Walter Rocha de Oliveira

Entrevista

Walter Rocha de Oliveira

Entrevista realizada no contexto do projeto "Memória do setor de energia elétrica: fase pré-operacional da Eletrobrás (1953 a 1962)", na vigência do convênio entre o CPDOC-FGV e o Centro da Memória da Eletricidade no Brasil (1987-88). Informações sobre o acervo produzido no contexto deste projeto podem ser obtidas em "Programa de História Oral da Memória da Eletricidade: catálogo de depoimentos" (Rio de Janeiro, Centro da Memória da Eletricidade no Brasil, 1990). A escolha do entrevistado se justificou por ser engenheiro especializado em eletricidade e por ser ex-diretor de planejamento da Eletrobrás.
Forma de Consulta:
Entrevista datilografada disponível na Sala de Consulta do CPDOC.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Ignez Cordeiro de Farias
Data: 21/8/1987 a 5/11/1987
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 7h10min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Walter Rocha de Oliveira
Formação: Engenheiro especializado em eletricidade.
Atividade: Diretor da divisão de energia da Sudene ; diretor de planejamento da Eletrobrás em 1964.

Equipe

Levantamento de dados: Ignez Cordeiro de Farias;Heloísa Fesch Menandro;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Ignez Cordeiro de Farias;Heloísa Fesch Menandro;

Conferência da transcrição: Ignez Cordeiro de Farias;

Copidesque: Elvira Maria de Moura Realeiro;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Heloísa Fesch Menandro;

Temas

Celso Furtado;
Comissão Mista Brasil - EUA (1951-1953);
Companhia Hidrelétrica do São Francisco;
Departamento Nacional de Obras Contra a Seca;
Eletrobrás;
Empresas estatais;
Energia elétrica;
França;
Governo Getúlio Vargas (1951-1954);
Petrobras;
Política energética;
Região Nordeste;
Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene);
Válter Rocha de Oliveira;

Sumário

1ª Entrevista: origem; vinda para o Sudeste; formação profissional; na Missão Técnica Francesa, Rio de Janeiro, como estagiário e como engenheiro; a nacionalização das empresas de serviço público da França no pós-guerra e as Missões Técnicas Francesas; estudos e elaboração do anteprojeto do Metropolitano do Rio de Janeiro (prefeitura do dr. João Carlos Vital); crise de energia elétrica no Brasil nos anos 50 e os planos da Assessoria Econômica do Segundo Governo Vargas; ida para a França como bolsista do governo francês: estágio na Electricité de France; a implantação dos ônibus elétricos no Rio de Janeiro (prefeitura do dr. Negrão de Lima); a Comissão Mista Brasil-Estados Unidos (1951); a volta da França durante o governo JK; o emprego no Serviço Técnico do Fundo Federal de Eletrificação (FFE) do Conselho Nacional de Águas e Energia Elétrica (CNAEE); tentativa para ingressar no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em Washington; convite de Celso Furtado ao entrevistado para dirigir a Divisão de Energia da SUDENE; a estrutura básica da SUDENE; os contatos da entidade com o BNDE; a montagem das equipes técnicas; a transformação da Divisão em Departamento de Energia; o Primeiro Plano Diretor da SUDENE: as metas e a tipologia do Nordeste no setor energético; caracterização da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF); as redes deficitárias de distribuição; os contatos entre a SUDENE e a CHESF; a nova concepção de eletrificação do Plano Diretor; as verbas da SUDENE, a Companhia Estadual de Minas CEMIG) e o FFE; as prioridades estabelecidas pela SUDENE para o Nordeste e os problemas da CHESF; as relações da SUDENE com a Amforp, com os governos estaduais e com a CHESF; o caso de Fortaleza; a energia termelétrica no Nordeste; as linhas de transmissão; o Nordeste das capitais periféricas; problemas em Pernambuco; o drama de Teresina e a solução da Companhia Hidrelétrica de Boa Esperança (COHEBE); estudos para interligação dos sistemas da CHESF e da COHEBE; histórico da criação da COHEBE: o grupo misto DNOCS - SUDENE - Eletrobrás ..................................................................................1 a 60

2ª Entrevista: o trabalho do entrevistado no Serviço Técnico do FFE (1958); caracterização e recursos do FFE; considerações sobre o CNAEE e outros órgãos de administração direta no Brasil; os recursos do FFE e o BNDE; a presença de militares nos quadros técnicos das empresas; caracterização do DNOCS; histórico, a Inspetoria Federal de Obras contra a Seca (IFOCS), o conhecimento técnico, a vinculação à política dos coronéis; as relações entre o DNOCS e a SUDENE; considerações técnicas sobre a obra do DNOCS em Boa Esperança (COHEBE); a viabilização da COHEBE pelo grupo misto DNOCS-SUDENE-Eletrobrás; a implantação do Primeiro Plano Diretor da SUDENE na área de energia elétrica: a aprovação em bloco e as forças de apoio; Jânio Quadros e a SUDENE; o relacionamento de Celso Furtado com as equipes da SUDENE; estrutura da SUDENE na época de Celso Furtado e sua posterior burocratização; a AMFORP, a SUDENE e a questão tarifária no Nordeste: o terceiro Nordeste da tipologia do Brasil; as empresas estatais brasileiras: comparação entre a Vale do Rio Doce e a Eletrobrás ("culturas" diferentes); considerações sobre a criação do Ministério das Minas e Energia (governo Jânio Quadros); a contradição entre a orientação centralizadora do Ministério e o Partido da Frente Liberal (PFL); considerações sobre a privatização do setor energético brasileiro, a Eletrobrás e a SEPLAN; avaliação das experiências de trabalho do entrevistado e da atualidade brasileira: o modelo do setor elétrico .................................................60 a 157

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados