ANDRADE, CARLOS AUTO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ANDRADE, Carlos Auto
Nome Completo: ANDRADE, CARLOS AUTO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ANDRADE, Carlos Auto

ANDRADE, Carlos Auto

* militar; ch. EMA 1978-1979.

 

Carlos Auto Andrade  nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 21 de novembro de 1920, filho de Gilberto Andrade e de Virgínia Auto de Andrade.

Ingressou na Escola Naval em abril de 1937 sendo declarado guarda-marinha do corpo de Armada em 24 de dezembro de 1941. Serviu no navio-escola (NE) Almirante Saldanha de abril a outubro de 1942. Promovido a segundo-tenente foi transferido para o NE Minas Gerais onde permaneceu até abril de 1944. Em junho tornou-se primeiro-tenente.

Designado para a corveta Camocim e, de dezembro a maio de 1946, para o contratorpedeiro (CT) Baependi, recebeu a promoção a capitão-tenente. De junho de 1946 a setembro de 1948 prestou serviço na Base Naval do Recife, e até outubro, como adido ao III Distrito Naval, sediado em Natal. Em novembro iniciou o curso do Centro de Instrução Aeronaval (Cian), concluído em maio de 1950. Em maio de 1951 voltou ao NE Minas Gerais onde ficou por pouco tempo, passando para o NE Duque de Caxias. Em dezembro de 1952 foi promovido a capitão-de-corveta.

Serviu no Cian de maio de 1953 a março de 1956, e na corveta Ipiranga, até outubro. No Estado-Maior da Armada de agosto de 1957 a abril de 1958, e depois no Centro de Informação da Marinha (Cenimar), em agosto foi designado oficial de gabinete do ministro da Marinha, almirante Jorge Matoso Maia. Sem abandonar esta função, em setembro de 1960 assumiu a vice-diretoria do Cenimar e, em março de 1961, a chefia da 1a seção do Estado-Maior do III Distrito Naval. Em agosto ascendeu interinamente à chefia do estado-maior e da 2ª seção do III DN.

Fez o curso superior de Comando de abril de 1963 a maio de 1964. Nesse período, exerceu interinamente a capitania dos Portos do Estado de Pernambuco, até setembro de 1963, quando assumiu o comando do CT Paraná.

Chefe de gabinete do comando do Estado-Maior da Armada em fevereiro de 1965 e promovido a capitão-de-mar-e-guerra em agosto, um ano depois foi nomeado assessor de informações do EMA, cargo em que permaneceu de 23 a 31 de agosto de 1966. Em setembro assumiu o comando da Divisão de Criptologia. E em outubro foi nomeado adido naval junto à Embaixada do Brasil em Paris e na Haia.

Retornou ao Brasil em dezembro de 1968, assumindo em janeiro de 1969 o comando do cruzador Barroso. Promovido a contra-almirante em setembro, dois meses depois tornou-se subchefe de organização do EMA e cumulativamente, a partir de dezembro, subchefe de comunicações.

Em janeiro de 1970 foi designado membro efetivo do Conselho de Promoções de Oficiais, tornando-se em agosto seu subchefe administrativo. De janeiro de 1971 a julho de 1972 esteve no comando da Força de Contratorpedeiros. No comando da Força de Transporte da Marinha, de que tomara posse em janeiro de 1973, foi promovido a vice-almirante, em março. Em maio assumiu a diretoria de Portos e Costas.

De junho a novembro de 1973 representou o Ministério da Marinha no Conselho Nacional de Transportes. Nomeado comandante-em-chefe da esquadra em novembro de 1974, alcançou a patente de almirante-de-esquadra em dezembro de 1975, sendo então designado para o cargo de diretor-geral da Marinha.e cumulativamente, a partir de agosto de 1976, para o comando de operações navais.

Secretário-geral da Marinha de junho de 1977 a abril de 1979, no mesmo período exerceu a chefia do EMA, de dezembro de 1978 a maio de 1979. Em janeiro de 1980 foi transferido para a reserva remunerada.

Desde então e até outubro de 1992, ao final do governo do presidente Fernando Collor de Melo (1989-1992), presidiu a Vale do Rio Doce Navegação S.A. (Docenave), subsidiária da Companhia Vale do Rio Doce, empresa estatal privatizada em maio de 1997.

Casado com Maria Dulce Seixas, teve quatros filhos.

 

Fontes: ARQ. MIN. MAR.; INF. BIOG.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados