AIME ALCEBIADES SILVEIRA LAMAISON

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: LAMAISON, Aimé
Nome Completo: AIME ALCEBIADES SILVEIRA LAMAISON

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
LAMAISON, AIMÉ

LAMAISON, Aimé

*militar; gov. DF 1979-1982.

 

Aimé Alcebíades Silveira Lamaison nasceu em Passo Fundo (RS) no dia 21 de novembro de 1918, filho de Alcebíades Lamaison e de Universina Berenice Silveira Lamaison.

Em 1936, ingressou no Colégio Militar de Porto Alegre, continuando sua formação no Escola Militar de Realengo, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais e na Escola de Comando e do Estado-Maior do Exército.

Em 1966, alcançou a patente de coronel. Nesse posto, foi chefe da 4ª seção do Quartel-General do III Exército, entre abril de 1967 e março de 1968. Chefe da Diretoria do Arquivo do Exército de maio de 1968 a junho de 1969, no mês seguinte, assumiu a chefia da 1ª seção do Quartel-General do III Exército. Aí permaneceu até janeiro de 1970.

Presidente do Conselho Superior de Informações e Operações Policiais, em janeiro de 1970 foi nomeado secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, no governo de Hélio Prates da Silveira (1970-1974). Em janeiro de 1972, foi transferido para a reserva de primeira classe. Foi mantido à frente daquela pasta durante a gestão de Elmo Serejo Farias, sucessor de Prates e que governou o Distrito Federal de 1974 a 1979.

Em março de 1979, foi nomeado pelo presidente da República, general João Batista Figueiredo (1979-1985), governador do Distrito Federal, substituindo a Elmo Serejo.

À frente do Executivo brasiliense, Lamaison instalou 23 centros de saúde em cidades-satélites, construiu o Hospital da Ceilândia, criou o cargo de agente de saúde, ordenou a criação de 17 centros de bem-estar do menor (CEBEMs), entregou os terminais Cruzeiro, Taguatinga Sul e Taguacenter e duplicou o viaduto Camargo Correia. Foi ainda responsável pela reabertura do Teatro Nacional de Brasília e pela nova sede da Fundação Cultural.

Exerceu o cargo de governador até julho de 1982, quando foi substituído por José Ornelas de Sousa Filho. Neste mesmo mês, tornou-se diretor do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), permanecendo nesta função até 1985.

Faleceu em Brasília no dia 12 de dezembro de 1998.

Era casado com Vely Lamaison, com quem teve uma filha.

 

FONTES: Correio Brasiliense (3/7/82); INF. coronel Cavalcanti.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados