AUSTREGESILO RIBEIRO DE MENDONCA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MENDONÇA, Austregésilo de
Nome Completo: AUSTREGESILO RIBEIRO DE MENDONCA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MENDONÇA, AUSTREGÉSILO DE

MENDONÇA, Austregésilo de

*dep. fed. MG 1963-1971.

 

Austregésilo Ribeiro de Mendonça nasceu em São José de Ubá, no município de Cambuci (RJ), no dia 25 de julho de 1908, filho do farmacêutico Joaquim Ribeiro de Mendonça e de Francisca Curvelo de Mendonça.

Cursou o secundário no Colégio Espírito Santo, em Vitória. Fixando-se posteriormente no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, diplomou-se, em 1931, pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil, instituição da qual tornou-se assistente após sua formatura. De 1933 a 1934, trabalhou como psiquiatra no Serviço Nacional de Doentes Mentais e, entre 1935 e 1937, foi livre-docente da cadeira de clínica psiquiátrica na Faculdade Nacional de Medicina. Também no Rio de Janeiro, foi interno do Serviço de Assistência Pública e do Hospital de Pronto-Socorro da Prefeitura.

Transferindo-se depois para Belo Horizonte, foi assistente do Instituto Neuropsiquiátrico Raul Soares, diretor do Departamento de Assistência Neuropsiquiátrica do Estado de Minas Gerais e professor-assistente da Faculdade de Medicina da Universidade de Minas Gerais (UMG), atual Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde também atuou como livre-docente e professor-adjunto da cadeira de clínica psiquiátrica, permanecendo nesta última função de 1939 a 1951. Membro do conselho universitário da UMG e inspetor técnico do Departamento de Assistência Hospitalar da Diretoria de Saúde Pública de Minas Gerais, dirigiu ainda a Divisão de Psiquiatria deste órgão. Em 1947, fundou a Casa de Saúde Santa Maria e, em 1951, passou a lecionar na Faculdade de Ciências Médicas.

De outubro de 1958 a janeiro de 1961, no governo José Francisco Bias Fortes (1956-1961), exerceu a função de secretário de Saúde e Assistência de Minas.

Iniciou a vida parlamentar no pleito de outubro de 1962, elegendo-se deputado federal por Minas Gerais pela legenda da coligação que uniu o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), ao qual era filiado, o Partido Social Progressista (PSP) e o Partido Libertador (PL). Assumindo o mandato em fevereiro de 1963, exerceu a vice-presidência do PTB deste ano até 1965, quando a decretação do Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) extinguiu todos os partidos políticos existentes no país e instituiu o bipartidarismo. Filiou-se, então, à Aliança Renovadora Nacional (Arena), legenda de apoio ao regime militar instaurado no país em abril de 1964.

Em fevereiro de 1966, afastou-se da Câmara dos Deputados para voltar a ocupar a Secretaria de Saúde de Minas Gerais no governo de Israel Pinheiro (1966-1970), à frente da qual permaneceu até agosto do mesmo ano, quando reassumiu seu mandato. Reelegeu-se em novembro seguinte e tentou fazê-lo mais uma vez no pleito de novembro de 1970, obtendo apenas a quarta suplência. Membro da comissão executiva do diretório regional da Arena em Minas Gerais, deixou a Câmara em janeiro de 1971. Como deputado, foi membro e presidente da Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados.

Abandonando a carreira política, passou a dedicar-se exclusivamente a atividades docentes, na UFMG, e médicas.

Afastado das atividades parlamentares, Austregésilo de Mendonça voltou ao exercício da medicina e ao ensino da psiquiatria. Tornou-se ainda livre-docente da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro efetivo da Academia Mineira de Medicina, da Associação Médica de Minas Gerais, da Associação Psiquiátrica do Rio de Janeiro e da Associação Brasileira de Psiquiatria, representando seu estado em vários congressos internacionais de saúde pública. Foi também diretor-geral do Departamento de Neuropsiquiatria. Fundador e diretor-presidente da Casa de Saúde Santa Maria, em Belo Horizonte, foi membro fundador da Associação dos Hospitais de Minas Gerais.

Faleceu em Belo Horizonte no dia 19 de abril de 1999.

Era casado com Maria Ildefonso de Mendonça, com quem teve três filhos.

Publicou vários trabalhos sobre saúde pública, incluindo as teses de livre-docência Novos aspectos na terapêutica de esquizofrenia, apresentada na UFMG, e O cardiazol no tratamento da esquizofrenia, apresentada na UFRJ.

 

FONTES: ANDRADE, F. Relação; ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1967-1971); INF. Austregésilo Ribeiro de Mendonça Júnior; Rev. Arq. Públ. Mineiro (12/76); Súmulas; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (6, 8 e 9).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados