ARNALDO ROLLEMBERG GARCEZ

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GARCEZ, Arnaldo
Nome Completo: ARNALDO ROLLEMBERG GARCEZ

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GARCEZ, Arnaldo

GARCEZ, Arnaldo

* gov.  SE 1951-1955; dep. fed.  SE 1959-1971.

 

Arnaldo Rollemberg Garcez nasceu em Itaporanga d'Ajuda (SE) no dia 19 de janeiro de 1911, filho de João Sobral Garcez e de Alzira Bonesto Rollemberg Garcez.  Sua fa­mília era ligada a Francisco Leite Neto, deputado federal por Sergipe de 1946 a 1963.

Fez os primeiros estudos no Grêmio Esco­lar de Itaporanga e no Colégio Tobias Barreto.

Após a Revolução de 1930, elegeu-se no pleito de outubro de 1934 deputado à Assem­bléia Constituinte sergipana.  Participou dos trabalhos de elaboração da nova Carta esta­dual, promulgada em 16 de julho de 1935, assinando-a porém com restrições.  Permane­ceu na Assembléia Legislativa até novembro de 1937, quando, com o advento do Estado Novo, todos os órgãos legislativos do país foram suprimidos.  Designado membro do Conselho Administrativo de seu estado em 1940, ocupou o cargo por um ano.

No pleito de outubro de 1950 foi eleito, para substituir a José Rollemberg Leite, gover­nador de Sergipe na legenda da coligação entre o Partido Social Democrático (PSD) e o Partido Republicano (PR), derrotando o can­didato da oposição Leandro Maynard Maciel, líder da União Democrática Nacional (UDN) no estado.  Não tomou posse na data prevista, 31 de janeiro de 1951, devido a recursos interpostos pela oposição, que o obrigaram a aguardar os resultados das eleições suplemen­tares realizadas em diversos municípios do estado. Diplomado pelo Tribunal Regional Eleitoral em 21 de janeiro de 1951, tomou posse no dia 12 de março seguinte na Assem­bléia Legislativa, presidida pelo deputado Sílvio Teixeira, recebendo do vice-governador Edélsio Vieira de Melo, até então interina­mente em exercício, o cargo de governador do estado.  Seus adversários contestaram a diplo­mação, impetrando recursos aos quais, ainda naquele mês, o Tribunal Superior Eleitoral negou provimento.

Por ocasião da morte de Getúlio Vargas em 24 de agosto de 1954, a população da capital sergipana ameaçou de destruição a residência de Leandro Maciel, chefe udenista, e a Rádio Liberdade, que vinha dando grande espaço aos candidatos udenistas para as eleições que se aproximavam.  Garcez determinou então a evacuação do local, que ficou sob proteção do 28º. Batalhão de Caçadores.

Em sua administração, construiu diversos açudes no interior do estado, realizou obras de dragagem na capital sergipana e lutou pelo aproveitamento da energia de Paulo Afonso, no rio São Francisco.  Permaneceu no cargo de governador até o fim de seu mandato, em 31 de janeiro de 1955, quando foi substituído por Leandro Maciel.

No pleito de outubro de 1958 elegeu-se deputado federal por Sergipe na legenda da Aliança Social Democrática, constituída pelo PSD, o PR e o Partido Social Progressista (PSP), assumindo o mandato em fevereiro do ano seguinte.  Reeleito em outubro de 1962 na legenda da Aliança Nacional Trabalhista, for­mada pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e o Partido Social Trabalhista (PST), filiou-se em 1966 à Aliança Renovadora Nacio­nal (Arena), partido governista criado após a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº. 2 (27/10/1965) e a conse­qüente instauração do bipartidarismo.  No pleito de novembro de 1966 reelegeu-se nova­mente deputado federal por Sergipe na legen­da da Arena, exercendo o mandato até janeiro de 1971.  Designado presidente do diretório regional da Arena em seu estado, renunciou ao cargo em novembro de 1975 por julgar-se desprestigiado frente ao governador José Rol­lemberg Leite, agravando com isso a crise político-administrativa do governo local.

Exerceu ainda dois mandatos como prefeito de Itaporanga d’Ajuda pela legenda do Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Proprietário rural, dedicou-se também à cultura da cana-de-açúcar. Em janeiro de 2000, continuava a se dedicar a estas atividades.

                Casou-se com Maria Augusta Garcez.

 

FONTES:  ARQ.  PÚBL.  EST.  SE; CÂM.  DEP. Anais; CÂM.  DEP.  Deputados; CÂM.  DEP. Deputados brasileiros.  Repertório (1967-1971); COU­TINHO, A. Brasil, Encic.  Mirador; HIPÓLI­TO, L. Campanha; INF. FAM.; Jornal do Brasil (14/11/75); SOC.  BRAS.  EXPANSÃO CO­MERCIAL. Quem; TRIB.  SUP.  ELEIT.  Dados (2, 3, 4 e 6); WYNNE, J. História.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados