Lia Carneiro da Cunha;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Temas

Fusão Rio de Janeiro - Guanabara (1975);
Política estadual;
Rio de Janeiro (estado);

Sumário

1ª Entrevista: 13.01.2000

Fita 1-A: Origens familiares e formação acadêmica; comentários sobre o início da vida política do entrevistado; breves comentários sobre a passagem do entrevistado para as fileiras do MDB após a instauração do Regime Militar (1964-1985); breves comentários sobre a cassação política imposta ao entrevistado em 1970; considerações sobre o exercício da política na Baixada Fluminense, com ênfase na década de 60: sobre a prática do fisiologismo político.

Fita 1-B: Comentários sobre a prática do fisiologismo político (cont.); considerações sobre o início da atuação política do entrevistado na Assembléia Legislativa do antigo estado do Rio no início da década de 70: breves comentários sobre as relações políticas do entrevistado na Assembléia; comentários sobre a relação política do entrevistado, e também da Assembléia, com o governador do antigo estado do Rio, Raimundo Padilha (1971-1975); breves comentários a respeito dos jornais de maior penetração na Baixada Fluminense; breves comentários sobre a relação do entrevistado com o ex-governador do antigo estado do Rio de Janeiro (1950-1954), Ernani do Amaral Peixoto; breves comentários sobre a relação do entrevistado com o ex-governador da Guanabara (1971-1975) e do atual estado do Rio de Janeiro (1978-1983), Chagas Freitas; considerações a respeito do processo de fusão entre o estado da Guanabara e o antigo estado do Rio de Janeiro (1975): primeiras impressões do entrevistado sobre o assunto, argumentos do entrevistado favoráveis à fusão; comentários comparativos entre as eleições de 70 e 74, para a Assembléia do estado, disputadas pelo entrevistado.

Fita 2-A: Comentários comparativos entre as eleições de 70 e 74, para a Assembléia do estado, disputadas pelo entrevistado (cont.); comentários sobre o impacto da participação dos meios de comunicação (televisão e jornal) na propaganda eleitoral; considerações a respeito da renovação das estratégias políticas para atuação no cenário do novo estado do Rio de Janeiro: a aproximação com Chagas Freitas, sobre a relação política com o governador Faria Lima (1975-1979); considerações a respeito da Assembléia Constituinte do estado do Rio de Janeiro pós-fusão (1975): sobre as negociações políticas para a repartição de poderes na Constituinte com destaque para a indicação do entrevistado para a Relatoria-Geral, comentários a respeito da apreciação dos três anteprojetos constitucionais para o novo estado apresentados à Assembléia de autoria respectiva dos senhores Ivair Nogueira Itagiba, Carlos Medeiros e outra do Instituto dos Advogados do Brasil, sobre a atuação efetiva do entrevistado como relator-geral da Constituinte, sobre a relação do entrevistado com o governador Faria Lima enquanto relator-geral da Constituinte do estado, breves comentários sobre a atuação do ministro da Justiça Armando Falcão (1974-1979) junto à Assembléia Constituinte, sobre a atuação de Chagas Freitas junto à Assembléia Constituinte.

Fita 2-B: sobre a atuação de Chagas Freitas junto à Assembléia Constituinte (cont.), considerações a respeito dos ganhos políticos do entrevistado em face de sua atuação na Relatoria-Geral; considerações a respeito da atuação política do governador Faria Lima e a entrada no cenário político de Marcos Tamoio como prefeito da cidade do Rio de Janeiro; considerações a respeito da disputa pelo controle do MDB (Movimento Democrático Brasileiro) entre os grupos dos ex-governadores Amaral Peixoto e Chagas Freitas logo após os trabalhos da Assembléia Constituinte: sobre o posicionamento do entrevistado diante da referida disputa; novas considerações sobre a atuação política do governador Faria Lima: comentários sobre as conseqüências do padrão de atuação política do referido governador no que tange às eleições municipais de 1976 em Nilópolis;

Fita 3-A: comentários sobre a atuação política do entrevistado nos outros municípios da Baixada Fluminense (cont.); breves comentários sobre a atuação do entrevistado nas campanhas eleitorais de 1978 e 1982; novos comentários sobre a disputa política entre Amaral Peixoto e Chagas Freitas: sobre a indicação de Chagas Freitas para a sucessão de Faria Lima; novos comentários sobre a atuação política do entrevistado no circuito da Baixada Fluminense (Nilópolis) nas eleições de 1978; considerações do entrevistado sobre um suposto processo de desfusão numa perspectiva atual; considerações a respeito das dificuldades enfrentadas pelo segundo governo Chagas Freitas (1978-1983) em face da realização da fusão; comentários sobre a atuação de Chagas Freitas junto à Assembléia Legislativa no segundo governo.

Fita 3-B: comentários sobre a atuação de Chagas Freitas junto à Assembléia Legislativa no segundo governo (cont.); comentários sobre a ligação política de Miro Teixeira e Chagas Freitas: sobre as diferenças de formação política entre os dois referidos políticos; comentários a respeito da campanha eleitoral para o governo do estado em 1982: o jogo das forças políticas durante a campanha na perspectiva do entrevistado; breves comentários sobre a expressiva ascensão de Leonel Brizola no cenário da política nacional e mais notadamente carioca durante as eleições de 1982; breves comentários sobre os governos do estado do Rio de Janeiro pós-fusão.

2ª Entrevista: 18.01.2000

Fita 4-A: Considerações a respeito das eleições de 1982, para o governo do estado do Rio de Janeiro: sobre o declínio da candidatura Miro Teixeira, sobre a mudança no tom do discurso do referido candidato, sobre as supostas tentativas de insuflação da candidatura Leonel Brizola; comentários gerais sobre a disputa entre os principais candidatos ao governo e os respectivos interesses em jogo; considerações a respeito da desmedida aceitação da candidatura Brizola; considerações sobre a candidatura do entrevistado para a Assembléia Legislativa também em 1982: sobre os receios de uma possível derrota, sobre a votação na Baixada Fluminense, sobre o impacto da candidatura Brizola.

Fita 4-B: Comentários a respeito das possibilidades eleitorais de Moreira Franco nas referidas eleições para o governo do estado do Rio em 1982; considerações sobre a reorganização do PMDB nos momentos iniciais do governo Brizola; comentários a respeito da relação do governador Brizola com a Assembléia Legislativa; comentários a respeito da participação do PMDB no governo; considerações sobre a ascensão de Moreira Franco como potencial candidato à sucessão de Brizola.

Fita 5-A: Considerações sobre a ascensão de Moreira Franco como potencial candidato à sucessão de Brizola (cont.): a entrada de Nelson Carneiro no cenário político em oposição a Moreira Franco; comentários sobre a teia de relações políticas que levou o entrevistado a assumir a vice-presidência da Assembléia em 1985; comentários a respeito da queda no desempenho eleitoral do entrevistado nas eleições de 1986 em comparação ao processo eleitoral de 1982: sobre a situação específica da Baixada Fluminense; considerações a respeito da sistemática do voto distrital; considerações sobre as articulações políticas em torno da candidatura de Moreira Franco para a sucessão de Brizola: sobre as articulações políticas do entrevistado em torno da possibilidade de tornar-se presidente da Assembléia durante um possível governo Moreira Franco

Fita 5-B: Comentários a respeito da atuação do entrevistado como presidente da Assembléia Legislativa durante o governo Moreira Franco (87-91); considerações sobre a atuação de Moreira Franco a frente do governo do estado do Rio: sobre o estilo chuveirinho de governar; novas considerações sobre a atuação do entrevistado como presidente da Assembléia em estreita sintonia com o governo; considerações a respeito dos critérios para a escolha do secretariado do governo Moreira; considerações a respeito da atuação do entrevistado como presidente da Assembléia Constituinte do estado do Rio de Janeiro (1989).

Fita 6-A: Considerações a respeito da criação da Comissão Especial para a elaboração do texto constitucional: sobre a defesa de interesses dos grupos formadores da referida comissão, breves comentários sobre pontos polêmicos do texto constitucional, comentários sobre a questão da criação de novos municípios; considerações sobre a trajetória do governo Moreira Franco com destaque para o final do período; novas considerações do entrevistado a respeito de sua relação política com o governador Moreira Franco; considerações sobre os resultados atuais do processo de fusão.

Fita 6-B: Considerações sobre os resultados atuais do processo de fusão (cont.): análise sobre uma suposta realização de um processo de desfusão: sobre o enfraquecimento político do Estado do Rio de Janeiro, comentários gerais sobre o funcionamento e a eficiência de determinados órgãos do poder público à luz da desfusão.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados