João Paulo dos Reis Velloso II

Entrevista

João Paulo dos Reis Velloso II

Entrevista realizada no contexto do projeto "As faces do mago da economia: atuação e legado de Mario Henrique Simonsen", desenvolvido em convênio com a Cia. Bozano, Simonsen e a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), entre 2000 e 2001, com o objetivo de publicar um livro de depoimentos sobre Mario Henrique Simonsen - MÁRIO Henrique Simonsen: um homem e seu tempo, depoimentos ao CPDOC/ Organizadores Verena Alberti, Carlos Eduardo Sarmento, Dora Rocha. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 2002. 310p. il. O entrevistado trabalhou com Mario Henrique Simonsen na elaboração de partes do Plano de Ação Econômica do Governo (Paeg) durante o governo Castelo Branco, na condição de pesquisador do IPEA; foi professor da EPGE e ministro do Planejamento no governo Geisel, enquanto Mario Henrique Simonsen era ministro da Fazenda (1974-1979).
Forma de Consulta:
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: MÁRIO Henrique Simonsen: um homem e seu tempo, depoimentos ao CPDOC/ Organizadores Verena Alberti, Carlos Eduardo Sarmento, Dora Rocha. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 2002. 310p. il.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Verena Alberti
Carlos Eduardo Barbosa Sarmento
Data: 29/11/2000 a 14/12/2000
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 2h30min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: João Paulo dos Reis Velloso
Nascimento: 12/7/1931; Parnaíba; PI; Brasil;

Formação: Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade do Estado da Guanabara, atual Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) (1960), mestre em Economia pela Universidade de Yale (EUA) (1964).
Atividade: Chefe do Escritório de Pesquisa Econômica Aplicada (EPEA), posteriormente Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) (1964-1968); professor da Escola de Pós-Graduação em Economia (EPGE) da Fundação Getúlio Vargas a partir de 1964; secretário geral do Ministério de Planejamento na gestão de Hélio Beltrão (1968-1969); Ministro do Planejamento no Governo Emílio Médici (1969-1974); secretário da Secretaria de Planejamento da Presidência da República (SEPLAN) (1974-1979); presidente do Instituto Brasileiro de Mercado de capitais (IBMEC) a partir de 1980; coordenador geral do Fórum Nacional, do Instituto Nacional de Altos Estudos (INAE) a partir de 1992.

Equipe

Levantamento de dados: Verena Alberti;Carlos Eduardo Barbosa Sarmento;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Verena Alberti;Carlos Eduardo Barbosa Sarmento;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Temas

Mário Henrique Simonsen;

Sumário

1a Entrevista: 29.11.2001.
Primeiro contato com Mário Henrique Simonsen como aluno deste no Conselho Nacional de Economia; [deficiências do curso de economia da Universidade da Guanabara (UEG); passagem pelo Centro de Aperfeiçoamento de Economistas da Fundação Getulio Vargas (CAE-FGV) como aluno (1961-1962): professores; opção pela carreira de economista; falta de especialização no serviço público na década de 1950; as possibilidades de pós-graduação em economia em princípios da década de 1960: Conselho Nacional de Economia (CNE) e CAE-FGV; a opção pela pós-graduação em Yale; [convite de Roberto de Oliveira Campos ao entrevistado para criar o Escritório de Pesquisa Econômica Social e Aplicada (EPEA) no ministério do Planejamento em agosto de 1964; proposta de trabalho a ser desenvolvida e estrutura inicial do EPEA; Paeg: capítulos sobre macroeconomia e sobre programas setoriais escritos em conjunto com Mário Henrique Simonsen, reunião em Washington onde Roberto Campos apresentou o Paeg a diversas instituições internacionais (novembro de 1964), a fórmula salarial de Mário Henrique Simonsen; o trabalho de elaboração de respostas às críticas do Paeg, executado em conjunto por Simonsen e pelo entrevistado; participação de Simonsen na elaboração do Programa Estratégico de Desenvolvimento (PED) do governo de Artur da Costa e Silva (1967-1969); o Instituto de Pesquisa Econômica Social Aplicada (IPEA) em fins da década de 1960: Instituto de Planejamento (Iplan) e Instituto de Pesquisa (Inpes); participação de Simonsen e José Luís Bulhões Pedreira na formulação de programas governamentais: Sistema Financeiro de Habitação, Lei de Mercado de Capitais, Decreto-lei n. 5; [ida para o CAE como professor em 1964 a convite de Mário Henrique Simonsen e os cursos que ofereceu; comparação entre o CAE e a Escola de Pós-graduação em Economia (EPGE); seminário de 1964 em Itaipava, onde se debateu os rumos da pós-graduação em economia no Brasil; razões do desinteresse de Mário Henrique Simonsen em cursar uma pós-graduação no exterior: capacidade autodidata ; breve comentário sobre o livro Ensaios analíticos de Mário Henrique Simonsen; contato com Mário Henrique no período em que este foi presidente do Moviemento Brasileiro de Alfabetização (Mobral) (1970-1974); [o convite de Ernesto Geisel a Mário Henrique Simonsen e ao entrevistado para os ministérios da Fazenda e do Planejamento, respectivamente; relação de trabalho com Simonsen no período de governo Geisel; o Segundo Plano Nacional de Desenvolvimento Econômico (II PND): investimentos prioritários, a questão do endividamento externo, conjuntura internacional, desaceleração da economia, balança comercial; o Conselho de Desenvolvimento Econômico (CDE) no governo Geisel; comentário sobre as posições dos ministros Severo Fagundes Gomes (da Indústria e Comércio) e Ângelo Calmon de Sá (substituto de Severo Gomes a partir de 1977) com relação aos investimentos estrangeiros no mercado brasileiro; mecanismos de proteção à empresa privada nacional no período Geisel;

2a Entrevista: 14.12.2000.
[A criação do Conselho de Desenvolvimento Econômico (CDE) e do Conselho de Desenvolvimento Social (CDS) e avaliação de seu funcionamento; relação entre Simonsen e Severo Gomes (ministro da Indústria e Comércio); as simonetas; conjuntura e orientação econômica na transição do governo Geisel para o de João Baptista Figueiredo; Mário Henrique Simonsen na Secretaria de Planejamento (Seplan); a constituição da Seplan, em princípios do governo Geisel e suas atribuições; razões para a não permanência do entrevistado no governo Figueiredo; concentração de poderes da área econômica nas mãos de Simonsen no governo Figueiredo; atividades profissionais do entrevistado após o fim do governo Geisel, em março de 1979; contato com Mário Henrique Simonsen a partir de agosto de 1979, quando este voltou para a EPGE; [participação de Simonsen na criação e como palestrante do Fórum Nacional; desentendimento de Simonsen com Fernando Collor de Mello antes do mandato presidencial do último; [o convite para a presidência do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec), em 1980; relações entre o Ibmec e a FGV ; o legado de Mário Henrique Simonsen para a economia brasileira.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados