Nilda Ney

Entrevista

Nilda Ney

Entrevista realizada no contexto do projeto "Memória da assistência social no Brasil: constituição de banco de entrevistas", desenvolvido em convênio com o Ministério da Previdência e Assistência Social através de sua Secretaria de Estado de Assistência Social, entre 2001 e 2002, com o objetivo de constituir um acervo de depoimentos sobre o tema a ser disponibilizado no CPDOC e no Centro de Referência e Estudos da Assistência Social. A escolha da entrevistada se justificou por ter sido aluna da primeira turma da Escola de Serviço Social de Niterói (1946).
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Código: E296

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Angela Maria de Castro Gomes
Dulce Chaves Pandolfi
Data: 12/11/2001
Local(ais):
Niterói ; RJ ; Brasil

Duração: 2h30min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Nilda de Oliveira Ney de Vasconcellos Cruz
Nascimento: 18/9/1916; Rio de Janeiro; RJ; Brasil;

Formação: Assistente Social.
Atividade: Aposentada.

Equipe

Levantamento de dados: Ana Carolina Huguenin Pereira;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Angela Maria de Castro Gomes;Dulce Chaves Pandolfi;

Transcrição: Suely Lamarão;

Técnico Gravação: Célia Maria Leite Costa;

Temas

Alzira Vargas do Amaral Peixoto;
Assistência social;
Crise econômica de 1929;
Darcy Sarmanho Vargas;
Hélder Câmara (Dom);
Legião Brasileira de Assistência;
Nilda de Oliveira Ney ;
Política da Boa Vizinhança;
Revolução de 1930;
Serviço social;

Sumário

Entrevista: 12.11.2001
Fita 1-A: Local e data de nascimento; biografia das famílias materna e paterna; ascendência alemã, casamento dos pais; curso primário; informações sobre o Ginásio de Santo Antônio de Pádua, que sua família ajudara a fundar; formatura na Escola Normal (1937); trabalho como professora primária em Paraíso do Tobias; pai próspero negociante e proprietário de terras; fundação e organização da Escola Normal em Pádua; irmãos; falência e morte do pai; Grande Depressão (1929); perdas materiais da família; falência de parentes; mudança para Paraíso do Tobias com mãe e irmãos; prestígio das professoras do interior; Dona Nilda fala sobre sua personalidade forte e audaciosa; transferência para Aperibé; salário de professora e aulas particulares para sustentar a família; Revolução de 30; elogio ao governo Getúlio Vargas; lembranças das repercussões da Revolução de 30 em Pádua; qualidade do ensino público nos anos 30 e 40; cursos de especialização entre 1942-44; formação da Caixa Escolar em Aperibé; organização e funcionamento das escolas públicas de Aperibé e Paraíso do Tobias; curso de monitora de Educação Física em Niterói; relações com a família Boechat; alfabetização de adultos; influência familiar na obtenção de bolsas de estudo para os irmãos; ingresso na Escola de Serviço Social de Niterói (ESS), através do secretário de governo Dr. Viçoso.

Fita 1-B: Primeiro contato com Dona Yolanda Maciel; criação da ESS de Niterói em 1945; divisão da família; mudança para Niterói; Estado Novo (1937-1946) e Amaral Peixoto como interventor fluminense; curso de visitadora social pelo rádio promovido pela LBA (ainda com Dona Darcy); Dona Maria Isolina Pinheiro e a ESS do Rio de Janeiro (hoje pertencente à UERJ); monografia do curso de visitadora; funções de uma visitadora social; fundação da ESS de São Paulo (hoje parte da PUC); pessoas envolvidas na fundação da ESS de Niterói; viagem aos Estados Unidos; ESS de Niterói pertencendo ao Estado e à LBA; admiração por Dona Alzira Vargas; emprego no Colégio Batista; professoras primárias formam as primeiras turmas da Escola de Niterói; designação para freqüentar o curso de Assistente Social; formação religiosa; mentalidade avançada do pai; superintendência na Campanha Nacional Contra Tuberculose; vida social; casamento; importância da Escola Normal na escolha da carreira; papel na Diretoria Nacional da Associação Brasileira de Assistentes Sociais (ABAS); apoio de Dom Hélder Câmara e Odila Ferreira para que ESS de Niterói adquirisse nível universitário (1952); entrevista com Anísio Teixeira; cursos freqüentados na Escola de Serviço Social de Niterói; curso de educação doméstica; organização na ESS de Niterói de um escritório de agência social; Instituto Social de Mademoiselle Marsaud; destaque à importância de Yolanda Maciel em sua formação; bom rendimento acadêmico; qualidade das aulas da ESS de Niterói; influência das aulas de Higiene e Medicina Social em seu trabalho como professora de Assistência Médica; monografia de final de curso: "Serviço Social Indispensável à Tuberculose".

Fita 2-A: Paula Souza funda Campanha Nacional Contra Tuberculose; Dona Yolanda a envia para trabalhar no Serviço Nacional de Tuberculose (1949); estágio com Edith Rosset e Maria Mesquita Sampaio; Dona Nilda elabora manual de serviço para assistentes sociais e viaja pelo Brasil para organizar dispensários; criação da Escola de Visitadoras Sanitárias; Dona Nilda é nomeada superintendente para coordenar, a nível nacional, o Serviço da Campanha contra a Tuberculose; atividades das visitadoras sanitárias; eleita presidente da Diretoria Nacional de Assistentes Social; Professora de Serviço Social Médico; grande dimensão da Campanha Contra Tuberculose: Dona Nilda viaja, dá palestras e trabalha com supervisoras; desenvolvimento do Serviço Social Médico: fundação do Serviço Social no Hospital Antônio Pedro; Professora de Serviço Social de Caso; ESS de Niterói passa a ter nível universitário: mudanças; comentários sobre Dona Alzira; Dona Nilda assume a direção da ESS de Niterói; curso na Escola de Assistentes Sociais em Buenos Aires (1952): comentário sobre o alinhamento do Serviço Social argentino à política peronista; viagem ao Chile; bolsa de estudos nos Estados Unidos: mestrado em Pittsburgh.

Fita 2-B: "Política da Boa Vizinhança"; temporada nos Estados Unidos: experiências, observações, professores, aprendizado; Guerra da Coréia (1950-53); crença na geração política brasileira dos anos 40- 50; amizade com a Doutora Nise da Silveira e com Mário Magalhães; casamento com homem desquitado; trabalho de Nise da Silveira na Casa das Palmeiras; convívio com Lígia Loureiro; características das assistentes sociais do Instituto Social Feminino de São Paulo; diferenças entre assistência social e filantropia: necessidade de estudo, embasamento cultural para diferenciá-las; envolvimento da assistência com a Igreja; ESS de Niterói menos eliminada que a de São Paulo.

Fita 3-A: Informações sobre a Escola de Serviço Social do Rio de Janeiro; interesse político na área de saúde do Serviço Social; crenças no Serviço Social como forma de realizar modificações sociais; observações finais.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados