ARNALDO FAIVRO BUSATO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BUSATO, Arnaldo
Nome Completo: ARNALDO FAIVRO BUSATO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BUSATO, ARNALDO

BUSATO, Arnaldo

*dep. fed. PR 1971-1975 e 1978-1980.

 

Arnaldo Faivro Busato nasceu em Jaú (SP) no dia 19 de maio de 1934, filho de João Busato e de Teresa Alberto Busato.

Em 1957, diplomou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade do Paraná, estabelecendo-se a seguir em Clevelândia, no oeste desse estado. Aí, além de lecionar inglês, ciências e noções de anatomia, fisiologia humana e higiene no Colégio São Luís e na Escola Normal Madre Maria dos Apóstolos, dedicou-se à medicina, tornando-se diretor-clínico do Hospital e Maternidade São Sebastião e médico-chefe da Universidade Sanitária. No início da década de 1960, foi indicado sucessor político de seu sogro, Cândido Machado de Oliveira, líder do Partido Democrata Cristão (PDC) na região.

No pleito de outubro de 1962, elegeu-se deputado estadual no Paraná na legenda do PDC, assumindo o mandato em fevereiro de 1963. Na Assembléia Legislativa, foi membro da Comissão Especial de Estudos sobre Energia Elétrica em 1963, presidente da Comissão de Terras, Imigração e Colonização entre 1963 e 1964, presidente da Comissão de Redação entre 1963 e 1966, vice-presidente da Comissão de Finanças em 1964 e presidente da Comissão Especial da Divisão Administrativa no ano seguinte. Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2, de 27 de outubro de 1965, e a posterior implantação do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena). Em 1966, integrou a Comissão de Finanças da Assembléia.

Nas eleições de novembro desse ano, Busato foi reeleito deputado estadual na legenda da Arena. Em 1967, tornou-se membro da Comissão de Finanças e da Comissão Especial de Reforma do Regimento Interno da Assembléia Legislativa. Em 1968, licenciou-se para exercer as funções de secretário de Saúde Pública do Paraná, nomeado pelo governador Paulo Pimentel, e, no ano seguinte, respondeu pela Secretaria do Trabalho e Assistência Social do estado. De volta à Assembléia, integrou em 1970 as comissões de Constituição e Justiça e de Saúde Pública.

No pleito de novembro de 1970, foi o deputado paranaense mais votado para a Câmara Federal, obtendo 42 mil votos. Era o candidato mais cotado da Arena do Paraná para o Senado, mas teve de recusar a indicação de seu nome por motivo de saúde. Nessa legislatura, que se iniciou em fevereiro de 1971, foi suplente da Comissão de Legislação Social e membro efetivo da Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados. Em 1973, presidiu várias comissões da Câmara, entre as quais a Comissão Especial de Reforma da Constituição e a Comissão Especial de Assistência Médico-Previdenciária.

Em 1974, seu nome foi sugerido para governador do Paraná, convite que também recusou ainda uma vez por problemas de saúde. Em novembro desse ano, foi reeleito deputado federal pelo Paraná, sempre na legenda da Arena, tendo sido o candidato situacionista que maior votação alcançou no estado. Em 1975, participou das comissões de Orçamento e de Saúde e, como suplente, da Comissão de Comunicações da Câmara, ocupando a Secretaria de Saúde e Bem-Estar Social do Paraná de março desse ano a 1978, durante o governo de Jaime Cannet Júnior. Em 1978, declinou de uma nova indicação para o governo do estado, ainda por motivo de saúde, e, nas eleições legislativas de novembro, foi mais uma vez reeleito deputado federal na legenda da Arena, obtendo 118 mil votos — apenas quatro mil a menos do que o ex-governador Paulo Pimentel.

No final de 1979, com a saúde já bastante abalada, foi visitado pelo presidente da República, João Batista Figueiredo, a quem prometeu dar apoio ao partido governista, o Partido Democrático Social (PDS), criado com a reformulação partidária decorrente da extinção do bipartidarismo, em 29 de novembro do mesmo ano. Assinou pouco depois o livro de inscrição do novo partido.

Arnaldo Busato foi, ainda, inspetor federal de ensino superior, presidente da seção paranaense e membro do conselho nacional da Campanha Nacional de Escolas da Comunidade e presidente do conselho deliberativo da Fundação Hospitalar do Paraná. Dirigia também negócios centralizados em sua fazenda, situada no oeste do Paraná.

Faleceu em Curitiba no dia 1º de março de 1980.

Era casado com Rosi de Oliveira Busato, com quem teve quatro filhos.

 

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (7 e 8); Jornal do Brasil (2/3/80); NÉRI, S. 16; Perfil (1973, 1975 e 1980); Súmulas.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados