ALVES, NILTON

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ALVES, Nílton
Nome Completo: ALVES, NILTON

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

ALVES, Nílton

*dep. fed. RS 1983-1987.

 

Nilton Alves da Silva nasceu em Torres (RS) no dia 18 de abril de 1939, filho de José Paulo da Silva e de Isaura Alves da Silva.

Graduou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito de Cruz Alta (RS). Iniciou sua carreira política em 1963 como vereador em Osório (RS), no Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

Após a extinção dos partidos políticos existentes e a instituição do bipartidarismo, por força do Ato Institucional nº 2 (AI-2), de outubro de 1965, ingressou no Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. Foi reeleito vereador em Osório em 1965 e nos pleitos de novembro de 1968, 1972 e 1976.

Com o fim do bipartidarismo em novembro de 1979, e a posterior reorganização partidária, ingressou no Partido Democrático Trabalhista (PDT), fundado em maio de 1980. No mesmo ano teve, juntamente com todos os ocupantes de cargos eletivos municipais, o mandato de vereador prorrogado por dois anos por determinação do Congresso Nacional.

Em novembro de 1982 elegeu-se deputado federal pelo Rio Grande do Sul na legenda do PDT. Empossado em fevereiro seguinte, após ter concluído o mandato de vereador, tornou-se membro da Comissão de Relações Exteriores e suplente da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Federal.

Na sessão de 25 de abril de 1984, votou a favor da emenda Dante de Oliveira, que propunha o restabelecimento de eleições diretas para a presidência da República em novembro daquele ano. Como a emenda não obteve a votação necessária para ser encaminhada ao Senado Federal, decidiu apoiar, no Colégio Eleitoral reunido a 15 de janeiro de 1985 para escolher o novo presidente do país, a candidatura do ex-governador de Minas Gerais Tancredo Neves, lançada pela Aliança Democrática, coligação do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) com a dissidência do Partido Democrático Social (PDS) denominada Frente Liberal. Gravemente enfermo, Tancredo, no entanto, não chegou a assumir o cargo, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Foi substituído na presidência por seu vice José Sarney, que já vinha exercendo a função interinamente desde o dia 15 de março.

Candidato à reeleição em novembro de 1986, Nílton Alves não obteve êxito. Deixou com isso a Câmara dos Deputados em janeiro de 1987, ao fim de seu mandato. Candidatou-se novamente nos pleitos de outubro de 1990 e de 1994 - este último no PTB, para o qual retornara - mas também não conseguiu se eleger.

Casou-se com Sílvia Maria Soledade da Silva, com quem teve dois filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); Globo (26/4/84, 16/1/85).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados