ALTAMIRO LOBO GUIMARAES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GUIMARÃES, Altamiro
Nome Completo: ALTAMIRO LOBO GUIMARAES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GUIMARÃES, ALTAMIRO

GUIMARÃES, Altamiro

*const. 1946.

 

Altamiro Lobo Guimarães nasceu em Tubarão (SC) no dia 2 de março de 1899, filho do inspetor de telégrafos Manuel da Silva Guimarães e de Maria Engrácia Lobo Guimarães.

Fez o curso de humanidades no Ginásio de Santa Catarina, dirigido por jesuítas, em Florianópolis, onde bacharelou-se em ciências e letras em 1916. No ano seguinte começou a trabalhar no vespertino O Estado e ingressou no quadro da administração dos Correios e Telégrafos, onde alcançou os postos de chefe de tráfego e de primeiro oficial. Em 1920 matriculou-se na Faculdade de Direito do Paraná, abandonando-a porém um ano depois.

Ingressou na vida política sob a liderança de Nereu Ramos, fundador do Partido Liberal Catarinense (PLC) em 1927. Membro do diretório central desse partido, que em 1929 incorporou-se à Aliança Liberal, participou das conspirações que fizeram deflagrar a Revolução de 1930 em Santa Catarina. Após a vitória desse movimento, integrou o Conselho Consultivo do estado. Em 1932 aderiu à posição de Nereu Ramos, que se afastou do PLC, renunciando à sua presidência para se solidarizar com a Frente Única Gaúcha (FUG) em apoio à Revolução Constitucionalista de São Paulo. Nessa ocasião, foi detido e recolhido com outros presos políticos à fortaleza de Anhatomirim. Ainda em 1932, com a fundação da Faculdade de Direito de Santa Catarina, transferiu sua matrícula para essa escola, onde, em 1937, iria completar o curso de advocacia. Em agosto de 1933, assumiu a presidência do Conselho Consultivo do estado.

No pleito de outubro de 1934 elegeu-se deputado à Assembléia Constituinte catarinense na legenda do PLC. Assumindo mandato em 1935, presidiu os trabalhos constituintes e foi um dos signatários da nova Carta estadual promulgada em agosto do mesmo ano, que estabeleceu diversas modificações nos poderes Legislativo e Executivo catarinenses. Passando a exercer o mandato ordinário — ao mesmo tempo em que Nereu Ramos iniciava o mandato de governador constitucional — foi reeleito presidente da Assembléia Legislativa nos anos de 1936 e 1937. Exerceu seu mandato até o dia 10 de novembro de 1937, quando o golpe do Estado Novo suprimiu os órgãos legislativos do país.

Entre março de 1938 e janeiro de 1944, durante o Estado Novo, exerceu o cargo de secretário da Fazenda de Nereu Ramos, agora interventor federal em Santa Catarina, substituindo-o em seus impedimentos e ausências. Com a redemocratização do país, elegeu-se deputado à Assembléia Nacional Constituinte por seu estado no pleito de dezembro de 1945, na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Assumindo sua cadeira em fevereiro de 1946, participou dos trabalhos de elaboração da Constituição até o dia 16 de agosto de 1946, quando faleceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal.

Era casado com Cora Seara Guimarães, com quem teve seis filhos.

 

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. SC. Dicionário político; CABRAL, O. Breve; CABRAL, O. Era; CABRAL, O. História; CÂM. DEP. Deputados; Constituinte; SILVA, G. Constituinte; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados