Helena Vitória dos Santos Machado

Entrevista

Helena Vitória dos Santos Machado

Entrevista realizada no contexto do projeto "História do Movimento Negro no Brasil", desenvolvido pelo CPDOC em convênio com o South-South Exchange Programme for Research on the History of Development (Sephis), sediado na Holanda, a partir de setembro de 2003. A pesquisa tem como objetivo a constituição de um acervo de entrevistas com os principais líderes do movimento negro brasileiro. Em 2004 passou a integrar o projeto "Direitos e cidadania", apoiado pelo Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex) do Ministério da Ciência e Tecnologia. As entrevistas subsidiaram a elaboração do livro "Histórias do movimento negro no Brasil - depoimentos ao CPDOC." Verena Alberti e Amilcar Araujo Pereira (orgs.). Rio de Janeiro: Pallas; CPDOC-FGV, 2007. A escolha da entrevistada se justificou por ser uma das principais referências do movimento negro no Sul do país.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista em áudio disponível na Sala de Consulta do CPDOC.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC.
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: Histórias do movimento negro no Brasil - depoimentos ao CPDOC. Verena Alberti e Amilcar Araujo Pereira (orgs.). Rio de Janeiro: Pallas; CPDOC-FGV, 2007.

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Amilcar Araujo Pereira
Data: 1/12/2006
Local(ais):
Porto Alegre ; RS ; Brasil

Duração: 2h0min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Helena Vitória dos Santos Machado
Nascimento: 9/8/1943; Porto Alegre; RS; Brasil;

Formação: Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1970); curso de especialização em Sociedade, Cultura e Política na América Latina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1979-1980).
Atividade: Militante do movimento negro desde a década de 70; participante do Grupo Palmares; participante do Movimento Negro Unificado; fundadora do Grupo Ação Cultural Kuenda; funcionária pública do município de Porto Alegre.

Equipe

Levantamento de dados: Amilcar Araujo Pereira;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Amilcar Araujo Pereira;

Transcrição: Amilcar Araujo Pereira;

Conferência da transcrição: Fernanda Corrêa da Silva;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque;

Sumário: Fernanda Corrêa da Silva;

Temas

Movimento negro;

Sumário

Entrevista: 06/12/2006

Parte 1: Origens familiares; primeiros estudos; detalhes sobre os pais - Claro Conceição Machado e Marion dos Santos; comentários sobre o irmão, Voltaire; trajetória na faculdade de arquitetura entre 1964 e 1970; comentários sobre o Clube do Chá - local de encontro da burguesia negra do Rio Grande do Sul - e a relação com os freqüentadores do Clube; entrada no Grupo Palmares em 1971 e sua trajetória até o fim da década de 1970: participação ativa no processo de construção do 20 de novembro como Dia Nacional da Consciência Negra; atuação em eventos comemorativos e de divulgação, matérias de jornais como Tição, Zero Hora, O Estado de São Paulo, Folha; entrada no Movimento Negro Unificado (MNU) em 1979; comentários sobre o emprego em um escritório de arquitetura em Santa Catarina e em 1975 na Prefeitura, na Secretaria de Obras; fim do jornal Tição e saída da entrevistada do MNU na década de 1980.


Parte 2: Reflexões sobre as propostas do MNU e uma burocratização gradual do Movimento; comparações entre o Grupo Palmares, o MNU e as ações realizadas pela entrevistada atualmente; observações sobre o trabalho realizado no jornal Tição; convite para participar como militante do movimento negro, de ações governamentais, em 1986; contribuições para a criação da I Semana do Negro e, posteriormente, para a Assessoria do Negro; importância da saída da entrevistada da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) e sua entrada na Cultura para trabalhar em uma só direção: a questão negra; detalhes sobre o trabalho específico da entrevistada na prefeitura; militância no Partido dos Trabalhadores (PT); o papel no núcleo dos professores de Porto Alegre para discutir a questão negra; comparações entre a cidade de Porto Alegre e o estado do Rio Grande do Sul em relação à questão negra; observações sobre o Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (Codene); a criação da Assessoria do Negro, atual Assessoria de Políticas Públicas para o Povo Negro, em 1992, na prefeitura de Tarso Genro; a realização da Semana da Consciência Negra (Secon) pela Assessoria de Políticas Públicas para o Povo Negro; problemas com a Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) que resultaram na saída da entrevistada; a sua passagem pelo Mercado Público seguida pela entrada na Cultura; recordações sobre o Mercado e o trabalho com o Bará (um orixá); papel da entrevistada na Ação Cultural Kuenda, um projeto com comunidades do interior do Rio Grande do Sul: trabalhos no município de Rio Pardo desde a década de 90, no Quilombo de Rincão dos Negros, trabalhos na cidade de Areal através de órgãos públicos como a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), o Ministério do Trabalho a partir de 2000; detalhes sobre o Quilombo de Rincão dos Negros e suas festividades, como a festa de Nossa Senhora da Conceição no dia 8 de Dezembro, a prática do quicumbi (dança de origem africana) e a comemoração do 13 de Maio; avaliações sobre a trajetória da entrevistada desde o início da militância em movimentos, da busca pela intervenção; opiniões sobre as políticas públicas em relação aos quilombolas; relevância da lei 10.639, que torna obrigatório o ensino de história e cultura afro-brasileira nas escolas; projeto atual: trabalhar com jongo; comentários sobre um trabalho com jongo com o grupo Coisapreta; lembranças da infância e dos primeiros contatos musicais; reflexões sobre o papel do movimento negro na sociedade.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados