ARNAUD, CARNEIRO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ARNAUD, Carneiro
Nome Completo: ARNAUD, CARNEIRO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ARNAUD, CARNEIRO

ARNAUD, Carneiro

*dep. fed. PB 1979-1985.

 

Antônio Carneiro Arnaud nasceu em Pombal (PB) no dia 7 de dezembro de 1933, filho de Chateaubriand de Sousa Arnaud e de Dalva Carneiro Arnaud. Seus tios, Rui Carneiro foi deputado federal pelo seu estado de 1935 a 1937, interventor na Paraíba de 1940 a 1945 e senador pelo mesmo estado de 1951 a 1977; José Janduí Carneiro foi constituinte em 1946 e deputado federal pela Paraíba de 1946 a 1975; e Alcides Vieira Carneiro foi deputado federal, também pela Paraíba, de 1951 a 1955 e ministro do Superior Tribunal Militar (STM) de 1966 a 1976. Seu tio-avô, Daniel Vieira Carneiro, foi deputado federal pelo Ceará de 1921 a 1923 e pela Paraíba de 1927 a 1929.

Ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco, pela qual se formou em 1958. Médico cancerologista, em 1960 assumiu a diretoria do Hospital do Câncer Napoleão Laureano em João Pessoa, tendo exercido paralelamente uma série de atividades ligadas ao setor hospitalar: tornou-se professor das escolas de enfermagem da Universidade Federal da Paraíba (Ufpb) e da Santa Casa de Misericórdia da Paraíba (Escola de Enfermagem Santa Emília de Rodat) em 1961, e da Faculdade de Medicina da Ufpb em 1962. Em 1965 deixou esta faculdade e no ano seguinte a Escola de Enfermagem da Ufpb. Dois anos depois, fundou a Associação Paraibana de Hospitais, tornando-se seu presidente, e em 1970 a Clínica São Camilo, da qual também assumiu a presidência.

Bacharelou-se em administração de empresas pela Faculdade de Administração dos Institutos Paraibanos de Educação em 1975. Nesse mesmo ano presidiu o VIII Congresso Brasileiro de Cancerologia e dois anos depois a VII Convenção Brasileira de Hospitais.

Filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instituído no país após o movimento político-militar de 31 de março de 1964 que depôs o presidente João Goulart (1961-1964), no pleito de novembro de 1978 foi eleito deputado federal pela Paraíba nessa legenda, e deixou nesse ano a presidência da Associação Paraibana de Hospitais. Assumindo uma cadeira na Câmara dos Deputados em fevereiro do ano seguinte, desligou-se da Escola de Enfermagem Santa Emília de Rodat e das presidências da Clínica São Camilo e do Hospital Napoleão Laureano. Passou a integrar, como titular, a Comissão de Saúde, da qual se tornou vice-presidente, e, como suplente, a Comissão de Trabalho e Legislação Social. Foi ainda suplente da comissão parlamentar de inquérito destinada a apurar as causas do empobrecimento dos municípios.

Com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, ingressou, no ano seguinte, no Partido Popular (PP), liderado pelo senador mineiro Tancredo Neves. Ainda em 1980 passou a titular da Comissão de Trabalho e Legislação Social e suplente da Comissão de Saúde. No ano seguinte tornou-se suplente da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados. Ainda em 1981 integrou, como titular, as CPIs destinadas a descobrir as causas e conseqüências das cheias do rio São Francisco e as causas da fome e da desnutrição no Nordeste.

Com a fusão do PP ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) em fevereiro de 1982, Carneiro Arnaud ingressou nesta última agremiação. Em novembro desse mesmo ano, foi reeleito deputado federal por seu estado na legenda do PMDB. iniciando novo período legislativo em fevereiro do ano seguinte, tornou-se segundo suplente da mesa diretora da Câmara dos Deputados, membro titular da Comissão de Comunicação e suplente da de Saúde.

No início de 1983, o deputado Dante de Oliveira (PMDB-MT) apresentou na Câmara projeto de emenda constitucional que propunha eleições diretas para a presidência da República já no ano seguinte. Encampado pelas oposições, o projeto desencadeou campanha nacional nesse sentido, que ficou conhecida como Diretas Já. Na sessão da Câmara dos Deputados de 25 de abril de 1984, apesar do voto favorável do deputado Carneiro Arnaud e por falta de apenas 22 votos, a emenda não foi aprovada.

Com esse resultado, o próximo presidente da República seria mesmo eleito por via indireta. Para concorrer com os candidatos da situação Paulo Maluf e Flávio Marcílio, as oposições, juntamente com a Frente Liberal, dissidência do Partido Democrático Social (PDS), reunidas na Aliança Democrática, lançaram Tancredo Neves, então governador de Minas Gerais, e José Sarney, senador pelo Maranhão, candidatos, respectivamente, à presidência e à vice-presidência da República. No pleito indireto, via Colégio Eleitoral, de 15 de janeiro de 1985, Carneiro Arnaud votou em Tancredo Neves, que derrotou Paulo Maluf.

Com o fim do regime militar, foram restabelecidas as eleições diretas para prefeitos das capitais e dos municípios considerados áreas de segurança nacional. Com isso, Carneiro Arnaud candidatou-se à prefeitura de João Pessoa na legenda do PMDB. No pleito de novembro de 1985, com o apoio da coligação formada, além do PMDB, pelo Partido Democrático Social (PDS), pelo Partido da Frente Liberal (PFL) e pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB), Carneiro Arnaud foi eleito prefeito de João Pessoa. Renunciou ao mandato na Câmara dos Deputados em dezembro seguinte e assumiu a prefeitura da capital paraibana no dia 1º de janeiro de 1986.

Em 1º de janeiro de 1989, deixou a prefeitura, sendo substituído por Wilson Braga. Voltou a concorrer a uma cadeira de deputado federal no pleito de outubro de 1990, na legenda do PMDB, mas obteve apenas uma suplência. A partir de então passou a se dedicar apenas às atividades médicas.

Em dezembro de 1995, Carneiro Arnaud foi eleito para a Academia Paraibana de Medicina, vindo a exercer diversos cargos na diretoria da entidade (tesoureiro, membro do Conselho Fiscal, membro do Conselho Científico e Cultural). Em novembro de 2008, foi agraciado com a Medalha Felipe Kumamoto pelos serviços prestados no combate ao câncer na Paraíba. No mês seguinte foi eleito presidente da Academia Paraibana de Medicina.

Foi ainda médico do Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social, presidente da Comissão Regional de Oncologia desse órgão na Paraíba, fundador e presidente da Sociedade Paraibana de Otorrinolaringologia e Broncoesofagologia, presidente da Comissão Regional Provisória do Diretório Regional do PP da Paraíba e vice-presidente do PMDB-PB.

Casou-se com Moema Carneiro Guedes Arnaud, com quem teve quatro filhos.

Publicou José Américo — o escritor e o estadista (1980), Ao saudoso deputado João Fernandes de Lima (1981), Senador Ruy Carneiro continua vivo (1981), Janduí Carneiro — o médico e o parlamentar (1983); Forte é o povo (1985); Dr. Higino da Costa Brito — médico e escritor (1989), e Ruy Carneiro. Paraíba, Nomes do Século (2000).

Alan Carneiro

Fontes: CÂm. Dep. Deputados brasileiros. Repertório (1979-1983, 1983-1987, 1991-1995); Estado de S. Paulo (14/8/85); Globo (26/4/84, 16/11/85); INF. FAM.; CARNEIRO ARNAUD, Antonio. Ruy Carneiro. Paraiba, Nomes do Século. Serie Histórica Nº 35. A UNIÃO Superintendência de Imprensa e Editora. João Pessoa, 08 de outubro de 2000.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados