LIMA FILHO, VIVALDO DE PALMA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: LIMA FILHO, Vivaldo de Palma
Nome Completo: LIMA FILHO, VIVALDO DE PALMA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
LIMA FILHO, VIVALDO DE PALMA

LIMA FILHO, Vivaldo de Palma

*dep. fed. AM 1947-1949; sen. AM 1951-1967.

 

Vivaldo de Palma Lima Filho nasceu em Manaus no dia 28 de agosto de 1902, filho de Vivaldo de Palma Lima e de Elvira Augusta Baraúna de Lima.

Cursou o primário no Colégio Raiol e o secundário no Ginásio Amazonense, ambos em Manaus. Ingressando na Faculdade de Medicina da Bahia, participou da Reação Republicana, movimento que promoveu em 1921-1922 a candidatura de Nilo Peçanha à presidência da República. Foi presidente e vice-presidente da Sociedade da Beneficência Acadêmica Alfredo Brito, entre 1925 e 1927. Em 1926 foi monitor voluntário da cadeira de medicina operatória em sua faculdade. No ano seguinte foi auxiliar voluntário do Dispensário Ramiro de Azevedo. Diplomou-se em dezembro de 1927 com especialização em ortopedia e traumatologia.

Participou da Aliança Liberal (1929-1930). Em 1935, foi escolhido delegado do estado do Amazonas e do Sindicato Médico Brasileiro à III Conferência Pan-Americana da Cruz Vermelha. Em 1938 representou a Cruz Vermelha Brasileira no I Congresso Americano e Brasileiro de Cirurgia.

Com o fim do Estado Novo (1937-1945) e a promulgação da nova Constituição brasileira (18/9/1946), elegeu-se, no pleito suplementar de janeiro de 1947, deputado federal pelo Amazonas, por uma coligação formada pela União Democrática Nacional (UDN) e o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Empossado no mês de maio seguinte, tornou-se membro da Comissão de Educação e Cultura da Câmara. Em 1948 foi escolhido chefe da delegação da Cruz Vermelha Brasileira à XVII Conferência Internacional da entidade, realizada em Estocolmo, Suécia. No ano seguinte, tornou-se membro honorário da Cruz Vermelha Venezuelana. Renunciou ao mandato em novembro de 1949, antes do término da legislatura.

Em outubro de 1950 elegeu-se senador pelo PTB amazonense, assumindo a cadeira em fevereiro do ano seguinte. Nesse período chefiou a delegação da Cruz Vermelha Brasileira à Conferência do Conselho dos Governadores da Liga das Sociedades da Cruz Vermelha, realizada em Monte Carlo, Mônaco, bem como a delegação daquela entidade à VII Conferência Interamericana, realizada no México. Em novembro de 1964 tornou-se membro honorário do Instituto Brasileiro de História da Medicina. Ainda nesse ano chefiou a delegação da Cruz Vermelha Brasileira à Conferência do Conselho dos Governadores da Liga das Sociedades da Cruz Vermelha, realizada em Oslo, na Noruega.

Em 1956 foi escolhido primeiro-secretário do Senado. No pleito de outubro de 1958 foi reeleito. Em março de 1963 tornou-se vice-líder do PTB no Senado. Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), de apoio ao governo. Por essa legenda chegou a lançar sua candidatura a nova reeleição, retirando-a, contudo, antes do pleito de novembro de 1966, no qual o arenista Álvaro Botelho Maia elegeu-se senador pelo Amazonas. Concluiu seu mandato em janeiro de 1967, não retornando ao Senado.

Foi médico ortopedista da Prefeitura do antigo Distrito Federal e por duas vezes presidente da Cruz Vermelha Brasileira; professor de cirurgia infantil e ortopédica na Faculdade de Medicina da capital federal e de prática cirúrgica na Escola de Enfermeiras da Cruz Vermelha Brasileira; membro do Conselho Diretor da Cruz Vermelha Brasileira; vice-presidente, diretor e chefe do serviço de ortopedia e traumatologia do Hospital da Cruz Vermelha Brasileira, e vice-presidente do Conselho de Governadores da Liga das Sociedades da Cruz Vermelha. Capitão-médico da reserva do Serviço de Saúde do I Exército, trabalhou também como cirurgião traumatologista da União Panificadora, ligada à Companhia de Seguros de Acidentes do Trabalho. Foi chefe do Serviço de Cirurgia e Traumatologia da Meridional e da Novo Mundo, ambas vinculadas à Companhia de Seguros e Acidentes do Trabalho. Trabalhou como cirurgião ortopedista do hospital do Pronto-Socorro de Assistência Municipal do Distrito Federal. Foi delegado do Amazonas à I Conferência de Proteção à Infância e ao II Congresso Nacional de Higiene. Representou também o Instituto Histórico e Geográfico do Amazonas no I Congresso Nacional de História e Geografia e no Congresso das Academias e Sociedades de Cultura Literária do Brasil. Chefiou a delegação da Cruz Vermelha Brasileira à XVIII Conferência Internacional da Cruz Vermelha em Toronto, Canadá.

Foi sócio da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e da Sociedade de Ortopedia e Traumatologia — com sede em Rosário, Argentina. Foi ainda membro do Conselho Deliberativo do Sindicato Médico Brasileiro, membro-honorário do Grupo Americanista de Intelectuais e Artistas do Uruguai, membro-fundador do Instituto Histórico e Geográfico do Amazonas, membro-fundador e presidente do Conselho Deliberativo da Unio Nationali et Internationali Energiae Renovatrice (Uniter), membro de honra da I Jornada do Serviço de Saúde da Aeronáutica e sócio-honorário da Cruz Vermelha da Guatemala.

Faleceu em Brasília no dia 28 de julho de 1979.

Era casado com Maria de Nuria Vilas Boas de Lima, com quem teve uma filha.

Publicou Sobre oleotórax (tese de doutoramento, 1927); O pneumotórax artificial (1927), Sobre a ostrossíntese dos ossos do antebraço (1934), A posição do antebraço nas fraturas do rádio (1934), A cura dos pés tortos (1934), Equiparação dos cursos de enfermeiras profissionais (1935), O papel da aviação sanitária nos casos de calamidade (1935), Sobre um caso de fratura multifragmentar diafisária. A patologia geral (1937), Fratura do côndilo interno umeral (1938), Consolidação viciosa da fratura supracondiliana do úmero (1939), Feudarrose da tíbia e consolidação viciosa do perônio. Osteossíntese (1938), Sobre os métodos de osteossíntese (1939), Fratura cominutiva da rótula Patelectomia (1940), Gangrena gasosa em fratura fechada do perônio (1941), Osteossíntese metálica em fratura de Dupuytrem (1942), Contribuição à técnica de artro-pneumo-radiografia (1942), Sobre alguns casos de cirurgia óssea e articular (1942), além de outros artigos e discursos.

 

 

FONTES: AUDRÁ, A. Bancada; CÂM. DEP. Deputados; CISNEIROS, A. Parlamentares; CORTÉS, C. Homens; COUTINHO, A. Brasil; Diário do Congresso Nacional; FLEISCHER, D. Thirty; HIRSCHOWICZ, E. Contemporâneos; Jornal do Brasil (16/10/66 e 30/7/79); MACEDO, N. Aspectos; Rev. Ciência Pol. (1966); ROQUE, C. Grande; SENADO. Dados; SENADO. Relação; SENADO. Relação dos líderes; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1, 2 e 8).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados