ANAPOLINO SILVERIO DE FARIA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FARIA, Anapolino de
Nome Completo: ANAPOLINO SILVERIO DE FARIA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

FARIA, Anapolino de

*dep. fed. GO 1967-1975.

 

Anapolino Silvério de Faria nasceu em Anápolis (GO), no dia 14 de outubro de 1921, filho de Francisco Silvério de Faria e de Benedita Fontes de Faria. Seu irmão, Iron Silvério de Faria, foi várias vezes prefeito do município.

Diplomado em 1947 pela Faculdade Nacional de Medicina na Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro, retornou a Anápolis, onde fundou a Clínica Dom Bosco, em 1950.

Iniciou a vida política em outubro de 1954, elegendo-se vereador. Foi o mais votado do estado na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Durante o mandato presidiu a Câmara Municipal, durante três anos.

Em outubro de 1962, elegeu-se deputado à Assembléia Legislativa de Goiás na legenda do PSD. Foi vice-líder do governo e vice-presidente da Assembléia até o final da legislatura. Em conseqüência da extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e da posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. Elegeu-se deputado federal por Goiás no pleito de novembro de 1966. Foi o fundador e o primeiro presidente do diretório regional do partido.

Deixou a Assembléia Legislativa em janeiro de 1967 para assumir o mandato na Câmara dos Deputados no mês seguinte. Foi membro e, posteriormente, presidente da Comissão de Saúde, em 1970. Reeleito, integrou a Comissão de Relações Exteriores da Câmara. Não se candidatou à reeleição em novembro de 1974, devido a problemas de saúde. Nesse período presidiu novamente o diretório regional do MDB de Goiás.

No pleito de novembro de 1978, disputou novamente uma vaga na Câmara dos Deputados, na legenda do MDB, mas não conseguiu reeleger-se. Com o fim do bipartidarismo e a conseqüente reorganização partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), em novembro de 1979.

Em 29 de dezembro de 1983 Anapolino de Faria foi indicado para ocupar o cargo de prefeito de Anápolis. O município era considerado área de segurança nacional pela legislação eleitoral do regime militar e, por isso, o Executivo local não era escolhido por eleição direta. Durante seu mandato lutou para que a cidade pudesse eleger seus representantes por meio do voto direto. Permaneceu no cargo até dezembro de 1985.

Em novembro de 1986 concorreu a uma vaga na Assembléia Legislativa de Goiás, tendo sido eleito com a maior votação do estado. No pleito de novembro de 1988 disputou a prefeitura de Anápolis. Eleito, renunciou ao mandato legislativo e em janeiro de 1989 tomou posse. Deixou a prefeitura em dezembro de 1992. Nesse mesmo ano, ocupou a direção do PMDB municipal e tornou-se diretor administrativo da Clínica Dom Bosco. Desde então não disputou mais eleições, mas continuou fazendo parte do diretório municipal do partido.

Faleceu em Goiânia, no dia 16 de dezembro de 2008.

Era casado com Dulce Pereira de Faria, com quem teve cinco filhos.

Anapolino de Faria fundou a Associação Médica de Anápolis e foi objeto de livro escrito por Vanderic Filho, intitulado Memórias – Anapolino de Faria.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. GO. Legislativo; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertórios (1971-1975, 1975-1979); FOLHETO; INF. FAM..

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados