Maurício Nogueira Frota

Entrevista

Maurício Nogueira Frota

Entrevista realizada no contexto do projeto "História do Inmetro e da metrologia no Brasil", em vigência, entre março de 1996 e janeiro de 1997, em convênio do CPDOC com o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). Esta entrevista subsidiou a elaboração do livro: "MEDIDA, normalização e qualidade: aspectos da história da metrologia no Brasil" / José Luciano de Mattos Dias. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 1998. Uma análise das entrevistas realizadas encontra-se em Sarmento, Carlos Eduardo Barbosa - 1999 - "Ciência, indústria e soberania nacional: as transformações na política tecnológica brasileira na década de 1970 - memória e projeto". História Oral. Revista da Associação Brasileira de História Oral. n. 2, junho de 1999, p.153-66. A escolha do entrevistado se justificou por ser ex-Diretor de metrologia científica e industrial do Inmetroe um dos principais responsáveis pelo processo de mdernização da instituição e pelo trabalho de inserção desta nos meios científicos e metrológicos internacionais.
Forma de Consulta:
Entrevista em áudio disponível na Sala de Consulta do CPDOC.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
José Luciano de Mattos Dias
Carlos Eduardo Barbosa Sarmento
Data: 27/9/1996 a 6/12/1996
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 4h20min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Maurício Nogueira Frota
Formação:
Atividade: Diretor de Metrologia Científica e Industrial do Inmetro.

Equipe

Levantamento de dados: José Luciano de Mattos Dias;Carlos Eduardo Barbosa Sarmento;
Pesquisa e elaboração do roteiro: José Luciano de Mattos Dias;Carlos Eduardo Barbosa Sarmento;

Transcrição:  ;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Cristiano Santiago de Sousa;

Temas

Ciência e tecnologia;
Estados Unidos da América;
Física;
Formação acadêmica;
Formação profissional;
Instituições científicas;
Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial;
Metrologia;
Pesquisa científica e tecnológica;

Sumário

1ª Entrevista: 27.09.1996

Fita 1-A: Formação técnica e acadêmica; avaliação do curso técnico de mecânica feito pelo entrevistado; avaliação dos cursos de engenharia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e da Universidade Federal Fluminense (UFF), e dos laboratórios técnicos da PUC-RJ; a experiência no projeto de reurbanização de favelas no governo Negrão de Lima; o trabalho e os projetos nos laboratórios técnicos da PUC; a inclinação do entrevistado pela bioengenharia; a Coordenação de Pós-Graduação em Engenharia (COPPE), da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e o Projeto Criptônio; a ida para os Estados Unidos: o trabalho com técnicas de ultra-som, a experiência na Universidade de Stanfford, a experiência do envolvimento da indústria com a pesquisa científica; comparação entre o Brasil e os Estados Unidos em termos de gerência do trabalho científico; observações sobre as dificuldades enfrentadas com relação aos recursos humanos; o ingresso no cargo de professor-visitante, na Universidade de Stanfford; novos comentários sobre o envolvimento da indústria com a pesquisa científica; breves considerações sobre a indústria no Brasil; comentários sobre a tese de doutorado do entrevistado.

Fita 1-B: Comentários sobre a tese de doutorado do entrevistado (continuação), e o interesse da NASA em seu projeto; o grau de incentivo do governo à pesquisa no Brasil; o retorno ao Brasil; a experiência no Instituto Tecnológico da PUC e a concorrência com o INMETRO; a interface da PUC com as indústrias; a experiência na Empresa Fluminense de Tecnologia (FLUTEC); comentários sobre o Programa de Aperfeiçoamento e Desenvolvimento Científico e Tecnológico (PADCT): os debates que antecederam sua criação, seu papel para a pesquisa científica; comentários sobre a situação da área científica e tecnológica no contexto da diminuição de recursos, entre 1979 e 1985; breve comentário sobre o PADCT II; questões sobre a avaliação do PADCT.

Fita 2-A: Questões sobre a avaliação do PADCT (continuação); comentários sobre o projeto do PADCT; a participação do entrevistado no PADCT; o impacto do Programa na indústria; questões sobre a demanda de qualidade e a certificação ISO 9000; a experiência da transição entre os governos Leonel Brizola e Moreira Franco, na condição de presidente da FLUTEC; os prejuízos da falta de continuidade nas administrações; a saída da FLUTEC e o ingresso no PADCT; a criação e as atribuições do Comitê Técnico de Assessoramento em Metrologia Legal; exposição das dificuldades e deficiências do INMETRO; comentários sobre a avaliação do desempenho do INMETRO pelo Comitê; a avaliação dos laboratórios de metrologia vinculados ao PADCT; os resultados da avaliação do INMETRO, e as regras impostas ao Instituto; a reação do INMETRO às críticas.

Fita 2-B: O ingresso no INMETRO; a participação do entrevistado na criação de 22 projetos de aperfeiçoamento para o INMETRO; comentários sobre o projeto na área de recursos humanos; breve comentário sobre o papel do Bureau Internacional; comentários sobre o projeto em parceria com outras instituições metrológicas; o corporativismo no INMETRO; o relacionamento com a comunidade científica; a importância da metrologia legal; a trajetória do entrevistado no INMETRO; questões sobre o concurso público e sobre a importância da experiência em metrologia.


2ª Entrevista: 06.12.1996

Fita 3-A: Longos comentários sobre a estrutura gerencial e de financiamento com relação aos projetos na área de metrologia no Brasil; o isolamento do INMETRO; comentários sobre os projetos em parceria com outras instituições metrológicas, e a experiência do entrevistado no processo de elaboração desses projetos; as divisões do Laboratório Nacional de Metrologia; observações sobre a abertura do INMETRO e sobre a ampliação das parcerias do Instituto.

Fita 3-B: O processo de abertura do INMETRO e a questão das parcerias; a metrologia como fator de integração; considerações sobre o convênio com a Alemanha; longos comentários sobre a cooperação entre organismos internacionais e o INMETRO; longos comentários sobre a questão do reconhecimento mútuo; a participação do INMETRO nos fóruns de discussão internacionais.

Fita 4-A: A participação do INMETRO nos fóruns de discussão internacionais (continuação); o projeto de disponibilização da referência metrológica em alta tensão; a relevância econômica da metrologia; o projeto de disponibilização da padronização quântica em eletricidade; questões sobre o padrão de massa quilograma; considerações sobre a medição de massa; comentários sobre as unidades de base em eletricidade; projetos na área de ótica; informações sobre a unidade de temperatura.

Fita 4-B: Longos comentários sobre a medição em temperatura; o projeto do relógio atômico; observações sobre a medição de massa; questões sobre a calibração; longos comentários sobre o programa de recursos humanos: o RH Metrologia.

Fita 5-A: Longos comentários sobre o programa de recursos humanos: o RH Metrologia (continuação); observações sobre os aspectos de oferta e demanda de serviços metrológicos; novos comentários sobre o RH Metrologia; a questão do credenciamento dos laboratórios.


Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados