Tancredo Neves

Entrevista

Tancredo Neves

Entrevista realizada no contexto da pesquisa "Trajetória e Desempenho das Elites Políticas Brasileiras", parte integrante do projeto institucional do Programa de História Oral do CPDOC, em vigência desde sua criação, em 1975. Publicada no livro TANCREDO fala de Getúlio (depoimento) / Org. Valentina da Rocha Lima e Plínio de Abreu Ramos. Porto Alegre: L&PM, 1986. 127p. il. Trechos da entrevista foram publicados no livro GETÚLIO: uma história oral. / Valentina da Rocha Lima (Coordenação) ; Dora Rocha...[et al]. Rio de Janeiro: Record, 1986. 321. il. A escolha do entrevistado se justificou por sua trajetória política.
Forma de Consulta:
Entrevista datilografada disponível na Sala de Consulta do CPDOC.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Valentina da Rocha Lima
Plínio de Abreu Ramos
Data: 10/7/1984
Local(ais):
Belo Horizonte ; MG ; Brasil

Duração: 2h0min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Tancredo de Almeida Neves
Nascimento: 4/3/1910; São João Del Rey; MG; Brasil;

Falecimento: 21/4/1985; São Paulo; SP; Brasil;

Formação: Faculdade de Direito de Belo Horizonte.
Atividade: Deputado estadual MG (1947-51); deputado federal MG (1951-53); Ministro da Justiça (1953-54); deputado federal MG (1954-55); presidente do Bbanco Nacional de Desenvolvimento Econômico - BNDE (1960); primeiro-ministro (1961-62)l deputado federal MG (1963-79); senador MG (1979-83); presidente do Partido Popular - PP (19891-82); governador MG (1983-84); Presidente da República eleito.

Equipe

Levantamento de dados: Valentina da Rocha Lima;Plínio de Abreu Ramos;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Valentina da Rocha Lima;Plínio de Abreu Ramos;

Conferência da transcrição: Plínio de Abreu Ramos;

Copidesque: Dora Rocha;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Heloísa Fesch Menandro;

Temas

Autoritarismo;
Castilhismo;
Crise de 1954;
Democracia;
Getúlio Vargas;
Getulismo;
Governo Getúlio Vargas (1951-1954);
Gustavo Capanema;
Juscelino Kubitschek;
Populismo;
Rio Grande do Sul;
Tancredo de Almeida Neves;

Sumário

Entrevista: as duas vertentes ideológicas da política sul-riograndense: castilhismo e liberalismo; a relação de Vargas com o poder: a marca do positivismo e do castilhismo; o poder como vocação e instrumento de realização; definição de política; a política em Vargas: obra de estadista e obra de artista; caracterização de Vargas como estadista: centralização e unidade nacional, constâncias de seu pensamento; os obstáculos ao 2º governo; a Constituição descentralizadora de 1946, as forças reacionárias e o desajuste do presidente às instituições; o regime democrático como excitante da ação governamental: o projeto de desenvolvimento econômico do 2º governo; as relações de Vargas com a política mineira; características mineiras e gaúchas de Vargas; a defesa do 1º veto de Vargas ao Parlamento a pedido de Capanema (2º governo); a aprovação do veto e o 1º contato do entrevistado com Getúlio; o comportamento do PSD no 2º governo; o apoio de Vargas a Minas durante o governo Juscelino; a liderança de Capanema no 2º governo; fatores da crise do 2º governo; consideração sobre a volta de Vargas em 1950; a diferença institucional entre os dois governos de Getúlio: autoritarismo e democracia; o respeito de Vargas pelas instituições democráticas no 2º governo; a dificuldade de articulação política no regime democrático e a oposição subversiva; a falta de alternativa na escolha dos ministros militares; o Manifesto de Coronéis como expressão da oposição subversiva; o 1º ministério e sua contradição com a campanha popular; o 2º Ministério como tentativa de ajustamento à pregação de campanha; a opção de Vargas pelas grandes reformas: o risco à estabilidade do governo; o 5 de agosto e a nova dimensão da crise; o suicídio como ato de protesto; as possíveis medidas de repressão e a recusa de Vargas a tomá-las; a rejeição de Vargas à proposta de estado de sítio; o suicídio como ato político; a mudança de atitude do presidente após a reunião ministerial: a decepção com os ministros militares; a confiança na unanimidade das Forças Armadas: as diferentes posições do ministro da Guerra e do ministro da Justiça durante a crise; a viagem a Minas e a hospitalidade de Juscelino; a tentativa frustrada de deflagrar o processo sucessório para esmaecer a crise; razões da preferência de Getúlio por Juscelino; o isolamento do poder e de Getúlio; o suicídio "faz" três presidentes da República; continuidade, semelhanças e diferenças entre os governos de Getúlio e de Juscelino; comparação dos dois estadistas; diferença entre populismo e getulismo; Getúlio e as forças de intermediação; comparação entre Vargas e Juscelino; Getúlio, a articulação com os ministérios e a assessoria de alto nível; o projeto de Vargas: as três grandes revoluções do país (política, econômica e social); Vargas, o estatismo e o capital privado; o esquema Etelvino (1954); as relações de Vargas com Valadares (após 1945) e com Bernardes; as conseqüências políticas do suicídio: os dois momentos 1954 e 1964; a herança de Vargas: continuidade e rupturas; a singularidade de Vargas como político; perfil de Vargas; o autoritário e o democrata; pessoas queridas de Getúlio; considerações sobre o político Getúlio Vargas: contradições aparentes e objetivos permanentes ......................................1 a 61

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados