ALVES, OSCAR

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ALVES, Oscar
Nome Completo: ALVES, OSCAR

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

ALVES, Oscar

*dep. fed. PR 1983-1987.

 

Oscar Alves nasceu em Birigui (SP) no dia 10 de março de 1938, filho de Emílio Alves e de Germina Ceolin Alves.

Médico formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Católica do Paraná em 1965, ao longo do curso, entre 1963 e 1964, foi oficial de gabinete do secretário dos Negócios da Saúde Pública, tornando-se em seguida, de 1964 a 1965, assessor técnico do gabinete do vice-governador durante o governo de Ney Braga. Em 1970 fez curso de especialização em ginecologia e obstetrícia, e nos dois anos seguintes foi diretor do Sanatório Noel Nutels, em Londrina (PR).

Doutor na área de tocoginecologia pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo, foi professor adjunto de ginecologia e obstetrícia e reitor da Universidade Estadual de Londrina, entre 1974 e 1978. Em seguida, de 1979 a 1982, ocupou o cargo de secretário da Saúde e do Bem-Estar Social, durante o segundo governo de Neyaga. Em 1980, fez curso de administração em saúde a convite do Johns Hopkins Program for International Education in Gynecology and Obstetrics, em Baltimore, nos Estados Unidos.

No pleito de novembro de 1982, elegeu-se deputado federal pelo Paraná na legenda do Partido Democrático Social (PDS). Empossado em fevereiro do ano seguinte, integrou a Comissão de Saúde Câmara. No dia 25 de abril de 1984, absteve-se em relação à emenda Dante de Oliveira, que previa o restabelecimento de eleições diretas para presidente da República em novembro daquele ano, argumentando que defendia a eleição direta para presidente da República em regime parlamentarista, e não em regime presidencialista “imperial”. No Colégio Eleitoral reunido em 15 de janeiro de 1985, votou no candidato oposicionista Tancredo Neves, da Aliança Democrática, união do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) com a dissidência do PDS abrigada na Frente Liberal. Tancredo foi eleito presidente da República, mas, por motivo de doença, não chegou a ser empossado na presidência, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Seu substituto foi o vice José Sarney, que já vinha exercendo interinamente o cargo desde 15 de março.

Em janeiro de 1987, com o término da legislatura, deixou a Câmara dos Deputados, passando a se dedicar às atividades acadêmicas na Universidade Estadual de Londrina, como professor-doutor de ginecologia e obstetrícia, e à clínica médica privada. Após se aposentar dessa universidade foi escolhido diretor da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade Norte do Paraná (Unopar), instituição privada de ensino. De dezembro de 1999 a 2001 foi reitor da Unopar. No início de 2009 foi nomeado presidente da Câmara de Educação Superior do Conselho Estadual de Educação do Paraná.

Casou-se com Sílvia Maria Braga Alves, com quem teve três filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); Folha de Londrina (10/3/09); INF. BIOG.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados