Giorgio Moscati

Entrevista

Giorgio Moscati

Entrevista realizada no contexto do projeto "História do Inmetro e da metrologia no Brasil", em vigência, entre março de 1996 e janeiro de 1997, em convênio do CPDOC com o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). Esta entrevista subsidiou a elaboração do livro: "MEDIDA, normalização e qualidade: aspectos da história da metrologia no Brasil" / José Luciano de Mattos Dias. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 1998. Uma análise das entrevistas realizadas encontra-se em Sarmento, Carlos Eduardo Barbosa - 1999 - "Ciência, indústria e soberania nacional: as transformações na política tecnológica brasileira na década de 1970 - memória e projeto". História Oral. Revista da Associação Brasileira de História Oral. n. 2, junho de 1999, p.153-66. A escolha do entrevistado se justificou por sua atuação como Diretor de Metrologia Científica e Industrial (DIMCI/INMETRO) e por ser, à época da entrevista, representante brasileiro junto ao Bureau Internacional de Pesos e Medidas (BIPM).
Forma de Consulta:
Entrevista em áudio disponível na Sala de Consulta do CPDOC.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
José Luciano de Mattos Dias
Data: 5/2/1997
Local(ais):
São Paulo ; SP ; Brasil

Duração: 3h5min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Giorgio Moscati
Formação: Faculdade de Física e Engenharia.
Atividade: Ex-diretor do Dimci-Inmetro; professor da USP; representante brasileiro junto ao Bureau Internacional de Pesos e Medidas.

Equipe

Levantamento de dados: José Luciano de Mattos Dias;Carlos Eduardo Barbosa Sarmento;
Pesquisa e elaboração do roteiro: José Luciano de Mattos Dias;Carlos Eduardo Barbosa Sarmento;

Transcrição:  ;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Cristiano Santiago de Sousa;

Temas

Energia nuclear;
Formação acadêmica;
Instituições científicas;
Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial;
Metrologia;
Segunda Guerra Mundial (1939-1945);

Sumário

Fita 1-A: Origens familiares; comentários sobre o anti-semitismo na Itália; reminiscências da Segunda Guerra Mundial; a vinda para o Brasil; comentários sobre o pai; as descobertas na área de energia nuclear a partir da década de 30.

Fita 1-B: Considerações sobre a ciência e sobre a questão da energia nuclear; a opção pela carreira científica; o programa nuclear no Brasil; detalhes sobre a Segunda Guerra Mundial; discussão sobre questões científicas; exposição de sua trajetória acadêmico-científica.

Fita 2-A: Exposição de sua trajetória acadêmico-científica (continuação); breve comentário sobre a experiência na área de ensino; a adoção do sistema métrico decimal; a importância da metrologia; o ingresso do entrevistado na área metrológica (1973); breve comentário sobre as divergências entre o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do estado de São Paulo (IPT) e o INMETRO; o processo de entrosamento do entrevistado com as questões metrológicas; a visita do entrevistado ao National Bureau of Standards (NBS); longos comentários sobre a definição do metro.

Fita 2-B: Longos comentários sobre a definição do metro (continuação); as atividades no retorno ao Brasil após a vistita NBS; questões sobre a gestão científica; impressões do entrevistado em seu ingresso no Laboratório Nacional de Metrologia; comentários sobre o funcionamento do Laboratório Nacional de Metrologia; breve comentário sobre a questão do financiamento na ciência; a visão predominante sobre o doutorado no Brasil, segundo o entrevistado.

Fita 3-A: A visão predominante sobre o doutorado no Brasil, segundo o entrevistado (continuação); a questão do planejamento estratégico na ciência; a opção pela metrologia; a eleição para o Comitê Internacional; o funcionamento do Sistema Internacional; as publicações do Bureau Internacional de Pesos e Medidas (BIPM); observações sobre os comitês consultivos; comentários sobre os laboratórios do BIPM; longos comentários sobre a distinção entre os programas de pesquisa do Physikalisch Technische Bundesanstalt (PTB) e do National Institute of Science and Technology (NIST) e do NBS na área de metrologia.

Fita 3-B: Longos comentários sobre a distinção entre os programas de pesquisa do PTB e do NIST e do NBS, na área de metrologia (continuação); a importância do BIPM como fórum internacional de discussão; longos comentários sobre constantes físicas em termos de medição; as áreas de atuação do Bureau; a necessidade de uniformização da análise dos elementos; a relação entre o Bureau e os laboratórios nacionais; perspectivas para o BIPM; longos comentários sobre a questão do atendimento das necessidades da indústria.

Fita 4-A: A metrologia como mecanismo de comuicação; a metrologia e a questão da responsabilidade civil.



Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados