Antonio Balhmann Cardoso Nunes Filho

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BALHMANN, Antônio
Nome Completo: Antonio Balhmann Cardoso Nunes Filho

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

BALHMANN, Antonio

*dep. fed. CE 1995-1999; 2011-

 

 

Antonio Balhmann Cardoso Nunes Filho nasceu em Russas (CE) no dia 22 de agosto de1949, filho de Antonio Balhmann Cardoso Nunes e Francisca de Matos Nunes.

Em 1970, ingressou no curso de Engenharia Mecânica da Universidade Federal do Ceará (UFC), e formou-se no ano de 1974. Entre 1975 e 1977 cursou Pós-Graduação em Consultoria Empresarial, na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Iniciou a carreira profissional em Fortaleza (CE), como funcionário concursado do Serviço de Apoio às Pequenas e Micro Empresas – Sebrae, onde exerceu o cargo de diretor-Superintendente, entre 1982 e 1989, e de presidente do Conselho de Administração, entre 1994 e 1996.

Em 1988, iniciou a carreira de homem público no estado do Ceará, como secretário estadual de Indústria e Comércio, entre 1988 e 1991, durante o governo Tasso Jereissati (1987-1990), e secretário estadual de Indústria, Comércio e Turismo, entre 1991 e 1994, no governo Ciro Gomes (1991-1994).

Representou o governo do estado do Ceará em missão oficial junto à Federação Nacional de Empresas Pesqueiras da Venezuela, em Caracas, no ano de 1991; no mesmo ano, junto às Empresas Pesqueiras do Peru, Equador e Quito, em reunião realizada no Equador; em 1992 e 1993, na Espanha, junto às Entidades Pesqueiras Públicas e Empresariais Espanholas de Madri, Barcelona e Vigo; e em 1993, no Japão, junto às Entidades Pesqueiras Públicas e Empresariais do Japão, Tóquio, Formosa e Taipei.

Entre 1993 e 1995, foi conselheiro do Conselho de Administração Portuária, CIA DOCAS, de Fortaleza.

Filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), em 1994, e concorreu às eleições daquele ano para o cargo de deputado federal pelo Ceará. Eleito como o candidato mais votado no estado, exerceu o mandato entre 1995 e 1999. Em 1997, filiou-se ao Partido Popular Socialista (PPS) e foi vice-líder do partido na Câmara dos Deputados, entre 1997 e 1999. No exercício da legislatura, participou como membro titular das seguintes comissões: Comissão Permanente de Constituição e Justiça e de Redação; Comissão Permanente de Economia, Indústria e Comércio; Comissão Permanente de Fiscalização Financeira e Controle; Comissão Especial que analisou o Projeto de Emenda Constitucional n. 3/95, relativa aos Serviços de Telecomunicações. Participou da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa.

Em 2002, deixou o PPS e filiou-se ao Partido Socialista Brasileiro (PSB).

No estado de Pernambuco, em Recife, foi inventariante da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE), entre os anos de 2003 e 2004.

Em âmbito federal, foi gerente geral da Unidade de Gerenciamento de Financiamento do Ministério da Integração Nacional, entre 2004 e 2006, durante o primeiro governo Lula (2003-2006).

 Novamente no governo do estado do Ceará, foi diretor da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará S.A. (Adece), durante o primeiro mandato do governador Cid Gomes (2007-2010).

Em 2010, disputou as eleições estaduais para o cargo de deputado federal pelo Ceará, na legenda do PSB. Eleito, assumiu o mandato na Câmara dos Deputados em fevereiro de 2011 e entre março e maio de 2012, foi vice-líder do bloco PSB-PTB, PCdoB. Entre maio de 2012 e outubro de 2013, foi vice-líder do PSB, do qual se desligou para se filiar ao recém-criado Partido Republicano da Ordem Social (PROS), tornando-se seu vice-líder na Câmara dos Deputados.

No exercício da legislatura, foi titular da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; Comissão Especial destinada a efetuar estudos e apresentar propostas com relação ao Projeto de Lei n. 4378, de 1998, que regulou as relações jurídicas entre a agroindústria e o produtor rural integrado; Comissão Especial destinada a proferir parecer ao Projeto de Lei (PL) n. 37, de 2011, que dispôs sobre o regime de aproveitamento das substâncias minerais, com exceção dos minérios nucleares, petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluidos e das substâncias minerais submetidas ao regime de licenciamento de que trata o inciso III do artigo 2º do Decreto – Lei n. 227, de 28 de fevereiro de 1967; Comissão Especial destinada a proferir parecer ao PL n. 1572, de 2011, que instituiu o código Comercial; Comissão especial destinada a proferir parecer ao PL  n. 5627, de 2013, do Poder Executivo, que alterou o Decreto n. 9760, de 5 de setembro de 1946, o Decreto-Lei n. 2398, de 21 de dezembro de 1987, a Lei 9.636, de 15 de maio de 1998, que dispôs sobre o parcelamento e remissão de dívidas patrimoniais com a União; Grupo de Trabalho para análise, estudo e formulação de proposições relacionadas à Reforma da Legislação Tributária Nacional; subcomissão especial destinada a acompanhar, estudar e propor políticas públicas para promover e ampliar a participação do setor produtivo nacional na cadeia de exploração e refino do petróleo, especialmente na camada do pré-sal. Foi, também, presidente da Frente Parlamentar da Fruticultura e da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Energia Alternativa

Foi professor do magistério superior, no curso de Engenharia Mecânica da Universidade de Fortaleza – Unifor, além dos cursos de formação e o de especialização de consultores Internos de Empresas do polo petroquímico da Bahia.

Casou-se com Lúcia Maria Tabosa e teve um filho.

 

Adrianna Setemy

 

FONTES: Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br>. Acesso em 11/04/2014.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados