Luiza Erundina I

Entrevista

Luiza Erundina I

Entrevista realizada no contexto do projeto "Memória da assistência social no Brasil: constituição de banco de entrevistas", desenvolvido em convênio com o Ministério da Previdência e Assistência Social através de sua Secretaria de Estado de Assistência Social, entre 2001 e 2002, com o objetivo de constituir um acervo de depoimentos sobre o tema a ser disponibilizado no CPDOC e no Centro de Referência e Estudos da Assistência Social. A escolha da entrevistada se justificou, entre outros, por ser Assistente Social e professora de Serviço Social na Paraíba e no estado de São Paulo.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Angela Maria de Castro Gomes
Dulce Chaves Pandolfi
Data: 4/12/2001
Local(ais):
Brasília ; DF ; Brasil

Duração: 1h40min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Luiza Erundina de Sousa
Nascimento: 30/11/1934; Uiraúna; PB; Brasil;

Formação: Graduação em Assitência Social na Universidade Federal da Paraíba (1966); Mestrado em Ciências Sociais pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo(1970).
Atividade: Uma das fundadoras, em 1980, do Partido dos Trabalhadores (PT). Foi eleita prefeita de São Paulo(1989-1993).Foi membro da Subcomissão dos Direitos da Criança e do Adolescente da seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).Publicou Exercício de paixão política (1991). Atualmente Erundina exerce o cargo de Deputada Federal pelo Estado de São Paulo, pertencendo à bancada do PSB(1999-)

Equipe

Levantamento de dados: Angela Maria de Castro Gomes;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Angela Maria de Castro Gomes;

Transcrição: Suely Lamarão;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Temas

Assistência social;
Hélder Câmara (Dom);
Institutos de aposentadoria e previdência;
Luiz Inácio Lula da Silva;
Luiza Erundina de Sousa;
Movimento de Cultura Popular (1960 - 1964);
Partido dos Trabalhadores - PT;
Paulo Evaristo Arns;
São Paulo;

Sumário

Entrevista: 04.12.2001
Fita 1-A: Dados biográficos; irmãos; informações sobre os pais; pobreza na infância: seca nordestina, deslocamentos temporários da família; estudos; diferenças sociais e preconceito racial em Uiraúna, PB (cidade natal); mudança para Patos para completar o ginásio; empregos para ajudar a família: consegue trazer mãe a e as irmãs para Patos; fragmentação da família; mudança para Campina Grande; estudos interrompidos: necessidade de cuidar da família; formação religiosa; ingresso na JEC - Juventude Estudantil Católica; período da ditadura militar (1964-85); relações com a esquerda católica; envolvimento no Movimento Cultura Popular, visado pela ditadura; assume diretoria de educação e cultura da prefeitura de Campina Grande (1958): início da experiência em trabalhos sociais; papel da Igreja junto às vítimas da repressão às Ligas Camponesas; envolvimento com os camponeses: comprometimento político.

Fita 1-B: Militância católica e trabalho na prefeitura influenciam opção pelo serviço social; contribuição na criação da faculdade de Serviço Social em Campina Grande; ingresso nessa faculdade; convite para assumi superintendência estadual do SAMDU: transferência para capital; formatura na Faculdade de Serviço Social de João Pessoa; Igreja vinculada à montagem de Escolas de Serviço Social (em São Paulo, Ceará, Paraíba); informações sobre os professores do curso de Serviço Social; organização de grupos de estudo: alunas desenvolvem visão político-social incompatível ao posicionamento da Escola de Serviço Social; amadurecimento precoce; leituras ligadas ao marxismo; dedicação aos estudos; razões que a aproximam do Serviço Social: militância, infância sofrida, sentimento de dever em relação aos flagelados da seca; bolsa de estudos em São Paulo: mestrado em Ciências Sociais (1968-1969); órgãos de segurança a impedem de dar aula na Universidade Federal da Paraíba; em 1970, volta à Paraíba: trabalho de assistente social no INPS, militância e repressão política; engajamento político do arcebispo da Paraíba, dom Pelé; contato com dom Helder Câmara; mudança definitiva para São Paulo (1971); trabalho como assistente social nas favelas de São Paulo; luta por melhorias sociais: nova perseguição política; fundação e filiação ao PT; reativação da APASSP (Associação Profissional de Assistentes Sociais de São Paulo).

Fita 2-A: Reativação da APASSP (continuação); atuação na greve dos servidores públicos (1979); realização do Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais em São Paulo (1979): grupo de oposição toma o controle do evento; Associação de Assistentes Sociais como "força auxiliar dos trabalhadores do ABC"; Lula denuncia contratação de assistentes sociais pela Volkswagen para aliciar grevistas a voltarem ao trabalho (greve de 1978); envolvimento com o CELASS- Centro Latino Americano de Serviço Social: movimento de reconceituação, novas categorias teóricas da assistência; divergência ideológica entre assistentes sociais tradicionais e a "vanguarda da categoria"; APASSP se recusa a cumprir decreto do prefeito Olavo Setúbal: apoio da população e surgimento do movimento dos favelados em São Paulo; afirma que "a LBA não tinha importância para nós naquele momento" por ser considerada assistencialista; concepção do assistente social como "agente de mudança": forte engajamento político; luta da APASSP em defesa do assistentes perseguidos políticos; tentativa de reformar a Faculdade de Serviço Social Paulista (com Pedro Malheiros e Sônia Ribeiro); pedido de demissão em outras instituições de ensino em solidariedade a colegas (Sônia Ribeiro, Marta Godinho); organização dos assistentes em âmbito nacional (congresso de 1979): criação de sindicatos, associações; trabalho nas FMU - Faculdades Metropolitanas Unidas; grupos conservadores no quadro das Escolas; seus vínculos com a Igreja são mantidos: contato com Dom Angélico e Dom Paulo; eleita vereadora (1982).

Fita 2-B: Ação política (como vereadora, deputada, prefeita, ministra) marcada pela formação profissional e compromisso com o "movimento"; demissão do cargo de ministra-chefe da Secretaria de Administração Federal; suspensão do PT: visão divergente; comentários sobre a importância atual e futura da profissão de assistente social.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados