ARDENGHI, RUBENS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ARDENGHI, Rubens
Nome Completo: ARDENGHI, RUBENS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

ARDENGHI, Rubens

*dep. fed. RS 1983-1987.

Rubens Ardenghi nasceu em Palmeira das Missões (RS) no dia 9 de maio de 1944, filho de Paulo Ardenghi e de Laide Schneider Ardenghi.

Formou-se em medicina pela Faculdade de Medicina de Pelotas (RS) em 1968 e foi delegado de saúde em sua cidade natal entre 1973 e 1978.

Nas eleições de novembro desse último ano concorreu a uma cadeira na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar instalado no país em abril de 1964. Eleito, iniciou o mandato em fevereiro de 1979. Com o fim do bipartidarismo em outubro, e a consequente reorganização partidária, ingressou no Partido Democrático Social (PDS), sucessor da Arena.

Voltou à disputa eleitoral no pleito de novembro de 1982, quando se candidatou à Câmara dos Deputados. Vitorioso, foi empossado em fevereiro de 1983, após concluir no mês anterior o mandato estadual. Membro da Comissão de Relações Exteriores e suplente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, na sessão de 25 de abril de 1984 deu voto contrário à emenda Dante de Oliveira, que propunha o restabelecimento de eleições diretas para a presidência da República em novembro daquele ano. Com a não aprovação da emenda, a sucessão presidencial ficou para ser decidida pelo Colégio Eleitoral. Em agosto de 1984, a convenção nacional do PDS aprovou a candidatura a presidente do ex-governador de São Paulo e deputado federal Paulo Maluf, que derrotou a pré-candidatura do ministro do Interior Mário Andreazza. Na mesma época, a oposição, reunida na Aliança Democrática, coligação do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) com a dissidência do PDS batizada de Frente Liberal, lançou o nome do governador de Minas Gerais, Tancredo Neves, tendo como vice o senador José Sarney. No Colégio Eleitoral reunido em 15 de janeiro de 1985, Ardenghi votou em Paulo Maluf, que foi derrotado por Tancredo. Contudo, por motivo de doença, Tancredo Neves não chegou a ser empossado na presidência, vindo a falecer em 21 de abril. Sarney, que já vinha exercendo interinamente o cargo desde 15 de março, substituiu-o à frente do Executivo.

Ardenghi deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 1987, ao final da legislatura, após tentar sem sucesso a reeleição em novembro de 1986. Em outubro de 1990 voltou a disputar uma vaga na Câmara dos Deputados na legenda do PDS, mais uma vez sem êxito. No pleito de outubro de 1998, nova tentativa malsucedida, dessa vez concorrendo na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

Casou-se com Leiza Martins Ardenghi, com quem teve duas filhas.

Publicou, entre outros trabalhos, A suinocultura no Rio Grande do Sul, A agropecuária no Rio Grande do Sul e O armazém da esquina.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); Folha de S. Paulo (10/10/98); TRIB. REG. ELEIT. RS. Candidatos (1998).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados