ADALBERTO TABOSA DE ALMEIDA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ALMEIDA, Tabosa de
Nome Completo: ADALBERTO TABOSA DE ALMEIDA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ALMEIDA, TABOSA DE

ALMEIDA, Tabosa de

*dep. fed. PE 1963-1971.

Adalberto Tabosa de Almeida nasceu em Caruaru (PE) no dia 17 de abril de 1917, filho de Ambrósio Florentino de Almeida e de Eulália Tabosa de Almeida.

Diplomou-se em ciências jurídicas e sociais pela Universidade de Alagoas em 1943 e no ano seguinte formou-se em ciências contábeis e econômicas pela atual Universidade Federal de Pernambuco. Ainda em 1944 foi aprovado no concurso promovido pelo Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP) para agente fiscal do imposto de consumo.

Após o fim do Estado Novo (1937-1945), elegeu-se em janeiro de 1947 deputado à Assembléia Constituinte de Pernambuco por uma coligação formada pela União Democrática Nacional (UDN), com o Partido Democrata Cristão (PDC) e o Partido Libertador (PL). Empossado em março seguinte, participou dos trabalhos constituintes e, após a promulgação da nova Carta estadual, passou a exercer o mandato ordinário. Em outubro de 1950 reelegeu-se deputado estadual na legenda da Coligação Democrática Republicana, constituída pelo PL e a UDN. Permanecendo na Assembléia pernambucana, integrou em 1951 a delegação brasileira à VII Conferência Interamericana de Advogados. Reeleito em outubro de 1954, desta vez na legenda do Partido Social Democrático (PSD), em 1957 presidiu a delegação parlamentar do Nordeste em visita à União Soviética. Em outubro do ano seguinte foi mais uma vez reconduzido à Assembléia Legislativa de Pernambuco, na legenda do PSD. Ao longo dessa legislatura presidiu as comissões de Leis Suplementares e de Constituição e Justiça da Assembléia e foi relator da Lei de Organização Judiciária do estado.

Nesse período, no ano de 1956, tornou-se titular do 2º Cartório de Registro de Imóveis do Recife, mas licenciou-se devido à sua atividade política.

No pleito de outubro de 1962 elegeu-se deputado federal por Pernambuco na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Deixando a Assembléia em janeiro de 1963, assumiu no mês seguinte o mandato na Câmara, tornando-se, em julho de 1965, vice-líder do bloco parlamentar da maioria. Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), assumindo em abril de 1966 a vice-liderança do partido governista na Câmara dos Deputados.

Reeleito em novembro seguinte na legenda da Arena, foi suplente da Comissão Constitucional que participou da elaboração da nova Carta, promulgada pelo Congresso Nacional em janeiro de 1967. Ainda nessa legislatura exerceu a vice-presidência da Comissão de Justiça, integrou a Comissão de Orçamento e atuou como relator geral da Comissão de Códigos e Obrigações da Câmara dos Deputados. Em maio de 1970 foi novamente designado vice-líder da Arena na Câmara, função que exerceu até janeiro do ano seguinte, quando concluiu o mandato, não mais retornando àquela casa legislativa.

Em 1971, encerrada sua trajetória política, assumiu a condição de titular do 2º Cartório de Registro de Imóveis do Recife, função que desempenhou até 1987.

Fez o curso de doutorado na Faculdade de Direito de Recife.

Foi também jornalista e catedrático de direito civil na Faculdade de Direito de Caruaru.

Faleceu no dia 26 de fevereiro de 2005.

Casou-se com Giannina Mastroianni de Almeida, com quem teve quatro filhos.

Publicou, entre outros, Nabuco, o homem e o político (1949), Do cargo de vice-governador e de sua primeira investidura pelo processo indireto (1957), Visão panorâmica da Europa (1958), Das obrigações solidárias no direito civil de vários povos (1961), Os titulares de ofício da Justiça e a garantia da vitaliciedade (1961), Conteúdo econômico da vitaliciedade (1962), Cultura, democracia e liberdade (1964), A burocratização dos cartórios (1973), Temas e problemas do direito registral imobiliário brasileiro (1979), O cadastro e o registro imobiliário do Brasil (1981), Da inexatidão registral e sua retificação (1984), Nossa Arca da Aliança (1986) e Ligeiros traços autobiográficos (1992).

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1967-1971, 1971-1975); CÂM. DEP. Relação nominal; Grande encic. Delta; INF. FAM.; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1, 2, 3, 4, 6 e 8).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados